Menu fechado

Cane Corso Italiano

Avaliado como 5.00 de 5, com baseado em 2 avaliações de clientes
(2 avaliações de clientes)

Origem: Itália
Data de origem:
Grupo de Raças: FCI Grupo 2 – Cães de tipo Pinscher e Schnauzer, Molossóides e Cães de Montanha, e Boiadeiros Suíços / AKC Cães Trabalhadores.
Função original: cão de caça, guarda.
Função atual: cão de guarda, companhia.
Outros nomes ou apelidos: corso, mastife italiano.
Tamanho: porte grande.
Altura: Fêmeas de 60 cm a 64 cm / Machos de 64 cm a 68 cm.
Peso: Fêmeas de 40 kg a 45 kg / Machos de 45 kg a 50 kg.
Cores: fulvo, preto, rajado.
Pêlos: curto, rente à pele
Manutenção: fácil.
Expectativa de vida: cerca de 10 a 11 anos.
Filhotes: cerca de 4 a 6 filhotes de Cane Corso por cria.
Reconhecimento (Canil): ACA / ACR / AKC / APRI / DRA / FCI / NAPR / NKC.

Conteúdo em Audio:


O Cane Corso Italiano, também conhecido como Mastife Italiano, é uma antiga raça italiana de porte grande oriunda da Itália e altamente valorizada em seu país como cão de guarda, cão de companhia e cão de caça. O Cane Corso não é uma escolha apropriada para donos inexperientes e é mais adequado para quem tem mais experiência com cães de porte grande, fortes, inteligentes, ativos e teimosos. Leia mais sobre ele abaixo:

Índice de conteúdo:

Introdução à raça Cane Corso Italiano

cao-cane-corso-italiano-intro
Filhote de Cane Corso na cor chocolate. (Créditos/Copyright: “Por otsphoto/Shutterstock”)

O Cane Corso, também conhecido como Mastife Italiano, é uma antiga raça italiana de porte grande oriunda da Itália e altamente valorizada em seu país como cão de guarda, cão de companhia e cão de caça. Durante a Idade Média, estes cães eram caçadores incríveis e foram desenvolvidos para guardar propriedades e caçar animais de grande porte como javalis selvagens, mas sua origem, bem como a de outras raças, é antiga e imprecisa, embora alguns historiadores afirmem que os Cane Corsos sejam descendentes diretos de antigos molossos romanos de guerra.

O Cane Corso é o tipo de raça de cachorro para quem leva à sério ter um cão como companhia e para quem pode fornecer à ele uma liderança firme e ao mesmo tempo amável necessária para que ele seja um excelente cachorro. O Cane Corso precisa de um líder capaz de guiá-lo com firmeza e consistência sem usar a força ou crueldade. Eles sempre foram valorizados por caçadores e fazendeiros pela sua imensa força, lealdade, velocidade, coragem e vontade de trabalhar.

O Cane Corso não é uma escolha apropriada para donos inexperientes e é mais adequado a quem tem mais experiência com cães de porte grande, fortes, inteligentes, ativos e teimosos. Donos de primeira viagem e quem já teve apenas raças “dóceis” como retrievers, spaniels, ou raças “toy” não se aplicam.

Ele ama a sua família e é imensamente devotado à ela, mas não costuma demonstrar muito. Ele vai querer ficar por perto, mas não é exigente em termos de atenção ou contato físico. No entanto, é o tipo de cão “família-apenas” — não é do tipo que sai fazendo amizade com todo mundo que conhece: ele não tem interesse em pessoas ou outros animais fora do seu convívio familiar, mas a sua família terá sempre a sua lealdade e proteção incondicional.

Socialização frequente e desde cedo é essencial. Você deve adquirir um filhote de criadores que os criam em seus lares e os expõe a muitos outros locais e sons. Você deve continuar a socializá-los por toda a vida deles, introduzindo-os a diferentes pessoas e lugares sempre que tiver a chance. É a única forma deles aprenderem a diferenciar o que é normal e o que é uma ameaça de verdade. Mesmo assim, nenhuma quantidade de socialização é capaz de torná-lo tão amistoso com relação aos outros que não sejam da família. O Cane Corso é essencialmente um cão de guarda, e leva este seu trabalho muito à sério.

O Cane Corso deve estar sempre junto da sua família. Ele não é pegajoso, mas também não gosta de viver segregado à um canil ou jardim sem companhia ou atenção alguma, não é só cruel como também pode levá-lo a ter comportamentos agressivos e destrutivos. Dê à ele tarefas para fazer. Ele não costuma ficar deitado o dia inteiro sem nada para fazer e irá encontrar seus próprios “afazeres” se você não fornecer-lhe algo para se ocupar: normalmente latir para quem passa na rua, cavar buracos no jardim ou mastigar móveis e outros objetos. Se você viver em uma fazenda, rancho ou casa de campo, ele será capaz de ajudá-lo nas tarefas; ou se envolver em esportes caninos como agilidade, obediência ou tracking.

O Cane Corso possui um nível de atividade moderado e precisa destas atividades físicas para se manter equilibrado, o que pode ser desde caminhadas na coleira a treinamentos diários. Ele também precisa ser contido para não sair perseguindo gatos ou outros cachorros menores de vizinhos. O Cane Corso possui um instinto alto de predador e uma natureza territorial, por isso precisa de muros ou cercas sólidos capazes de mantê-lo em sua propriedade.

Até hoje o Cane Corso é usado em fazendas ou caçadas. A raça é poderosa e forte, e ainda possui uma má reputação por ser muito agressivo, considerado até uma das raças bully, mas se criado da forma adequada e com amor e respeito, o Cane Corso é capaz de ser uma excelente companhia.

Origem da raça Cane Corso Italiano

cao-cane-corso-italiano-origem
Cane Corso adulto preto deitado nas folhas secas de outono do parque. (Créditos/Copyright: “Por Kachalkina Veronika/Shutterstock”)

O Cane Corso Italiano é a raça original Cane Corso. Originada na Itália, a raça Cane Corso é descendente do “Canis Pugnax”, cachorros usados pelos antigos Romanos em suas guerras e conquistas, e intimamente relacionado ao Mastife Napolitano. Por anos ele tem sido uma companhia preciosa para a população italiana. Até um passado recente, a sua distribuição era limitada a algumas regiões do Sul da Itália, especialmente em Basilicata, Campani, Apúlia, Puglia, Lucania e Sannio, o que gerou-lhe uma excelente preservação.

Etimologia: segundo a língua italiana moderna, “Cane Corso” significaria “Cão da Córsega”, uma ilha bem próxima à Itália, porém a verdadeira etimologia da nomeação da raça é imprecisa. Segundo alguns autores, “Cane” é cão em italiano, e “Corso” vem do substantivo feminino em Latim “Cohors” que significa “quintal”, “pátio”, “protetor” e poderia ser interpretado como “Cão de quintal” ou “Cão que guarda o quintal ou a propriedade”; outros relatam também a possibilidade de “corso” derivar do termo Celta “corsus”, que significa “robusto” e também estar relacionado ao esporte de perseguir presas com cachorros através da visão ao invés do faro (coarsing). Há quem diga também que o nome deriva de “cane da corso”, um termo antigo para cães de guarda usados em atividades rurais para diferenciar daqueles que eram usados como cães de guarda ou guarda-costas.

Depois da queda do Império Romano, Cane Corsos, por serem versáteis, foram muito usados para muitas situações: cães de guarda para guardar propriedades, gado e até pessoas, além de ser usado também para caça. Mas, com as drásticas mudanças na vida rural do Sul da Itália no século XX, houve um declínio na raça devido a mecanização das fazendas aliada à industrialização e o final das Guerras Mundiais, e o Cane Corso passou a ficar cada vez mais raro até quase se extinguir por completo.

Por volta de 1970s, apenas alguns cães permaneceram em áreas remotas do sul da Itália. Foi quando um grupo de entusiastas começou a recuperar as atividades para trazer de volta a raça. Dr. Paolo Breber se interessou pela raça através de uma divulgação feita por Giovanni Bonnetti em 1973, que admirava a raça desde a sua infância. No ano seguinte, Breber adquiriu alguns exemplares e iniciou um programa de reprodução, que acabou ganhando o interesse de outras pessoas quando os cães foram publicados em um artigo de revista da época.

Com isso, a Sociedade Amatori Cane Corso foi formada em 1983, e por volta de 1994, a raça já havia sido aceita completamente pelo Clube de Canil Italiano (ENCI) como a 14a raça Italiana, e mais cachorros foram importados da Itália. A Associação Internacional Cane Corso foi formada em 1993. A FCI aceitou o Cane Corso em 1997, e 10 anos depois foi internacionalmente reconhecida.

Um homem chamado Michael Sottile foi quem importou a primeira ninhada de Cane Corsos para os Estados Unidos em 1988, seguindo de uma segunda ninhada em 1989. Já nos Estados Unidos, a AKC primeiro reconheceu o Cane Corso como raça do grupo miscelânea em 2008, e mais tarde em definitivo em 2010 como raça trabalhadora. Hoje a raça continua a crescer em popularidade e governada pela Cane Corso Associação da América.

Aparência do Cane Corso Italiano

cao-cane-corso-italiano-aparencia
Cane Corso preto de porte imponente deitado sobre a grama do jardim. (Créditos/Copyright: “Por Julia Remezova/Shutterstock”)

O Cane Corso é um Molosso Italiano, de parentesco próximo ao Mastife Napolitano, de porte médio à grande, compacto, de constituição forte e músculos longos, porém menos volumoso que outras raças Mastifes. A impressão geral deve ser de força, agilidade e resistência equilibrada com atleticismo e elegância.

Um Cane Corso deve ter uma pele grossa e moderadamente firme; no entanto, uma papada abaixo do pescoço é normal, e a parte de baixo da mandíbula definida por um beiço pendurado. A cabeça é a sua característica mais importante, grande e imponente, e não deve ter rugas. A testa deve ser lisa e convergente ao focinho, que é plano, amplo, profundo, retangular (quando visto de cima), e normalmente mais largo que comprido; aproximadamente 33% do comprimento total do crânio, e 50% maior em profundidade que o comprimento do focinho. O pescoço é levemente arcado, oval, forte e bastante musculoso. Os olhos possuem formato de amêndoa, retos e quando visto de frente, levemente acima da linha do focinho. A cor preferencialmente é escura, mas tende a imitar o tom da cor da pelagem.

Tradicionalmente, as orelhas são cortadas em formato triangular para ficar eretas, no entanto, como a prática não é legal em vários locais, Cane Corsos com orelhas naturalmente penduradas sobre a cabeça, levemente abaixo do nível dos olhos, estão ficando cada vez mais comuns. A cauda do Corso é tradicionalmente amputada levemente longa até a 4a vértebra. Porém, com os “modismos” em cirurgia cosmética para mudanças em cachorros, muitos Cane Corsos hoje possuem suas caudas longas ao natural, que são carregadas de forma ereta, e nunca curvada para as costas.

O Cane Corso possui basicamente duas cores de pelagem: preto e castanho, com algumas variações de tonalidade. Mais tarde foi modificado por diluição de pigmento genético para criar as cores “blue” ou “azul” (cinza, do preto) e “frumentino ou formentino” (do castanho, em que a máscara na face é cinza ou preta não excedendo a linha dos olhos). O malhado ou rajado de intensidade variada é comum nas duas cores, criando o “Tigrado” (preto malhado), e o “Grigio Tigrado” (cinza malhado). Marcas brancas são comuns no peito, ponta dos pés, queixo e no focinho, mas manchas muito grandes não são bem vistas.

A pelagem é curta, macia, densa, com uma textura vítrea, brilhante, porém nunca sedosa, mas aderente, dura, com uma camada mais grossa no inverno. Na cernelha, garupa, atrás nas coxas e na cauda é um tanto mais comprida criando franjas. No focinho o pêlo é bem curto, macio, aderente.

Ambiente Ideal para o Cane Corso Italiano

cao-cane-corso-italiano-ambiente
Cane Corso filhote cinza deitado na frente de casa.(Créditos/Copyright: “Por Utekhina Anna/Shutterstock”)

O Cane Corso pode até viver em um apartamento desde que seja muito exercitado e tenha muitas oportunidades de conviver com áreas externas. O ideal é que ele viva em locais com muito espaço, tanto interno quanto externo com abrigo adequado e chances de estar perto da sua família em vários momentos. O Cane Corso é mais adequado a uma família com crianças mais velhas (de 9 anos ou mais) ao invés de uma família com bebês ou crianças pequenas devido ao seu porte grande, além do tempo e esforço necessário para supervisionar de perto as interações entre o cão e as crianças.

Temperamento & Personalidade do Cane Corso Italiano

cao-cane-corso-italiano-temperamento
Cane Corso brincando com um brinquedo sobre a grama do jardim. (Créditos/Copyright: “Por Lenkadan/Shutterstock”)

O temperamento de qualquer cão é afetado por inúmeros fatores, incluindo hereditariedade, treinamento, e socialização. Como todo cão, o Cane Corso precisa de socialização desde filhote — o exponha à diferentes pessoas, locais, sons, cenas e experiências. A socialização deve ser feita o mais cedo possível, de preferência antes dos 4 meses de idade, e ajuda a garantir que o seu Cane Corso cresça saudável, sem medo de estranhos, crianças, outros animais ou de ficar sozinho quando necessário, para tornar-se um cão bastante sociável.

Sem muita experiência do mundo, uma raça como o Cane Corso, pode facilmente se tornar medroso ou agressivo. Quanto mais ele for socializado, melhor será para ele conseguir determinar o que é um comportamento normal e quais ações irão exigir que ele reaja de forma protetora. Outra forma de ajudar o Cane Corso a desenvolver a sua confiança é deixar que ele fique uns períodos sozinhos. Pode ser no jardim, canil ou até mesmo na sua caixa canina enquanto você estiver ocupado pela casa e não pode supervisioná-lo. Ficar sozinho por vários períodos o ensinará que é ok ficar só e que você sempre volta.

Cane Corsos possuem um histórico de temperamento vigoroso, mas bastante estável, sempre pronto para qualquer desafio. Mas este tipo de temperamento pode ser uma faca de dois gumes. No ambiente correto e com um dono confiante e firme, que forneça uma liderança adequada Cane Corsos podem ser também animais de estimação muito leais, ávidos para agradar, dóceis e amáveis com seus donos e ainda perfeitamente capazes de lidar bem com estranhos que não ofereçam uma ameaça à sua família, mas nas mãos erradas ele pode ser um perigo. Apesar do seu tamanho, o Cane Corso é sempre calmo e quieto ao redor da casa e ótimo com crianças, desde que mais velhas.

Portanto, ele não é recomendado para pessoas que não possuem experiência com cachorros. Ainda quando filhote, o Cane Corso exige uma liderança forte e treinamento consistente, além de ser fortemente encorajado começar uma socialização logo que possível. Ele precisa de um dono bem experiente que saiba como apresentar uma autoridade natural sobre ele. Ele pode ser agressivo com com estranhos e outros cachorros se não for socializado ou se achar que está acima dos humanos na ordem do bando. Por isso além de socialização constante desde cedo, ele também precisa de treinamento de obediência completo. Se um Cane Corso é completamente treinado por um dono firme, confiante e consistente, que saiba colocar as regras e impor limites para o que pode ou não fazer, além de fornecer exercícios físicos e estímulos mentais adequados, o Cane Corso é capaz de ser um companheiro muito agradável. É importante aprender o que o instiga e tratá-lo de acordo. Quando criados da forma correta, Cane Corsos são submissos a todos os membros da família.

Idealmente o Cane Corso deve agir de forma indiferente quando abordado e deve reagir de maneira protetora apenas quando uma ameaça real se apresentar. Muito ativo, ele é um excelente cão de guarda capaz de ser terrivelmente protetor e corajoso quando necessário, porém bastante gentil na companhia da sua família. Ele não costuma fugir de casa ou vaguear pelas redondezas, gosta de ficar perto de seus donos.

O Cane Corso não é um cão de luta. Eles foram criados para ser cães trabalhadores poderosos, exigido a funcionar sob fortes níveis de stress. Um Cane Corso que não consegue manter o seu temperamento equilibrado em situações estressantes não tem o temperamento correto para a raça. Corsos não saem a procura de encrenca ou por uma boa “briga”, mas por outro lado, não fugirão ou desistirão de outros cães que tentarem dominá-los devido a sua alta tolerância à dor.

O Cane Corso é muito inteligente, naturalmente teimoso com uma personalidade dominadora. Estas características que fazem dele um excelente protetor da sua família e propriedade combinadas a sua natureza mandona e sua tendência natural de assumir o controle, é fácil ver como ele dominaria rapidamente o seu lar e quem for incapaz de estabelecer o seu papel de líder do bando e controlar o seu comportamento.
Ele irá testar o seu dono para ver até onde ele poderá de ir. É muito importante deixar que ele saiba desde o início quais são as regras e garantir que todos os familiares entendam as regras também.

Institua uma política de “nada na vida é de graça” exigindo que ele desempenhe comandos como “Senta” ou “Deita” antes de dar à ele comida, biscoitos ou um brinquedo. Mas lembre-se, liderança firme não significa bater no cachorro ou agir com violência — NUNCA. Esta atitude não só envia uma mensagem errada, mas também pode ser muito perigosa em relação a um cachorro deste porte tão grande.

O Cane Corso é sensível a ponto de entender o tom de voz e responde muito bem a elogios e recompensas quando ele faz algo que você deseja, assim como a correções firmes, rápidas e aplicações consistentes de regras quando não gostar do que ele estiver fazendo. Permanecer calmo, quieto e seguro será muito mais vantajoso ao lidar com este tipo de cachorro, muito mais que ter acessos de raiva. Consistência permite que o Cane Corso relaxe e saiba que você está no comando.

Não permita que ele se safe com comportamentos do tipo como rosnar ou avançar quando for tocado ou movido, ou quando não quiser sair para fora ou seguir em uma certa direção quando estiver de coleira. Ele também não deve agir dessa forma quando alguém chegar perto demais dos seus brinquedos ou comida. Subir em cima das pessoas também não é apropriado. Uma decisão rápida e decisiva é necessária para reafirmar a sua autoridade como líder do bando nestes casos. Para evitar estes tipos de mal comportamentos tente trabalhar junto de um treinador que entenda o cérebro de raças como estas.

Sem uma liderança adequada em que as regras e limites estejam bem claros, Cane Corsos podem rapidamente de tornarem autoritários, simplesmente porque a maior parte das pessoas costumam tratá-los de forma inadequada, sem que haja uma liderança firme e clara, causando assim alguns comportamentos negativos no cachorro. Até as crianças devem aprender a lidar com o cachorro e serem seus líderes.

Qualquer cachorro que apresente comportamentos como rosnar, surtar ou morder, está demonstrando que falta liderança. Estes problemas costumam surgir quando a pessoa não consegue distinguir um comportamento natural canino e confunde com emoções humanas, acabando com um cão que pensa que é o dono da casa. Sendo uma raça de porte grande, o seu dono PRECISA entender e seguir à risca o conceito de como manter um cachorro na linha em casa. Estes problemas podem ser corrigidos logo que os humanos passarem a ter controle sobre o cachorro.

Cane Corsos equilibrados que possuem donos que não permitem que eles desenvolvam comportamentos induzidos por humanos em que o cão acredita ser o líder deles, não irão apresentar estes comportamentos negativos. Corsos que possuem líderes firmes, confiantes e consistentes e que recebem estímulos mentais e físicos suficientes serão sempre excelentes companhias para a família.

O Cane Corsos perfeito não nasce perfeito, ele é produto da sua hereditariedade e criação. Seja lá o que você deseja dele, procure por um que tenha tido pais com boa personalidade e que tenham sido socializados desde filhotes. Qualquer cão pode desenvolver níveis desagradáveis de latidos, cavações e outros comportamentos inadequados se estiver entediado, destreinado ou não supervisionado.

Compre um filhote que tenha sido criado em casa e tenha certeza de que ele foi exposto a diferentes locais e sons, assim como pessoas antes de ir para outro lar. Continue socializando-o sempre levando a casa de amigos e vizinhos, assim como a passeios públicos. Antes de comprar um filhote, procure saber como escolher o filhote ideal e não deixe de conversar com o seu criador, descreva exatamente o que você procura em um cãozinho, e peça ajuda para escolher um filhote. Os criadores costumam conviver com filhotes todos os dias e podem dar excelentes recomendações uma vez que saibam um pouco sobre o seus estilo de vida e personalidade.

Os filhotes que possuem bons temperamentos costumam ser curiosos e brincalhões, costumam se aproximar das pessoas e gostam de ser carregados por elas. Escolha sempre o filhote que seja um meio-termo, não aquele que estiver mordendo ou judiando dos outros filhotes, nem aquele que estiver timidamente acuado em um cantinho. Tente sempre conhecer um de seus pais — normalmente é a mãe que fica disponível — para garantir que que ele tenha um temperamento que te faça sentir-se confortável com ele. Conhecer irmãos ou outros parentes também ajuda a avaliar como o filhote será na idade adulta.

Cuidados e Manutenção do Cane Corso Italiano

cao-cane-corso-italiano-cuidados
Cane Corso adulto preto sobre a cerca do jardim. (Créditos/Copyright: “Por EKATERINA SOLODILOVA/Shutterstock”)

Comece a acostumar o seu Cane Corso à ser escovado e examinado desde filhote. Mecha em suas patas com frequência — os cães costumam ser sensíveis com relação às suas patas — e olhe dentro de sua boca e orelhas. Torne essa manutenção uma experiência positiva cheia de elogios e recompensas, e assim você irá construir a base para exames veterinários e idas ao petshop mais fáceis de se lidar. Uma introdução cedo mostra para o independente Cane Corso que manutenção é um hábito normal da sua vida, e o ensina a aceitar com paciência todo o processo.

Ao checá-lo, procure por machucados, arranhões, feridas ou sinais de infecção como vermelhidão, inchaço, ou inflamação na pele, nas orelhas, nariz, boca, olhos e patas. Este rápido exame pode levar a diagnósticos mais cedo e evitar maiores problemas de saúde. Escove os seus dentes 2 ou 3 vezes na semana para remover tártaro e bactéria que proliferam dentro da boca – diariamente é ainda melhor para prevenir gengivite e mau hálito e ainda evitar o caimento precoce dos dentes.

Corte suas unhas uma ou duas vezes ao mês se não forem gastas naturalmente para evitar lágrimas dolorosas e outros problemas. Se você pode ouvir suas unhas batendo no chão, elas estão longas demais. Unhas caninas possuem artérias, se você cortá-las demais causará sangramento — e o seu cão pode não querer cooperar nas próximas vezes. Por isso, se você não tiver experiência ou não se sentir confiante para a tarefa, procure ajuda profissional. Cheque também suas orelhas uma vez por semana por sujeira, vermelhidão ou mau cheiro que possam indicar infecções. Limpe-as semanalmente usando loção de de PH equilibrado para evitar maiores problemas.

É muito simples cuidar do Cane Corso, pois além de ter pêlos muito curtos, também não solta e por isso não requer muitos cuidados, embora o seu tamanho signifique uma grande tarefa. Uma passada de pano úmido e escovações ocasionais (1 vez por semana) com o material adequado para remover os pêlos mortos deve ser o suficiente. Use um condicionador para abrilhantar os pêlos e facilitar a escovação. Dê banhos a cada 3 meses (ou quando estiver sujo) usando um shampoo canino suave. Alguns Cane Corsos costumam babar bastante, especialmente durante as estações mais quentes ou depois de beber água, por isso sua boca deve ser limpa regularmente. Os olhos também devem exigir cuidados profissionais, pois lacrimejam bastante e podem causar irritação.

E por fim, esteja preparado para a quantidade de cuidados, trabalho e principalmente e contas que vem junto com uma raça de porte grande. Cachorros grandes costumam ter custos altos. Haverá maior quantidade de fezes para catar, produtos essenciais para a sua manutenção, fora que cirurgias são mais caras para cães maiores que menores, assim como anestesia e medicamentos.

Saúde do Cane Corso Italiano

cao-cane-corso-italiano-saude
Dupla de Cane Corsos adultos interagindo juntos no gramado da propriedade. (Créditos/Copyright: “Por Dora Zett/Shutterstock”)

Assim como acontece com cães de todas as raças, o Cane Corso também tem predisposição a ter determinados distúrbios e doenças ao longo da vida. Isso, no entanto, não significa que todos os indivíduos da raça terão as doenças que serão descritas no artigo, e sim que há chance de desenvolvê-las. Portanto, é muito importante que o tutor conheça os riscos para preveni-los ou tratá-los o quanto antes.

Primeiramente, quando decidimos comprar um cão de uma raça específica, é muito importante comprá-los de criadores éticos e responsáveis. Por isso, procure conhecer o trabalho do criador e os pais do seu filhote.

Verifique se os pais possuem alguma doença que possa ser eventualmente transmitida à próximas gerações. Questione o criador sobre isso.
Fatores anatômicos do Cane Corso

Primeiramente, o Cane Corso é uma raça braquicefálica, ou seja, possui focinho curto. Portanto, já por causa desta característica, cães desta raça são predispostos à chamada síndrome braquicefálica.

Trata-se de múltiplas anormalidades anatômicas que impedem o fluxo de ar através das vias aéreas superiores, causando uma sintomatologia clínica característica, como respiração ruidosa, cianose e, em casos mais graves, síncope.

Distúrbios ligados à característica das raças braquicefálicas

Graças às características anatômicas da raça, estes cães, como explicado anteriormente, possuem predisposição a uma série de problemas respiratórios. Os sinais destes problemas acentuam-se principalmente durante o estresse, cansaço, no aumento da atividade física e em temperaturas elevadas.

Estenose das narinas

Estenose, ou simplesmente estreitamento das narinas, é um dos fatores que provocam problemas respiratórios em cães. Dependendo do caso, a correção cirúrgica é possível.

Palato alongado

Todos os cães braquicefálicos tem o palato mole alongado. Entretanto, em alguns cães, este alongamento causa mal estar e diminui a qualidade de vida. A entrada da porção alongada do palato mole na laringe, interfere no movimento de passagem do ar para a traqueia. Quando ocorre a estenose de vias aéreas, a severidade da dispneia aumenta, pois a resistência do ar causada por este estreitamento reduz a passagem de ar.

O cão com este problema pode engasgar facilmente, apresentar vômitos, dificuldade de deglutição, ruídos respiratórios, baixa tolerância ao exercício e, ocasionalmente, falta de ar. Além disso, podem ocorrer desmaios com ou sem cianose. Por esta razão, roncam e possuem os chamados “espirros em reverso”.

Hipoplasia traqueal

Como mencionado anteriormente, a traquéia do cão braquicefálico pode ser mais estreita em alguns pontos. Por este motivo, o risco anestésico é maior do que o normal nessas raças.

A anestesia indicada para cães braquicefálicos é, portanto, a inalatória. Isso porque o processo anestésico pode ser interrompido a qualquer momento pelo veterinário anestesista, diminuindo muito os riscos.

Hipertermia

Para o cão, a redução drástica da respiração nasal significa a perda do seu principal órgão termorregulador. Isso, impede que liberte o calor corporal em quantidade suficiente.

Consequentemente, pode ocorrer o aumento da temperatura corporal interna, o que pode, por sua vez, induzir colapso e morte. Cães braquicefálicos são, portanto, os principais candidatos a sofrerem “ataques de calor”. Por isso, o tutor de um cão desta raça deve tomar cuidado a fim de não deixar o cão ficar muito acima do peso e/ou fechado em ambientes abafados nos climas mais quentes.

Problemas oculares

Cães da raça Cane Corso desenvolvem mais frequentemente os seguintes distúrbios:

  • Cherry Eye – Conhecido na veterinária como prolapso da glândula da terceira pálpebra. Ocorre por flacidez dos ligamentos que sustentam a glândula da terceira pálpebra, principalmente, em filhotes. Desta forma, a glândula sai e fica exposta. A correção é cirúrgica.
  • Entrópio – Malformação que causa o reviramento da pálpebra para dentro causando sérias irritações que podem levar à graves doenças no olho do animal. O Entrópio pode acometer a pálpebra superior ou a inferior de um olho ou de ambos os olhos. Pode ser de origem congênita ou adquirida.
  • Problemas ortopédicos
    O Cane Corso é um cachorro de porte gigante. Por isso, cachorros desta raça costumam ter, com certa frequência, problemas relacionados ao crescimento rápido. É extremamente importante que cães desta raça sejam corretamente alimentados quando filhotes. A nutrição completa e balanceada poderá evitar muitos distúrbios de crescimento.

    Os problemas mais comuns nestes cães são:

    • Displasia coxofemoral
    • Displasia de cotovelo
    • Osteossarcoma

    Displasia coxofemoral

    A displasia coxofemoral é o distúrbio mais comum em cães de grande porte, que tem crescimento muito rápido. Trata-se de uma instabilidade causada pela alteração no acetábulo, colo e cabeça do fêmur.

    Hereditariedade e o ambiente em que o cachorro vive influenciam, certamente, o surgimento da enfermidade. Por ser transmitido geneticamente, machos e fêmeas que tenham esse problema de saúde não são recomendados para reprodução.

    O animal pode começar a desenvolver essa complicação ainda quando jovem. Normalmente surge entre quatro meses e um ano de idade.

    Displasia do cotovelo

    A displasia do cotovelo é uma doença degenerativa muito frequente em cães jovens. É transmitida geneticamente, todavia pode estar relacionada também à alimentação, manutenção do peso, ambiente, qualidade dos ligamentos, excesso de exercício físico ou traumatismos.

    Os primeiros sintomas podem começar a aparecer aos 4-5 meses. O cachorro pode, então, mostrar intolerância ao exercício e claudicação ao iniciar um movimento ou depois de um exercício prolongado. Entretanto, alguns cachorros podem não apresentar sinais até a idade avançada. Nestes casos, é comum que a condição seja acompanhada de osteoartrite.

    Osteossarcoma

    Este é o nome de um tumor maligno ósseo muito comum em cães de porte grande e gigante. Na maioria dos casos, começa a se desenvolver na região dos joelhos e/ou cotovelos dos cães e, embora possa afetar animais de todas as idades, é mais frequente em cachorros adultos e idosos.

    Além disso, este câncer causa metástase de maneira extremamente rápida. Por isso, muitos dos cães, ainda no momento do diagnóstico, já podem apresentar chances baixas de sobrevida.

    Sistema digestório

    Torção Gástrica

    A torção gástrica, também conhecida como dilatação vólvulo gástrica, é um distúrbio comum em cães de portes grandes e gigantes. É um quadro considerado emergência veterinária pois seu desenvolvimento é repentino e pode levar à morte em poucas horas (6-12 horas).

    É uma condição na qual o estômago do cachorro vira, torcendo, assim, os canais de entrada e saída do órgão, além dos vasos sanguíneos. Por isso ocorre com mais frequência em cães de porte grande, já que possuem tórax profundo.

    Dessa forma, o alimento contido no estômago fica retido e fermenta. A fermentação produz gás que fica aprisionado e, por isso, aumenta consideravelmente o volume estomacal, o que acaba comprimindo ainda mais os vasos e canais.

    Portanto, o animal além de não conseguir eliminar o gás e/ou alimento retido por via oral ou intestinal, também não tem mais uma circulação sanguínea adequada podendo ocorrer necrose por estrangulamento da parede gástrica e de outros órgãos.

    Disturbios dermatológicos

    Por terem muitas pregas, o Cane Corso tem tendência a apresentar intertrigo, nome dado ao distúrbio causado pelo atrito de dobras cutâneas.

    Acomete as regiões de pregas e dobras cutâneas tais como as pregas da face dos cães braquicefálicos. Além disso, pode acometer pregas labiais, peri-vulvares, caudais, axilares, inter-mamárias ou de outras regiões corpóreas em raças que possuem excesso de pele.

    Por serem locais abafados, com retenção de umidade e protegidos do sol, são ambientes ideais para proliferação bacteriana.

    Outras observações

    O Cane Corso, assim como todos os outros cachorros, pode desenvolver outras doenças ao longo da vida, mesmo não tendo predisposição racial. O acompanhamento do médico veterinário, assim como conhecer bem seu próprio cachorro é, portanto, essencial para detectar precocemente a presença de alguma patologia.

    Todos os cães possuem o potencial para desenvolver problemas genéticos de saúde, assim como todas as pessoas possuem potencial para herdar doenças. É sempre uma boa ideia perguntar a criadores quais os problemas que possam existir em suas linhagens. Um criador honesto e de boa reputação sempre estará a disposição para discutir a saúde de seus cachorros, seja boa ou má. Corra de qualquer criador que não ofereça uma garantia de saúde de seus filhotes, e não garanta que a sua raça seja 100% saudável e não tenha nenhum problema.

    Criadores cuidadosos costumam investigar e testar seus cães para evitar doenças genéticas e reproduzir apenas as espécies mais saudáveis e de melhor aparência, mas às vezes a Mãe Natureza possui outros planos. Um filhote pode desenvolver uma destas doenças mesmo em reproduções cuidadosas.

    Avanços na medicina veterinária hoje garantem que na maioria das vezes os cães podem ter uma qualidade de vida. Se estiver pensando em comprar um filhote, pergunte ao criador sobre as idades dos cães em sua linhagem e as causas mais comuns de morte.

    Lembre-se que depois de levar um filhote para casa, você tem a responsabilidade de protegê-lo de um dos problemas caninos mais comuns: a obesidade canina, inclusive uma das tendências da raça.

    Manter o seu Cane Corso em um peso adequado é uma das maneiras mais fáceis de garantir saúde e qualidade de vida ao seu cachorro. O Cane Corso costuma viver cerca de 10 a 12 anos, entretanto, com os devidos cuidados, é possível estender sua longevidade canina.

    (Correções e revisões feitas pelo médico(a) veterinário(a) Dra. Valentina Vecchi, CRMV/SP:21838)

    Atividade & Exercícios do Cane Corso Italiano

    cao-cane-corso-italiano-atividades
    Cane Corso preto correndo solto feliz pela praia. (Créditos/Copyright: “Por Sbolotova/Shutterstock”)

    O Cane Corso é uma raça bastante atlética que precisa muito de exercícios regulares para se manter saudável, ativa e em forma. Eles podem ser companhias excelentes para corridas, que se não forem diárias, que eles sejam levados para fazer caminhadas de pelo menos 1hr de duração, manhã e noite, todos os dias, ou ainda 90 minutos de atividades físicas. Se você gosta de andar de bicicleta, ele vai adorar correr ao lado.

    Pegue leve com os filhotes. O sistema esquelético deles não está completamente desenvolvido até que eles tenham 18 meses, portanto embora eles precisem de mais caminhadas para ajudar a queimar energia, estas caminhadas devem ser mais curtas e mais devagar.

    Para estimulação mental, dê à ele uma tarefa para fazer. Um bom trabalho para o Cane Corso inclui pastorear gado, aprender truques, praticar habilidades de obediência ou ficar envolvido em competições caninas. Gaste pelo menos 20 minutos por dia nestas atividades, se precisar dividir: por exemplo, 10 minutos pela manhã e 10 minutos de noite. Enquanto caminha, ele deve sempre se manter ao lado ou atrás da pessoa que segura a guia, para que ele saiba quem é o líder. As brincadeiras podem até suprir suas necessidades físicas, no entanto, como em toda raça, apenas brincar não irá suprir seu instinto primário de caminhar. Cães que não fazem suas caminhadas diariamente são mais suscetíveis a apresentar problemas de comportamento.

    Nunca permita que o Cane Corso fique solto, uma cerca ou muro sólido e seguro são necessários, nada o deterá se ele decidir deixar a propriedade e não protegerá o cachorro ou gato do vizinho se eles invadirem o seu jardim.

    O importante é dar os estímulos certos e mais adequados à idade, condições de saúde e nível de atividade da raça do seu cachorro. Para entender melhor o que pode ou não pode ser feito em termos de exercícios e estímulos, é preciso saber como estimular a mente do seu cão, e ter sempre em mente quais são os cuidados básicos na hora de exercitar o seu cachorro. Existem diversos motivos para exercitar e estimular o seu cão, mas o mais importante deve ser a saúde física e mental dele, sem falar que um cachorro saudável pode viver por muito mais tempo ao seu lado.

    Treinamento do Cane Corso Italiano

    cao-cane-corso-italiano-treinamento
    Cane Corsos pretos juntos recebendo seus comandos durante treinamento. (Créditos/Copyright: “Por Halina Valiushka/Shutterstock”)

    Comece o treinamento do seu filhote no primeiro dia que ele chegar em casa. Mesmo com cerca de 8 semanas de vida ele é capaz de absorver tudo aquilo que você quiser ensiná-lo. Não espere que ele tenha 6 meses de idade para iniciar o treinamento dele e você terá um cachorro bem mais teimoso para lidar.

    O Cane Corso não é recomendado para qualquer dono. Ele é muito poderoso e pode ser dominante se não estiver no lar certo. Cane Corso Italianos são animais enormes de mente própria, por isso donos inexperientes devem pensar duas vezes antes de adquirir esta raça. Ele deve aprender a se submeter a todos os membros da família, e treinamento de obediência é altamente recomendado. Seu dono deve ser firme e consistente sempre.

    Uma variedade de métodos de treinamento servem para raças teimosas como esta raça. O Cane Corso é muito inteligente e fácil de ser treinado por ser ágil. Ele é versátil e pode aprender rapidamente uma variedade de tarefas e truques. Quando o treinamento é divertido, ou seja, mistura técnicas de adestramento com diversão, o resultado é sempre muito mais positivo. Algumas dicas de como se divertir exercitando o seu cachorro poderão ajudar você a treiná-lo brincando. É importante conhecer o seu cão e entender quais são as atividades preferidas do cachorro.

    O treinamento da caixa pode ser algo também fortemente recomendado para o Cane Corso. Não só ajuda no treinamento dentro de casa, mas também serve como um espaço para se acalmar e relaxar, além de evitar que ele saia mastigando tudo por ai enquanto você estiver fora. A caixa é apenas uma ferramenta, não uma jaula, por isso não mantenha-o preso ali por longos períodos. O melhor lugar para o seu Corso é sempre com você.

    Ensinar o seu cachorro a deitar, sentar e ficar no lugar é vital para o treinamento de um filhote, procure se informar sobre como adestrar o seu cachorro, é muito comum cometer erros durante o processo de treinamento.

    Atenção tutores! Todo o conteúdo publicado no portal Vidanimal é de caráter APENAS informativo e não pretende substituir o aconselhamento médico ou a consulta veterinária com relação à sintomas, tratamentos ou diagnósticos.

    O nosso compromisso e objetivo é levar a informação até você através de conteúdos relevantes e gratuitos sem qualquer pretensão de prescrever substâncias, receitas, remédios ou tratamentos veterinários ou de substituir a opinião e orientação de profissionais especializados e qualificados em suas respectivas áreas de atuação.

    O Vidanimal Não recomenda que seus leitores façam tratamentos ou utilize substâncias em seus animais por conta própria, mesmo que naturais, sem a indicação de um veterinário. Não automedique o seu animal sem antes consultar um veterinário!

    Assim, por mais completo e detalhado que o artigo aqui publicado venha a ser, ele é apenas complementar e para fins informativos. Portanto, nenhum conteúdo aqui produzido substitui uma consulta veterinária.

    Os conteúdos aqui fornecidos não possuem qualquer tipo de garantia, sendo a sua utilização de risco assumido pelo próprio usuário. No entanto, jamais publicaremos alguma informação ou produto que não tenha sido pesquisado, que não tenha respaldo técnico ou que não tenha sido avaliado por um especialista.

    Todas as correções e revisões passam pela nossa equipe editorial, sendo avaliadas pelos profissionais capacitados de nossa equipe.

    Correções e revisões feitas pelo médico(a) veterinário(a) Dra. Valentina Vecchi, CRMV/SP:21838

2 avaliações para Cane Corso Italiano

  1. Avatar
    Avaliação 5 de 5

    Marcos

    Eu tenho um Cane Corso preto, macho há alguns anos, e simplesmente não vivo sem ele. Há pouco tempo atrás pegamos mais um filhote, outro macho. Os dois estão interagindo muito bem. São cachorros fortes, de muita personalidade. Verdadeiros guerreiros. São amáveis e muito brincalhões, mas guardam minha propriedade como ninguém. Adoro correr com eles pelo quintal, dar côcos verdes para eles descascarem nos dentes, me mebolar na grama junto deles. São meus ursos babões! Cane Corsos precisam de muita atividade, liderança firme e treinamento para que eles desenvolvam o respeito mútuo que deve-se ter entre dono e cachorro. É uma raça muito fiel, guardiã por natureza, capaz de defender a sua família até o fim da vida. Não teria outra raça.

  2. Avatar
    Avaliação 5 de 5

    Tomas

    Os cane corso dão se bem com gatos??????

    • Equipe Editorial

      Equipe Editorial

      Oi Tomas,
      Cada cachorro virá com um temperamento específico, não dá pra apenas confiar no padrão de raça. Isso vai depender muito da quantidade e da maneira como voc6e irá fazer a socialização do cachorro com os outros animais da casa, no caso o gato.

Adicionar uma avaliação

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *