Menu fechado

Cão Boiadeiro de Berna (Cão Montanhês de Bernese)

Avaliado como 4.00 de 5, com baseado em 1 avaliação de cliente
(1 avaliação de cliente)

Origem: Suíça
Data de origem: século XVIII
Grupo de Raças: FCI Grupo 02 – Cães de tipo Pinscher e Schnauzer, Molossóides e Cães de Montanha, e Boiadeiros Suíços / AKC Trabalhador.
Função original: cão pastor, fazendeiro.
Função atual: cão de companhia, pastor.
Outros nomes ou apelidos: Cão Montanhês de Bernese, Boiadeiro Bernês, Pastor de Berna, Berners.
Tamanho: porte grande.
Altura: Fêmeas de 58cm a 69cm / Machos de 61cm a 71cm.
Peso: Fêmeas de 36kg a 48kg / Machos de 38kg a 50kg.
Cores: preto, castanho e branco
Pêlos: pêlos longos
Manutenção: moderada à difícil
Expectativa de vida: cerca de 10 a 12 anos, antigamente e hoje de 6 a 8 anos de vida.
Filhotes: cerca de 1 a 14 filhotes, padrão de 8 filhotes de Berneses por cria.
Reconhecimento (Canil): ACA / AKC / ACR / ANKC / APRI / CCR / CKC / CKC / DRA / FCI / KCGB / NAPR / NKC / NZKC / UKC.

Conteúdo em Audio:


O Cão Boiadeiro de Berna ou Cão Montanhês de Bernese é um cachorro de porte grande e uma das quatro raças do tipo Sennenhund (Cães Montanheses Suíços) originários dos Alpes Suíços, porém o único de pelagem longa.

O Berner, como é apelidado, é instantaneamente reconhecido pela sua pelagem tricolor brilhante e “Cruz Suíça” branca no peito, sua marca registrada. Além da boa aparência, o Berner possui um excelente temperamento. Além disso, é famoso por ser calmo, leal e afetuoso. Leia mais sobre ele abaixo:

Índice de conteúdo:

cao-boiadeiro-berna-intro
Berners filhotes fofinhos e bagunceiros – simplesmente adoráveis (Créditos/Copyright: “Por Einar Muoni/Shutterstock”)

Introdução à raça Cão Boiadeiro de Berna

O Cão Montanhês de Bernese é um cachorro forte, resistente, inteligente e ágil. Por isso, ele foi vital na vida dos fazendeiros, e muito usado antigamente como cão de tração para puxar trenós e trabalhar como pastor nas fazendas suíças.

O nome Sennenhund deriva da palavra alemã Senne (“pastor alpino”) e Hund (“cão”), por acompanharem os pastores suíços e leiteiros chamados Senn. Berner ou Bernese refere-se à área de origem da raça, no distrito de Berna, território central suíço.

Um coração do tamanho do seu porte

O Berner gosta de aprender e é fácil de ser treinado também se for permitido à ele analisar primeiro o que é para ser feito. Eles não são agressivos por natureza, mas podem ser excelentes vigias. Eles chegam a ser tão leais que podem dar um certo trabalho para se ajustar a um novo dono depois dos 18 meses.

Na maior parte do tempo, ele está sempre de bem com a vida. Embora versátil e cheio de qualidades, ele quase foi extinto completamente no início do século XX com a chegada de outros meios de transporte mais acessíveis aos fazendeiros. A sua sorte foi apreciadores terem lutado bastante para preservá-los.

O Berner gosta de crianças de todas as idades, e pode até ser meio espalhafatoso ao brincar, típico de algumas raças deste porte. Ele só não é uma boa escolha para quem mora em apartamento ou não possui um bom quintal com espaço para ele brincar.

Um cachorro para todos que demanda assistência

O Berner é independente, mas precisa estar junto à sua família e nunca relegado ao quintal ou sozinho no canil. Ele é feliz quando pode participar de todas as atividades familiares. Ele deve ter acesso ao quintal, seguro e cercado, mas quando a família estiver em casa, o lugar dele é com ela.

Apesar de grande e pesado, o Berner não chega a ser agitado ou muito ativo e possui necessidades físicas moderadas. Algumas caminhadas de ½ hr todos os dias e algumas poucas idas ao quintal durante o dia podem ser suficientes.

Mas para manter a sua mente e corpo ativo e sempre saudável, você pode envolvê-lo nos esportes caninos. Dependendo do temperamento e do físico do cachorro, ele pode se dar muito bem em atividades caninas como agility, puxar trenós, pastoreio, obediência, rally, ou tracking. O Bernese também é um cão de terapia excelente.

Como ele é um cachorro de porte grande, o treinamento de obediência e socialização desde cedo são muito recomendados. O Berner também demora a amadurecer, tanto fisicamente quanto mentalmente. Além disso, por causa da sua personalidade “doce”, ele é sensível e fica magoado fácil. Portanto, ele pode não lidar bem com tratamentos muito duros.

É preciso cautela quanto à saúde do Berner

Ele possui mesmo muitas qualidades boas. No entanto, a quantidade de problemas sérios de saúde que potencialmente podem afetar a raça, assim como a sua baixa longevidade podem desencorajar a sua escolha. Isso porque, apesar da sua beleza e temperamento excelente — ou talvez exatamente por isso — Berners estão lutando para sobreviver nos dias de hoje.

A raça possui uma quantidade de genes diferentes entre uma população entrecruzada pequena. Isso resulta em inúmeros problemas de saúde relacionados a endogamia (quando animais de relação muito próximas são intercruzados – pais e filhos, irmãos). Quanto mais as pessoas querem a raça, mais cachorros com problemas de saúde são reproduzidos com pouca ou nenhuma consideração aos efeitos que isso pode ter sobre ela.

Quem realmente quiser um Cão Boiadeiro de Berna deve pesquisar muito e procurar um filhote de criadores de boa reputação. Se o Berner for a sua vontade, esteja preparado para procurá-lo com afinco e esforçar-se ao máximo para treiná-lo e socializá-lo ao levá-lo para casa.

cao-boiadeiro-berna-origem
Dupla de Cães Montanheses de Bernese no parque em meio à folhas de outono. (Créditos/Copyright: “/Shutterstock”)

Origem da raça Cão Boiadeiro de Berna

Embora a exata origem do Cão Boiadeiro de Berna não seja clara, acredita-se que ele tenha sido reproduzido em fazendas suíças, em meio aos Alpes. Uma raça muito antiga, o Molosso, se destaca como uma das raças mais versáteis, mais difundidas e influenciadoras no desenvolvimento de uma enorme variedade de cachorros do tipo Mastife, incluindo os Berners.

O Berner e seus ancestrais

Acredita-se que quatro das raças Sennenhund suíças (Appenzeller Sennenhund, Entlebucher Sennenhund, Grande Cão Montanhês Suíço e Berner Sennenhund) foram desenvolvidas a partir de cruzamentos entre cachorros de fazendas suíças nos Alpes Suíços e o Molosso, que os antigos Romanos trouxeram com eles quando invadiram a região dos Alpes no primeiro século A.C.

É bem provável que o Berner tenha trabalhado em fazendas suíças por mais de 2.000 anos, silenciosamente escondido em pequenos lugarejos. Ali, ajudavam nas tarefas, puxavam carrinhos, trenós, acompanhavam gado, vigiavam a propriedade e servinam de companhia leal. Muitas pinturas do século XVIII mostram cães que se parecem com o tipo do Bernese.

Seu nome é originário do vilarejo ou Cantão de Berna, na Suíça. Eles eram cachorros muito versáteis e resistentes, muito bons trabalhadores para carregar e transportar mercadorias para o mercado.

O berner em meio aos holofotes

Sabe-se que em meados de 1888, apenas 36% da população suíça trabalhava na agricultura e a sua necessidade diminuiu bastante primeiro com a chegada de novas raças trabalhadoras. Além disso, depois da industrialização e outros meios mais acessíveis de transporte, a raça foi quase que totalmente extinta. No entanto, ao final do século XIX, um grupo de suíços interessou-se pela sua preservação e fundou um clube chamado Berna para estabilizar a raça.

Em 1902, O Clube de Cães Suíço patrocinou uma exposição em Ostermundigen que atraiu muita atenção para as raças montanhesas suíças. Dois anos depois, as raças evoluíram para mais vários outros eventos importantes. O primeiro, uma exposição internacional de cachorros em Berna, em que o Clube de cães Suíço patrocinou uma classe para “cães pastores suíços”, que incluía os Berners. Este foi o primeiro ano em que estes cães foram denominados “Cão Montanhês de Bernese”. E neste mesmo ano, o Clube de Canil Suíço reconheceu o Berne como uma raça distinta.

O Berner durante as Grandes Guerras

Durante a Primeira Guerra, as exposições e cruzamentos deram uma pausa. Mas, depois da guerra, os Berners foram exportados, primeiro para a Holanda e depois para os Estados Unidos, embora a raça ainda não tinha sido reconhecida AKC.

Em 1936, dois criadores britânicos começaram a importar Berners, e a primeira ninhada nasceu na inglaterra. No mesmo ano, um canil na Louisiana, nos Estados Unidos importou um casal de Berners da Suíça. E, no início de 1937, a AKC enviou uma carta ao canil comunicando que o Berner havia sido aceito por eles e integrava agora o Grupo de Cães Trabalhadores.

A Segunda Guerra interrompeu novamente o progresso da raça fora do seu território, mas depois de 1945, importações e registros se resumiram aos Estados Unidos. Em 1968, o Clube Cão Boiadeiro de Berna da América foi fundado, e após três anos já havia mais de 100 membros no clube.

Enquanto isso, a raça, que havia praticamente se extinto na Inglaterra, era introduzida na Grã-Bretanha. O Clube Cão Boiadeiro de Berna da América passou a ser membro da AKC em 1981 e em 1990, a AKC adotou o seu padrão atual.

O Berner da atualidade

Hoje, apesar de estar ficando cada vez mais rara devido aos seus problemas genéticos de saúde por intercruzamentos indevidos devido à sua enorme popularidade, os Berners continuam sendo companhias maravilhosas e ainda capazes de desempenhar qualquer tarefa. Os Berners são muito populares entre famílias de países de língua nativa alemã, e ainda conserva muitas das suas qualidades e talentos naturais.

cao-boiadeiro-berna-aparencia
Berner deitado sobre o gramado com toda a exuberância de seu porte e pelagem tricolor esvoaçante. (Créditos/Copyright: “Por Grigorita Ko/Shutterstock”)

Aparência do Cão Boiadeiro de Berna

O Cão Boiadeiro de Berna é uma raça de porte grande, forte, durona de construção pesada e firme revestida com uma linda pelagem longa de camada dupla (camada externa mais longa e interna lanosa), resistente à água, lisa ou levemente ondulada.

Os pêlos são bem grossos e possuem um brilho natural em padrão tricolor (castanho, preto e branco), mas de base preta com marcas ferrugem nas patas e na face sobre os olhos, bochechas, laterais do peito, abaixo da cauda, e marcas brancas na cabeça, no peito, nos pés e ponta da cauda. Possui uma marca registrada no peito em forma de cruz suíça branca, sendo que qualquer outra cor de pelagem que não seja esta é considerada um defeito de padrão.

Seu corpo compacto, mais comprido que alto, é bem musculoso e apresenta um peito largo e profundo. O Berner possui uma cabeça larga, plana no topo com uma parada moderada até o focinho forte e reto com um nariz preto.

As orelhas são triangulares com pontas arredondadas e os olhos escuros com uma expressão gentil. Os dentes se fecham em mordida de tesoura, e a sua cauda é longa, emplumada e baixa ou em curva. As patas são retas e fortes, os pés arredondados com dedos arqueados.

cao-boiadeiro-berna-ambiente-ideal
Filhote de Berner brincando na neve – ambiente que mais lhe é familiar! (Créditos/Copyright: “Por Einar Muon/Shutterstock”)

Ambiente Ideal para o Cão Boiadeiro de Berna

O Cão Boiadeiro de Berna não é recomendado para apartamentos (se você estiver procurando por uma raça para apartamentos, clique aqui.). Eles não são muito ativos dentro de casa mas precisam ter acesso a um quintal com espaço, devidamente cercado e seguro.

Por causa da sua pelagem grossa, Berners também são sensíveis ao calor e preferem as temperaturas mais frias e sempre a companhia dos donos. Ele não deve ser confinado ao quintal ou canil longe das atividades da família.

cao-boiadeiro-berna-temperamento
Os Berners são tão amistosos que nem um “bichinho pequeno e peludo” como o gatinho filhote é capaz de provocar o seu instinto selvagem. (Créditos/Copyright: “Por Valery Shklovskiy/Shutterstock”)

Temperamento & Personalidade do Cão Boiadeiro de Berna

O temperamento de qualquer cão é afetado por inúmeros fatores, incluindo hereditariedade, treinamento, e socialização. Como todo cão, o Cão Boiadeiro de Berna precisa de socialização desde filhote — o exponha à diferentes pessoas, locais, sons, cenas e experiências. A socialização ajuda a garantir que o seu Berner cresça saudável tornando-se um cão bastante sociável.

O padrão de raça para o Cão Boiadeiro de Berna descreve que os cachorros não devem ser “agressivos, ansiosos ou teimosos”, mas de “boa natureza”, “seguro, “plácido com relação à estranhos” e “dóceis”.

A socialização é necessária

O temperamento de cada um individualmente pode variar, e nem todos os exemplares da raça foram sempre cuidadosamente cruzados seguindo o padrão exigido. Para ajudar, todas as raças, especialmente as de grande porte, devem ser socializados desde filhotes, e exercitados e treinados por toda a vida.

Estes cães simplesmente adoram crianças, pois possuem um temperamento alegre e amável e são muito afetuosos. Eles também são pacientes e toleram até que subam em cima deles. Costumam amadurecer tarde, e permanecer agindo como filhotes por muito tempo, cerca de 4 a 5 anos. Por isso, costuma ter uma identificação de alma com crianças.

Filhotes são bastante ativos, colocam tudo na boca e mastigam, bagunceiros e espalhafatosos. Portanto, adotar um Bernese adulto é uma opção mais adequada para quem tem filhos pequeninos. Filhotes de Berner correm atrás, dão mordiscadas, ou mordem de brincadeira, o que pode assustar ou ser perigoso para criança pequena que não está acostumada. É bom que toda interação entre crianças e cachorros seja sempre supervisionada. Especialmente, com os cachorros de porte grande, que mesmo sem querer podem derrubá-las e machucá-las.

Verdadeiros guardiões leais

O Berner também se dá bem com outros animais de estimação ao seu redor e estranhos que não sejam do seu convívio. Embora calmos e dóceis, são muito leais e excelentes guardiões, sem ser muito dominadores ou agressivos, à não ser que sejam ameaçados ou provocados. Eles irão anunciar visitantes que não estejam familiarizados com um latido forte e observá-los cuidadosamente. Podem ser dominantes uns com os outros.

Eles tendem a se identificar e se aproximar mais de um único dono, apresentando com outros um tipo de comportamento indiferente. Mas é capaz de ser seu melhor amigo para o resto da vida. Eles precisam estar ao redor de seus donos o tempo inteiro e não gostam de ficar confinados à um quintal ou canil. Adoram participar de todas as atividades junto à família e se beneficiam muito disso.

O seu treinamento é essencial

O seu porte grande é um dos seus atributos mais notáveis, e por isso o seu treinamento é essencial para ensiná-lo como se comportar de forma adequada em casa e ao redor das pessoas. Como precisam desta interação com os humanos e atividades para equilibrar a sua energia e instintos naturais podem desenvolver problemas de comportamento se forem privados de interação social. Eles são sensíveis e devem ser treinados de maneira firme, porém gentil.

Assim, seu dono deve apresentar uma liderança natural com relação à ele, pois tratá-lo como bebê e não demonstrar o conhecimento necessário para manter a sua personalidade estável só trará problemas futuros.

Os donos que não conseguirem convencer o cachorro que quem manda é o humano podem acabar com um Berner totalmente diferente do descrito acima. Sem uma liderança adequada em que as regras e limites estejam bem claros, Berners podem rapidamente de tornarem autoritários. Ou seja, ao serem tratados de forma inadequada, sem que haja uma liderança firme e clara, acabam tendo alguns comportamentos negativos. Até as crianças devem aprender a lidar com o cachorro e serem seus líderes.

O mal comportamento é inadmissível

Qualquer cachorro que apresente comportamentos como rosnar, surtar ou morder, está demonstrando falta liderança. Estes problemas costumam surgir quando a pessoa não consegue distinguir um comportamento natural canino e confunde com emoções humanas, acabando com um cão que pensa que é o dono da casa.

Mesmo não sendo uma raça de porte pequeno, a pessoa PRECISA entender e seguir à risca o conceito de manter o cachorro na linha em casa. Assim, estes problemas podem ser corrigidos logo que os humanos passarem a ter controle sobre o cachorro.

Berners equilibrados que possuem donos que não permitem que eles desenvolvam Síndrome do Cachorro Pequeno, comportamentos induzidos por humanos em que o cão acredita ser o líder, não irão apresentar estes comportamentos negativos. Berners que possuem líderes firmes, confiantes e consistentes e que recebem estímulos mentais e físicos suficientes serão sempre excelentes companhias para a família.

Devido a sua ancestralidade de raça trabalhadora, o Berner tende à ser cauteloso, e toda essa cautela também pode levar à timidez. Socialização frequente é essencial para evitar que se tornem desconfiados ou medrosos de qualquer coisa nova ou diferente. Eles podem ser sensíveis a barulhos ou gritos estridentes, por isso a socialização a sons diferentes é também muito importante.

Seja cauteloso ao escolher o seu filhote

O Berner perfeito não nasce perfeito, ele é produto da sua hereditariedade e criação. Seja lá o que você deseja dele, procure por um que tenha tido pais com boa personalidade e que tenham sido socializados desde filhotes. Qualquer cão pode desenvolver níveis desagradáveis de latidos, cavações e outros comportamentos inadequados se estiver entediado, destreinado ou não supervisionado.

Compre um filhote que tenha sido criado em casa e tenha certeza de que ele foi exposto a diferentes locais e sons, assim como pessoas antes de ir para outro lar. Continue socializando-o sempre levando a casa de amigos e vizinhos, assim como a passeios públicos.

Antes de comprar um filhote, procure saber como escolher o filhote ideal. Não deixe de conversar com o seu criador, descreva exatamente o que você procura em um cãozinho, e peça ajuda para escolher um filhote. Os criadores costumam conviver com filhotes todos os dias e podem dar excelentes recomendações, uma vez que saibam um pouco sobre o seus estilo de vida e personalidade.

Os filhotes que possuem bons temperamentos costumam ser curiosos e brincalhões, costumam se aproximar das pessoas e gostam de ser carregados por elas. Escolha sempre o filhote que seja um meio-termo. Nunca aquele que estiver mordendo ou judiando dos outros filhotes, nem aquele que estiver timidamente acuado em um cantinho.

Tente sempre conhecer um de seus pais — normalmente é a mãe que fica disponível — para garantir que que ele tenha um temperamento que te faça sentir-se confortável com ele. Conhecer irmãos ou outros parentes também ajuda a avaliar como o filhote será na idade adulta.

cao-boiadeiro-berna-cuidados
Berner recebendo afagos e carinhos da sua dona. (Créditos/Copyright: “Por LovelyColorPhoto/Shutterstock”)

Cuidados e Manutenção do Cão Boiadeiro de Berna

Comece a acostumar o seu Cão Boiadeiro de Berna à ser escovado e examinado desde filhote. Mecha em suas patas com frequência — os cães costumam ser sensíveis com relação às suas patas — e olhe dentro de sua boca e orelhas.

Torne essa manutenção uma experiência positiva cheia de elogios e recompensas, e assim você irá construir a base para exames veterinários e idas ao petshop mais fáceis de se lidar. Uma introdução cedo mostra para o Berner que manutenção é um hábito normal da sua vida, e o ensina a aceitar com paciência todo o processo.

Ao checá-lo, procure por machucados, arranhões, feridas ou sinais de infecção como vermelhidão, inchaço, ou inflamação na pele, nas orelhas, nariz, boca, olhos e patas. Este rápido exame pode levar a diagnósticos mais cedo e evitar maiores problemas de saúde.

Escove os seus dentes 2 ou 3 vezes na semana para remover tártaro e bactéria que proliferam dentro da boca – diariamente é ainda melhor para prevenir gengivite e mau hálito e ainda evitar o caimento precoce dos dentes.

Todo cuidado é bem vindo

Corte suas unhas uma ou duas vezes ao mês se não forem gastas naturalmente para evitar lágrimas dolorosas e outros problemas. Se você pode ouvir suas unhas batendo no chão, elas estão longas demais. Unhas caninas possuem artérias, se você cortá-las demais causará sangramento — e o seu cão pode não querer cooperar nas próximas vezes.

Por isso, se você não tiver experiência ou não se sentir confiante para a tarefa, procure ajuda profissional. Cheque também suas orelhas uma vez por semana por sujeira, vermelhidão ou mau cheiro que possam indicar infecções. Limpe-as semanalmente usando loção de de PH equilibrado para evitar maiores problemas.

Berners precisam ter seus pêlos muito bem escovados várias vezes na semana, tomando um cuidado extra nas épocas de derramamento para evitar emaranhamentos dolorosos, principalmente atrás das orelhas, pescoço e patas, assim como acúmulo de sujeira. As escovações diárias ajudam a controlar a queda de pelos. Os banhos devem ser periódicos ou quando necessários, normalmente de 4 a 5 vezes ao ano.

cao-boiadeiro-berna-saude
Berner adulto e já bastante maduro deitado no quintal descansando.(Créditos/Copyright: “Por Sergey Andrianov/Shutterstock”)

Saúde do Cão Boiadeiro de Berna

Sabe-se que cada raça de cachorro tem predisposição a determinadas doenças. O Cão Boiadeiro de Berna, não passa ileso à essa regra. Isso, porém, não significa que todos os indivíduos da raça terão as patologias descritas no artigo, e sim que há chance de desenvolvê-las ao longo da vida. Por isso, é muito importante que o tutor conheça os riscos de condições de saúde e doenças comuns, para preveni-los ou tratá-los o quanto antes.

Primeiramente, quando decidimos comprar um cão de uma raça específica, é muito importante comprá-los de criadores éticos e responsáveis. Por isso, procure conhecer o trabalho do criador e os pais do seu filhote. Verifique se os pais possuem alguma doença que possa ser eventualmente transmitida à próximas gerações. Questione o criador sobre isso.

Problemas ortopédicos

O Cão Boiadeiro de Berna, também conhecido como Bernese, é um cachorro de porte grande. Por isso, cachorros desta raça costumam ter, com certa frequência, problemas relacionados ao crescimento rápido.

Os problemas mais comuns nestes cães são:

  • Displasia coxofemoral
  • Displasia de cotovelo
  • Osteossarcoma

Displasia coxofemoral

A displasia coxofemoral é o distúrbio mais comum em cães de grande porte, que tem crescimento muito rápido. Trata-se de uma instabilidade causada pela alteração no acetábulo, colo e cabeça do fêmur.

Hereditariedade e o ambiente em que o cachorro vive influenciam, certamente, o surgimento da enfermidade. Por ser transmitido geneticamente, machos e fêmeas que tenham esse problema de saúde não são recomendados para reprodução.

O animal pode começar a desenvolver essa complicação ainda quando jovem. Normalmente surge entre quatro meses e um ano de idade.

Displasia do cotovelo

A displasia do cotovelo é uma doença degenerativa muito frequente em cães jovens. É transmitida geneticamente, todavia pode estar relacionada também à alimentação, manutenção do peso, ambiente, qualidade dos ligamentos, excesso de exercício físico ou traumatismos.

Os primeiros sintomas podem começar a aparecer aos 4-5 meses. O cachorro pode, então, mostrar intolerância ao exercício e claudicação ao iniciar um movimento ou depois de um exercício prolongado. Entretanto, alguns cachorros podem não apresentar sinais até a idade avançada. Nestes casos, é comum que a condição seja acompanhada de osteoartrite.

Osteossarcoma

Este é o nome de um tumor maligno ósseo muito comum em cães de porte grande e gigante. Na maioria dos casos, começa a se desenvolver na região dos joelhos e/ou cotovelos dos cães e, embora possa afetar animais de todas as idades, é mais frequente em cachorros adultos e idosos.

Além disso, este câncer causa metástase de maneira extremamente rápida. Por isso, muitos dos cães, ainda no momento do diagnóstico, já podem apresentar chances baixas de sobrevida.

Sistema Digestório

Torção Gástrica

A torção gástrica, também conhecida como dilatação vólvulo gástrica, é um distúrbio comum em cães de portes grandes e gigantes. É um quadro considerado emergência veterinária, pois seu desenvolvimento é repentino e pode levar à morte em poucas horas (6-12 horas).

É uma condição na qual o estômago do cachorro pode virar. Por isso ocorre com mais frequência em cães de porte grande, já que possuem tórax profundo. Ao virar, os canais de entrada e saída do órgão são torcidos, assim como os vasos sanguíneos.
Dessa forma, o alimento contido no estômago fica retido e fermenta. A fermentação produz gás que fica aprisionado e, por isso, aumenta consideravelmente o volume estomacal, o que acaba comprimindo ainda mais os vasos e canais.

Portanto, o animal além de não conseguir eliminar o gás e/ou alimento retido por via oral ou intestinal, também não tem mais uma circulação sanguínea adequada podendo ocorrer necrose por estrangulamento da parede gástrica e de outros órgãos.

Problemas oculares

Berneses tem tendencia a desenvolver os seguintes distúrbios oculares:

  • Atrofia Progressiva da Retina – Doença de origem hereditária que leva à cegueira, normalmente de ambos os olhos do cão. Infelizmente não tem cura.
  • Catarata – O Cão Boiadeiro de Berna possui tendência ao desenvolvimento de catarata herdada ou familiar, portanto, torna-se necessário um controle periódico no veterinário de confiança já que é uma condição que pode ser tratada.
  • Cherry Eye – Conhecido na veterinária como prolapso da glândula da terceira pálpebra. Ocorre por flacidez dos ligamentos que sustentam a glândula da terceira pálpebra, principalmente, em filhotes. Desta forma, a glândula sai e fica exposta. A correção é cirúrgica.

Distúrbios endócrinos

Obesidade

O Cão Boiadeiro de Berna tem, sem dúvida, tendência a obesidade. O apetite destes animais é, certamente, grande e, portanto, comem exageradamente se não houver um limite. Por isso, as porções de alimento precisam ser controladas com rigidez.

Além disso, a doença cada vez mais comum em cães. Se não tratada, pode causar muitos problemas de saúde ao animal. Sua principal causa é o desequilíbrio entre o consumo e gasto energético. Ou seja, consomem-se mais calorias do que se gastam. Consequentemente, este excesso de calorias é acumulado em forma de gordura produzindo aumento de peso.

Síndrome de Cushing

Esta doença, também chamada de Hiperadrenocorticismo, afeta principalmente cachorros mais idosos. Entretanto, existem relatos em cachorros jovens. Os sintomas são muito semelhantes aos de outras doenças endócrinas pois provoca letargia, aumento da frequência com que o cachorro urina e aumento da ingestão de água.

Um sinal muito característico desta doença é a distensão abdominal, ou seja, o cachorro fica com o abdômen bem arredondado. O seu médico veterinário, todavia, precisa realizar algumas provas complementares, como a análise sanguínea, para chegar a um diagnóstico.

Sistema nervoso

O Cão Boiadeiro de Berna possui predisposição genética à uma condição chamada Vasculopatia dos Cães Montanheses de Berna. Trata-se de uma lesão que provoca necrose fibrinóide e trombose dos vasos meníngeos. Os danos arteriais meníngeos podem levar a hemorragia ou trombose do parênquima nervoso adjacente. Ocorre em torno aos 3-8 meses de idade.

Nesta condição, são comuns sinais de meningite como dor, rigidez cervical, marcha rígida e febre. Berneses podem desenvolver, além disso, cegueira e convulsões associadas a encefalite secundária.

Além disso, o Bernese tem também predisposição a Abiotrofia cerebelar. Trata-se de uma doença considerada rara, de origem congênita e hereditária. Caracteriza-se por alterações degenerativas e progressivas dos neurônios de Purkinje, que podem ser observadas após o nascimento.

Os sinais clínicos podem ocorrer logo após o nascimento ou mais tardiamente, caracterizados principalmente por tremores de intenção, hipermetria, espasticidade, ataxia e crises epileptiformes.

Outras observações

Os criadores da raça têm feito grandes esforços para melhorar a saúde da raça, incluindo a formação da Fundação Berner-Garde para coletar e compartilhar informação sobre doenças genéticas que venham afetar a raça.

Toda informação está disponível online de graça e pode ser usada por criadores, compradores de filhotes, donos e veterinários. A Fundação também suporta pesquisa que tem como objetivo ajudar a reduzir todos estes problemas.

Todos os cães possuem o potencial para desenvolver problemas genéticos de saúde, assim como todas as pessoas possuem potencial para herdar doenças. É sempre uma boa ideia perguntar a criadores quais os problemas que possam existir em suas linhagens. Um criador honesto e de boa reputação sempre estará a disposição para discutir a saúde de seus cachorros, seja boa ou má.

Criadores cuidadosos costumam investigar e testar seus cães para evitar doenças genéticas e reproduzir apenas as espécies mais saudáveis e de melhor aparência. Mas, às vezes, a Mãe Natureza possui outros planos. Um filhote pode desenvolver uma destas doenças mesmo em reproduções cuidadosas.

Avanços na medicina veterinária hoje garantem que, na maioria das vezes, os cães podem ter uma qualidade de vida. Se estiver pensando em comprar um filhote, pergunte ao criador sobre as idades dos cães em sua linhagem e as causas mais comuns de morte.

Em geral, qualquer cachorro pode estender a sua longevidade canina desde que se tomem os devidos cuidados com a sua saúde. No entanto, o Cão Boiadeiro de Berna é uma das raças que vivem bem pouco comparado a outras raças de mesmo tamanho. De fato, o Bernese costuma viver cerca de 7 a 8 anos, e ter muitos filhotes por cria, cerca de 8 filhotes.

(Correções e revisões feitas pelo médico(a) veterinário(a) Dra. Valentina Vecchi, CRMV/SP:21838)

cao-boiadeiro-berna-atividades
Berner demoram para amadurecer e gostam de mastigar coisas, principalmente seus brinquedos caninos favoritos. (Créditos/Copyright: “Por dezy/Shutterstock”)

Atividade & Exercícios do Cão Boiadeiro de Berna

O Cão Boiadeiro de Berna precisa de uma quantidade excessiva de exercícios, interação e atividade. Isto é, pelo menos meia-hora no mínimo de exercícios diariamente, assim como pequenos passeios e idas ao quintal várias vezes por dia.

Berners não ligam para o frio e adoram correr livremente sem coleira sempre que podem. Mas cuidado, eles não toleram temperaturas muito elevadas. Além disso, é sempre bom evitar exercícios extenuantes quando ainda jovens para não gastar a energia que precisam para ganhar massa e construir ossos fortes e juntas.

Enquanto caminha, ele deve sempre se manter ao lado ou atrás da pessoa que segura a guia, para que ele saiba quem é o líder. As brincadeiras podem até suprir suas necessidades físicas. No entanto, como em toda raça, apenas brincar não irá suprir seu instinto primário de caminhar. Cães que não fazem suas caminhadas diariamente são mais suscetíveis a apresentar problemas de comportamento.

Os estímulos certos fazem a diferença

O importante é dar os estímulos certos e mais adequados à idade, condições de saúde e nível de atividade da raça do seu cachorro. Para entender melhor o que pode ou não pode ser feito em termos de exercícios e estímulos, é preciso saber como estimular a mente do seu cão. Além disso, ter sempre em mente quais são os cuidados básicos na hora de exercitar o seu cachorro.

Existem diversos motivos para exercitar e estimular o seu cão, mas o mais importante deve ser a saúde física e mental dele, sem falar que um cachorro saudável pode viver por muito mais tempo ao seu lado.

cao-boiadeiro-berna-treinamento
Dupla de Berners adultos deitados juntos sobre o gramado esperando pelo comando a ser dado à eles. (Créditos/Copyright: “Por Vera Zinkova/Shutterstock”)

Treinamento do Cão Boiadeiro de Berna

Comece o treinamento do seu filhote no primeiro dia que ele chegar em casa. Mesmo com cerca de 8 semanas de vida ele é capaz de absorver tudo aquilo que você quiser ensiná-lo. Não espere que ele tenha 6 meses de idade para iniciar o treinamento dele ou você terá um cachorro bem mais teimoso para lidar, sem falar que enorme.

O Cão Boiadeiro de Berna precisa de socialização e treinamento de obediência básico para uma boa liderança e estímulo mental. Ele é extremamente sensível e não irá responder bem a métodos duros ou agressivos. Todo treinamento deve ser feito com técnicas positivas como respeito, recompensa, amor, justiça, e consistência. Sempre com uma abordagem amável, pois ele é um ávido aprendiz e muito responsivo ao tom de voz do seu treinador.

Priorize a diversão como treinamento

Quando o treinamento é divertido, ou seja, mistura técnicas de adestramento com diversão, o resultado é sempre muito mais positivo. Algumas dicas de como se divertir exercitando o seu cachorro poderão ajudar você a treiná-lo brincando. É importante conhecer o seu cão e entender quais são as atividades preferidas do cachorro.

O treinamento da caixa é algo também fortemente recomendado para o Cão Boiadeiro de Berna, pois eles são um tanto difíceis de treinar a fazer suas necessidades fora de casa. Não só ajuda no treinamento dentro de casa, mas também serve como um espaço para se acalmar e relaxar. Além disso, isso vai evitar que ele saia mastigando tudo por aí enquanto você estiver fora. A caixa é apenas uma ferramenta, não uma jaula. Por isso, não mantenha-o preso ali por longos períodos. O melhor lugar para o seu Berner é sempre com você.

Ensinar o seu cachorro a deitar, sentar e ficar no lugar é vital para o treinamento de um filhote, procure se informar sobre como adestrar o seu cachorro, é muito comum cometer erros durante o processo de treinamento.

Atenção tutores! Todo o conteúdo publicado no portal Vidanimal é de caráter APENAS informativo e não pretende substituir o aconselhamento médico ou a consulta veterinária com relação à sintomas, tratamentos ou diagnósticos.

O nosso compromisso e objetivo é levar a informação até você através de conteúdos relevantes e gratuitos sem qualquer pretensão de prescrever substâncias, receitas, remédios ou tratamentos veterinários ou de substituir a opinião e orientação de profissionais especializados e qualificados em suas respectivas áreas de atuação.

O Vidanimal Não recomenda que seus leitores façam tratamentos ou utilize substâncias em seus animais por conta própria, mesmo que naturais, sem a indicação de um veterinário. Não automedique o seu animal sem antes consultar um veterinário!

Assim, por mais completo e detalhado que o artigo aqui publicado venha a ser, ele é apenas complementar e para fins informativos. Portanto, nenhum conteúdo aqui produzido substitui uma consulta veterinária.

Os conteúdos aqui fornecidos não possuem qualquer tipo de garantia, sendo a sua utilização de risco assumido pelo próprio usuário. No entanto, jamais publicaremos alguma informação ou produto que não tenha sido pesquisado, que não tenha respaldo técnico ou que não tenha sido avaliado por um especialista.

Todas as correções e revisões passam pela nossa equipe editorial, sendo avaliadas pelos profissionais capacitados de nossa equipe.

Correções e revisões feitas pelo médico(a) veterinário(a) Dra. Valentina Vecchi, CRMV/SP:21838

1 avaliação para Cão Boiadeiro de Berna (Cão Montanhês de Bernese)

  1. Avatar
    Avaliação 4 de 5

    Odete

    Os Berners são cachorros maravilhosos capazes de conquistar o seu coração para sempre. Mas cuidado, podem te desapontar da mesma forma. Os filhotes são fofinhos, descabelados, amáveis e muito gostosos de ficar abraçados. Mas infelizmente é verdade o que dizem sobre os problemas de saúde que costumam acometer a raça. A displasia de quadril, câncer, inchaço de estômago e outras doenças autoimunes são alguns dos problemas que assombram a raça. Eu tenho um macho há alguns anos, e por mais que eu não possa prever o futuro, é sempre bom ter consciência de que é preciso comprar um filhote ou um adulto de criadores renomados e com boa reputação que saiba do histórico médico e de saúde dos pais dele e outros parentes.

    Comprar de petshops ou locais que não possuem certificados só ajuda a propagar os problemas de saúde da raça que muitas vezes ocorrem de cruzamentos indevidos e irresponsáveis. Se voc6e nunca teve um cachorro desses pesquise bastante sobre a raça, ela precisa de muita liderança e treinamento para que o temperamento dele continue sendo amistoso, dócil e sensível. Eles precisam de muita socialização também para não se tornarem tímidos. Se você der à ele tudo o que el precisa vai ter um amigo fiel pra vida inteira.

Adicionar uma avaliação

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *