Collie

O "cão herói" da família inteira
(Créditos/Copyright: "WilleeCole Photography/Shutterstock")
Collie

Origem: Reino Unido, Escócia
Data de origem: cerca de 1800
Grupo de Raças: FCI Grupo 1 – Cães Pastor e Boieiros (excepto Boieiros Suíços) / AKC Pastores
Função original: cão pastor
Função atual: cão pastor, cão de companhia
Outros nomes ou apelidos: Rough Collie ou de pelo comprido, Smooth Collie ou de pelo curto
Tamanho: porte grande
Altura: Machos de 61 cm a 66 cm / Fêmeas de 56 cm a 61 cm
Peso: Machos de de 27 kg a 34 kg / Fêmeas de 23 cm a 29 cm
Cores: sable e branco; tricolor, cinza malhado; branco
Pelos: comprido e curto, liso.
Manutenção: moderada
Expectativa de vida: cerca de 14 a 16 anos
Filhotes: cerca de 2 a 8 filhotes, padrão de 5.
Reconhecimento (Canil): CKC; FCI; AKC; UKC; CGB; CKC; ANKC; NKC; NZKC; APRI; ACR; DRA; NAPR; ACA.

Introdução à raça Collie

collie-intro
Collies todos juntos exibindo suas pelagens glamourosas. (Créditos/Copyright: “Zuzule/Shutterstock”)

O Collie é uma raça canina oriunda da Escócia, das regiões das montanhas, mas também desenvolvida nas planícies escocesas e norte da Inglaterra, onde foi usada principalmente como cão pastor. Sua origem exata é ainda desconhecida, embora se saiba que a raça provavelmente descende de cães pastores. Por séculos desconhecidos fora de sua terra natal, os Collies foram pastores eficientes, além de salva-vidas e bom guias.

Após alguns cruzamentos, Collies foram separados em duas raças distintas, o “Smooth Collie” ou de pelo macio e curto e o “Rough Collie” ou de pelo duro e longo, este mais popular que o primeiro devido à fama adquirida pelo antigo programa de televisão chamado Lassie, porém ambos considerados a mesma raça em exposições e julgados pelo mesmo padrão.

Ambas as variações são bastante inteligentes, donos de um ótimo senso de direção, de temperamento sensível, sensitivo, obediente, doce, leal, gentil, afetuoso, fácil de adestrar, sempre alerta e ativo. Além disso, Collies são uma das melhores raças para famílias e crianças: costumam ser devotados à todos, são protetores, ávidos para agradar, se dão bem com outros animais de estimação e ainda não precisam de tanta manutenção. Costumam até pressentir algo de errado e ainda antecipam as necessidadesde seus donos.

Eles são energéticos, mas podem ser calmos dentro de casa, desde que se exercitem de forma suficiente. Devido a sua herança de cão trabalhador, são necessários estímulos mentais e físicos ou podem tornar-se frustrados, as vezes até teimosos e latir em excesso. Por esta razão, seu dono deve entender suas necessidades para que não se arrependa depois. Collies adoram ficar ao redor das pessoas, adoram crianças, e são adoráveis, mas se forem deixados sozinhos por longos períodos ficam entediados e podem desenvolver uma série de ocmportamentos inadequados se suas necessidades não forem cumpridas.

Os Collies estão entre as raças mais abandonadas devido a sua lata manutenção e necessidades de cuidados. Embora tenham uma boa natureza, os Collies podem estranhar desconhecidos, principalmente ao se aproximarem das crianças da família. Por outro lado, pode ser um bom cão de guarda — por latir bastante e ser naturalmente protetor — mas não cehga a ser agressivo.

Hoje, o Collie está mais para um animal de estimação mimado do que para um cão trabalhador, mas pode se adaptar a uma variedade de ambientes, porém não é recomendado para apartamentos. Ele gosta de relaxar ao redor da casa com a família, assim como correr e brincar do lado de fora com as crianças. Seus instintos pastores ainda são fortes, por isso não é estranho o Collie juntar crianças e outros animais, perseguir carros e latir. Além das suas habilidade de pastor, eles se destacam como cão assistente e guias. Também se dão bem nos esportes caninos como competições de pastoreio, agilidade, obediência, perseguição, entre outros.

Origem da raça Collie

collie-origem
Collie adulto na fazenda – um de seus habitats preferidos. (Créditos/Copyright: “claupad/Shutterstock”)

A origem do Collie, também conhecido por Collie escocês, é tão obscura quanto a derivação do seu nome. Alguns historiadores dizem que os acestrais dos Collies foram trazidos para as Ilhas Inglesas por conquistadores romanos, há alguns 2.000 anos atrás. Uma das teorias sobre a sua origem é a de ter derivado da mesma linhagem do Border Collie, um protótipo do Sheepdog ou cão pastor.

Acredita-se, portanto que o Collie seja nativo da Escócia, das regiões altas escocesas. Nômades já da Idade da Pedra trouxeram cães para o que hoje é o sul da da Inglaterra, e destes cães surgiram este cão forte, inteligente, durão usado para pastorear ovelhas, gado, cabras e porcos.

A origem do seu nome também é envolvida em mistérios, e o Collie já foi chamado de vários nomes diferentes como Collis, Colley, Coally e Coaly, nomes que provavelmente derivam das palavras anglo-saxônicas, col ou coll, que significam preto. Outros historiadores acreditam que o seu nome vem da raça de cão escocesa Colley, nome recebido em referência a ovelha escocesa de cara-preta, que o cão costumava a pastorear. Outra teoria é a de que o seu nome deriva da palavra gaélica que significa “útil”, certamente para descrever a utilidade dos cães pastores e fazendeiros tão valorizados pelos Celtas que os utilizaram primeiro ao se estabelecerem nas Ilhas Inglesas.

Os Collies pastores originais

Embora o pastoreio de ovelhas e outros animais seja uma das atividades e serviços mais antigos desempenhados por cães deste porte, as primeiras evidências desta raça datam apenas de 1.800, quando as duas variações da raça, de pelos curto e longo, foram usadas para esta finalidade pelos Celtas. Eles eram usados também para salvamento na água, guiar gado e ovelhas para o mercado e proteger os rebanhos na Escócia e na Inglaterra. Os Collies originais tinham a aparência próxima dos Border Collies de hoje, mesmo derivando de diferentes cruzamentos. A variação de pelos longos era menor e de cabeça mais larga, mas ambos predominantemente pretos ou preto e brancos, pois a a sua habilidade de pastoreio na época era ainda mais valorizada que uma boa aparência.

Os Collies para exposição na Inglaterra

Ao tornarem-se mais populares, ambas as variações ficaram mais altas e mais refinadas. Especialmente o de pelos longos que foi influenciado pela descendência de um cão chamado “antigo cockie,” nascido em 1867 sendo o responsável não só por estabelecer o seu tipo, mas também por introduzir a cor “sable” ou zibelina. Na mesma época, a Rainha Vitória, que sempre viajava de férias para a Escócia hospedando-se no Castelo de Balmoral, acabou se apaixonando pela raça; e através do seu patrocínio a sua popularidade aumentou ainda mais não só entre os pastores que apreciavam suas habilidades, mas também entre membros das classes altas, que também apaixonaram-se pela beleza da raça.

Este patrocínio real acabou causando uma maior demanda para a raça. E eles passaram de ajudantes de simples pastores para companheiros queridos dos ricos. Não levou muito tempo para que a raça passasse a ser desenvolvida e exposta pela sua aparência ao invés de habilidade. Eles foram exibidos primeiro em 1860 em uma exposição em Birmingham, na Inglaterra, sob uma classe genérica conhecida por “Cães Pastores-escoceses”. Em 1878, a Rainha Vitória novamente atraiu os holofotes para a raça exibindo dois exemplares na exposição do Clube de Canil Westminster, e assim os Collie novamente cairam nas graças dos amantes de cães abastados, incluindo J. P. Morgan.

Os Collies nos Estados Unidos

Enquanto isso, ao passo que o pastoreio se tornou mais importante nos Estados Unidos, em 1879 colonizadores levaram a raça com eles para o Novo Mundo, e dois anos depois da AKC ser criada, o Clube Collie da América tornou-se o segundo clube de raça a ingressar na AKC. Ao final final dos anos 1800s, o Collie foi misturado ao Borzoi, e todos os cães destinados à exposição deveriam ter sangue Borzoi para vencer as competições. Os cães trabalhadores foram separados dos que iriam competir pela aparência, e a raça foi separada em dois tipos distintos. Sendo os de exposições, de pelos longos, o tipo mais popular hoje. O tipo de pelo curto é mais popular na Grã-Bretanha.

O Collie até os dias de hoje

Por volta de 1886, um padrão foi estabelecido que ainda descreve a raça como ela é até hoje, sendo que ambos os tipos são considerados variações da mesma raça pela AKC e julgados pelos mesmos padrõ9es, exceto a pelagem. Devido a sua enorme inteligência, o Collie foi treinado e utilizado para muitas finalidades diferentes incluindo busca & salvamento, trabalho de guia, guarda, e até atuar – o Collie já foi personagem principal em livros famosos, alcançando o ápice de sua popularidade em um programa de televisão americano chamado “Lassie”, que ficou no ar entre 1954 a 1973, tornando-o famoso pelo mundo inteiro.

Aparência do Collie

collie-aparencia
Casal de Collies lado a lado no jardim. (Créditos/Copyright: “Lee319/Shutterstock”)

O Collie é um cão grande, forte e esbelto. A sua expressão é uma característica importante da raça, e depende do formato e equilíbrio entre o crânio e o focinho, assim como as características dos olhos e orelhas — deve ser inteligente, alerta e viva — características acentuadas de uma face refinada. O topo do crânio é reto, de formato cônico com uma aparência fina, leve e um focinho longo, arredondado, afinando para um nariz preto, com uma parada leve.

Sua face é esculpida com características bem definidas. Os dentes devem se encontrar em mordidade de tesoura. Os olhos de tamanho médio possuem formato de amêndoas e são escuros, exceto nos cães malhados cinzas, em que os olhos podem ser azuis ou um de cada cor. As pequenas orelhas são 3/4 eretas com as pontas dobradas para frente. O pescoço é levemente longo. O seu corpo fino e musculoso
é mais comprido que alto, com um peitoral largo e forte. As patas são retas com pés ovulares. A cauda é moderadamente longa, baixa, levemente torcida para cima ou enrolada na ponta.

A pelagem pode ter duas variedades, pelos duros e macios, ambos de dupla camada. O de pelos duros, possuem fios longos e abundantes por todo o corpo, porém curtos na cabeça e nas pernas, com uma juba ao redor do pescoço e no peitoral. Os pelos da camada exterior são lisos e de textrura grossa, e os da camada interna são mais macios e juntos para fornecer calor. O de pelos macios possui fios mais curtos por todo o corpo com a camada externa lisa e a interna mais grossa. As cores podem variar entre branco e castanho, preto e branco, tricolor, branco e cinza.

Ambiente Ideal para o Collie

collie-ambiente-ideal
Collie deitado sobre o chão em momento “relax”. (Créditos/Copyright: “MOAimage/Shutterstock”)

O Collie não é recomendado para lares com pouco espaço, mas até pode viver em apartamento desde que seja exercitado de forma suficiente. São relativamente inativos dentro de casa, mas é melhor que tenham acesso a um jardim para gastarem sua energia. São sensíveis ao calor, por isso é necessário acesso abundante a água e sombra sempre. Eles podem ficar do lado de fora em climas temperados a frio, mas por gostarem muito de estar junto a família é melhor que possam ficar do lado de dentro da casa. Eles são capazes de viver confortavelmente tanto na cidade como no campo, desde que tenham oportunidades de se exercitar e gastar energia.

Temperamento & Personalidade do Collie

collie-temperamento
Collie filhote no colo de sua dona no parque. (Créditos/Copyright: “HTeam/Shutterstock”)

O temperamento de qualquer cão é afetado por inúmeros fatores, incluindo hereditariedade, treinamento, e socialização. Os filhotes que possuem bons temperamentos costumam ser curiosos e brincalhões, costumam se aproximar das pessoas e gostam de ser carregados por elas. Como todo cão, o Collie precisa de socialização desde filhote — o exponha à diferentes pessoas, locais, sons, cenas e experiências. A socialização ajuda a garantir que o seu Collie cresça saudável tornando-se um cão bastante sociável.

O Collie é um cão pastor, o que significa que ele é altamente inteligente, que aprende rápido e que está sempre bem sintonizado com a sua família. Ele é sensível, comportado, leal, fácil de treinar, fiel, briancalhão, dócil e protetor de seus familiares. O Collie é muito conhecido e apreciado pelo seu carinho com as pessoas do seu convívio, mas ele também possui uma personalidade independente que pode levar a uma certa teimosia.

A sua habilidade de pastor exige que tome decisões independentemente das pessoas. Aprenda a apreciar esta sua independência e trabalhe a favor dela e não contra. Um Collie bem criado é doce, amigo e muito gentil.

Ele definitivamente é um cão familiar que adora participar de todas as atividades do lar. Especialmente afetuoso com crianças, adoram brincar com elas e protegê-las. Embora o Collie não seja tão intenso como o Border Collie e o Pastor Australiano, ele ainda precisa de exercícios diários, assim como treino e brincadeiras que irão desafiar a sua mente. Eles costumam ser bastante energéticos, e portanto precisam de socialização além de estímulos mentais e físicos para que não se tornem antisociais e tímidos com estranhos.

Eles não são agressivos, mas tendem ser desconfiados de pessoas que transmitem uma vibração instável. O Collie é também bastante vocal com um latido que pode ser excepcionalmente irritante. E se deixado sozinho por longos períodos, estiver entediado ou frustrado, ele pode se tornar muito incômodo, por esta razão acabam sendo um dos cães mais abandonados pelos seus donos. Ele também tem a tendência a mordiscar o calcanhar das pessoas, uma outra característica de pastor.

Embora seja interessante ver seus instintos em ação, não é bem um comportamento aceitável. Pode ser assustador para crianças e irritante para outras pessoas, incluindo outros animais. Por outro lado, todos estes comportamentos podem ser facilmente contornados, basta entender as necessidades do seu cão e adaptá-lo a sua liderança.

Cachorros precisam ter seus instintos e necessidades supridas, assim como o seu dono deve fornecer a liderança adequada. Aqueles que sentem que precisam tomar a liderança no lar não são tão felizes como aqueles que seguem a liderança e os comandos de seus donos, pois é muito estressante para um cão ter que manter seus donos na linha.

O Collie é muito ligado aos seus familiares e deve viver dentro de casa e não preso em um canil ou solto no jardim. Os latidos em excesso podem ser evitados se ele for permitido participar em todas as atividades familiares e estar mentalmente desafiado e estimulado com treinamento de obediência ou esportes caninos.

O Collie perfeito não nasce perfeito, ele é produto da sua hereditariedade e criação. Seja lá o que você deseja dele, procure por um que tenha tido pais com boa personalidade e que tenham sido socializados desde filhotes. Qualquer cão pode desenvolver níveis desagradáveis de latidos, cavações e outros comportamentos inadequados se estiver entediado, destreinado ou não supervisionado. Compre um filhote que tenha sido criado em casa e tenha certeza de que ele foi exposto a diferentes locais e sons, assim como pessoas antes de ir para outro lar.

Continue socializando-o sempre levando a casa de amigos e vizinhos, assim como a passeios públicos. Antes de comprar um filhote, procure saber como escolher o filhote ideal e não deixe de conversar com o seu criador, descreva exatamente o que você procura em um cachorrinho, e peça ajuda para escolher um filhote. Os criadores costumam conviver com filhotes todos os dias e podem dar excelentes recomendações uma vez que saibam um pouco sobre o seu estilo de vida e personalidade.

Cuidados & Manutenção do Collie

collie-cuidados
Collie adulto exuberante deitado sobre a grama. (Créditos/Copyright: “Svetlana Valoueva/Shutterstock”)

Comece a acostumar o seu Collie à ser escovado e examinado desde filhote. Mecha em suas patas com frequência — os cães costumam ser sensíveis com relação às suas patas — e olhe dentro de sua boca e orelhas. Torne essa manutenção uma experiência positiva cheia de elogios e recompensas, e assim você irá construir a base para exames veterinários e idas ao petshop mais fáceis de se lidar. Ao checá-lo, procure por machucados, arranhões, feridas ou sinais de infecção como vermelhidão, inchaço, ou inflamação na pele, nas orelhas, nariz, boca, olhos e patas. Este rápido exame pode levar a diagnósticos mais cedo e evitar maiores problemas de saúde.

Escove os seus dentes 2 ou 3 vezes na semana para remover tártaro e bactéria que proliferam dentro da boca – diariamente é ainda melhor para prevenir gengivite e mau hálito e ainda evitar o caimento de dentes precoce. Corte suas unhas uma ou duas vezes ao mês se não forem gastas naturalmente. E cheque suas orelhas uma vez por semana por sujeira, vermelhidão ou mal cheiro que possam indicar infecções. Limpe-as semanalmente usando loção de de PH equilibrado para evitar maiores problemas. Ambas as variedades do Collie possuem pelagem dupla, o que significa que eles possuem uma camada interna grossa, mais macia e outra externa mais fina e lisa.

O Collie de pêlos duro ou longo possui uma pelagem linda, volumosa que parece precisar de muitos cuidados, mas não. Uma escovação semanal ou duas pode manter seus pelos saudáveis e desembaraçados, porém eles costumam soltar pelos em abundância, duas vezes por ano, e durante este período, deve ser escovado diariamente para controlar todos esses pelos soltos. O Collie de pelo macio ou curto é ainda mais fácil de se cuidar. Escove-o semanalmente com a escova apropriada e pronto. Os dois também não precisam de banhos mais que uma vez por mês.

Atividade & Exercícios do Collie

collie-atividade
Collie em plena atividade pulando obstáculos em competição de agility. (Créditos/Copyright: “Reddogs/Shutterstock”)

O Collie precisa de muito exercício, o que inclui longas caminhadas diárias, jogos e brincadeiras ou corridas na coleira. Além disso, qualquer oportunidade de correr livremente em áreas seguras. Pastorear também é um exercício excelente. O importante é dar os estímulos certos e mais adequados à raça do seu cachorro. Para entender melhor o que pode ou não pode ser feito em termos de exercícios e estímulos, é preciso saber como estimular a mente do seu cão, e ter sempre em mente quais são os cuidados básicos na hora de exercitar o seu cachorro. Existem diversos motivos para exercitar e estimular o seu cão, mas o mais importante deve ser a saúde física e mental dele, sem falar que um cachorro saudável pode viver por muito mais tempo.

Saúde do Collie

collie-saude
Collie adulto “espionando” entre a cerca de madeira. (Créditos/Copyright: “claupad/Shutterstock”)

Na maioria das vezes, os Collies são todos saudáveis, mas como toda raça canina, alguns são mais suscetíveis à certas condições de saúde. Algumas doenças são mais comuns em algumas raças que em outras e nem todos os cachorros terão uma ou todas estas doenças, mas é importante saber sobre elas ao considerar esta raça. Collies podem ser afetados por uma série de problemas genéticos, incluindo sensibilidade a múltiplas drogas devido a uma mutação no gene resistente a multi-drogas (MDR1).

Cães com esta mutação podem ter reações sérias e até fatais a inúmeras drogas comuns, como vermicidas, antidiarréicos, anestesia e inseticidas. Problemas de visão também são preocupações sérias com relação a raça. Uma das maiores é Atrofia Progressiva da Retina ou PRA, uma família de doenças de visão que involvem a deterioração gradual da retina. Anomalia de visão do Collie é um grupo de problemas que variam de menos a mais sérios que causam anormalidades e mudanças na vista incluindo hipoplasia coroidal, desenvolvimento anormal da coróide, coloboma, defeito do disco ótico, deslocamento da retina, entre outros e até cegueira.

Inflelizmente, Collies também podem ser afetados por muitos outros problemas de saúde que não há como testar, incluindo epilepsia; assim como torsão gástrica em que o estômago se expande com ar podendo até matar; dermatomiositis, uma doença de pele autoimune que causa lesões e problemas musculares; dermatitis nasal solar, uma condição que causa a esfoliação do nariz e perda de coloração e até cancer; problemas como displasia de quadril e artrite.

E lembre-se, depois que levar um filhote para casa, você tem o poder de evitar e protegê-lo de um dos problemas de saúde mais comuns: a obesidade. Manter o Collie em um peso apropriado é uma das maneiras mais fáceis de prolongar a sua vida. Esta raça vive por cerca de 14 a 16 anos, o que não quer dizer que ele não possa viver por mais tempo. Na verdade, qualquer cachorro pode estender a sua longevidade canina desde que se tomem os devidos cuidados com a sua saúde.

Treinamento do Collie

collie-treinamento
Collie de perfil exibindo toda a sua exuberância. (Créditos/Copyright: “hjochen/Shutterstock”)

Treinar o Collie é muito fácil, mas — como qualquer cão — eles precisam de socialização desde cedo para prevenir a timidez e evitar agressividade sem motivos. Collies são ávidos a aprender, agradar e obedecer, mas são sensíveis ao tom de voz de seu treinador, por isso bons resultados são obtidos através de esforços positivos. Se forem treinados de maneira dura ou ríspida, podem se recusar a cooperar. Comece a treinar o seu filhote desde o primeiro dia em casa. Até com 8 semanas de idade eles são capazes de absorver tudo o que você for capaz de ensiná-los. Não espere até que ele tenha 6 meses de idade para começar o treinamento, ou terá que lidar com um cão muito mais forte, teimoso e cabeça-dura.

Collies respondem bem a treinamentos consistentes, baseados em recompensas, e adoram toda a atenção que obtêm com o seu desempenho, seja fazendo truques ou competindo. Apesar de aprender rápido, eles se entediam facilmente com exercícios repetitivos de obediência. Encontre maneiras de mudar a rotina e mantê-los interessados. Ele aprenderá melhor através de sessões de treinamento divertidas. Quando o treinamento é divertido, ou seja, mistura técnicas de adestramento com diversão, o resultado é sempre muito mais positivo. Algumas dicas de como se divertir exercitando o seu cachorro poderão ajudar você a treiná-lo brincando. Sem um dono firme, mas calmo, confiante e consistente que possa estabelecer regras e mantê-las, eles podem ficar teimosos e indolentes.

O Collie dever ser teinado gentilmente, mas sempre com autoridade. É importante conhecer o seu cão e entender quais são as atividades preferidas do cachorro. Ensinar o seu cão a sentar, deitar e permanecer no lugar é vital para o treinamento do seu filhote. Há vários métodos seguros para treinar o seu filhote — considere o método da caixa se for preciso adaptá-lo a um local seguro e confinado por razões de segurança e conforto.

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Collie”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *