Bull Terrier

cao-bullterrier
(Créditos/Copyright: "Eric Isselee/Shutterstock")
Bull Terrier
5.00 out of 5 based on 1 customer rating
(1 avaliação de cliente)

Origem: Reino Unido
Data de origem: 1830, século XIX
Grupo de Raças: FCI Grupo 03 – Cães Terrier – do tipo bull / Mastiff / AKC Grupo Terriers.
Função original: cão de briga
Função atual: cão de companhia
Outros nomes ou apelidos:
Tamanho: porte pequeno
Altura: Padrão de 51 cm a 61 cm / Miniatura de 25 cm a 33 cm
Peso: Padrão de 20 kg a 36 kg / Miniatura 11 kg a 15 kg
Cores: branco com manchas na cabeça; e outras cores, ou qualquer cor com manchas brancas.
Pelos: curtos, lisos, rente à pele.
Manutenção: fácil, escovações semanais.
Expectativa de vida: cerca de 10 a 12 anos
Filhotes: de 1 a 9 filhotes, padrão de 5 filhotes.
Reconhecimento (Canil): CKC, FCI, AKC, UKC, KCGB, CKC, ANKC, NKC, NZKC, APRI, ACR, DRA, NAPR, ACA.

Categoria

Introdução à raça Bull Terrier

cachorro-bullterrier-intro
Dupla de Bull Terriers totalmente brancos deitados juntos no banco do parque. (Créditos/Copyright: “otsphoto/Shutterstock”)

O Bull Terrier foi originalmente desenvolvido no século XIX aproximadamente em 1830, para ser usado em um esporte de combate popularmente conhecido por “rinhas de briga”. A raça originou-se do cruzamento entre o Buldogue e o antigo, e hoje extinto, Terrier Branco Inglês com um pouco de Pointer Espanhol na sua linhagem.

Mais tarde, foram substituídos pelo Cavalier Branco e desde então já foram usados para muitas outras coisas, companhia de nobres cavaleiros ingleses, animal de estimação, cão de guarda, vigia, caçador de ratos, pastor e cão de exposição.

Antigamente os Buldogues eram utilizados em combates contra touros, por isso o nome que vem do inglês “Bull”, designando touro. Uma vez implementada a lei que proibia as lutas de animais, iniciaram-se, clandestinamente, estas “rinhas” entre os próprios cães. Como os Buldogues mordiam e sufocavam até o término do combate, os mais aficionados começaram a cruzá-los com cães mais ágeis e valentes, os Terriers Brancos Ingleses, caçadores de lobos e raposas. Sob o nome de Buldogue Terrier, mais tarde simplificado para apenas Bull Terrier, surgiram os primeiros exemplares de uma nova raça distinguida pela sua longa cabeça oval.

Fisicamente, o Bull Terrier é corpulento, de estrutura forte e sólida, musculosa e simétrica, com um andar leve e desenvolto, uma personalidade engraçada e brincalhona, sempre com uma expressão viva. Seu temperamento é classificado como equilibrado, disciplinado, devotado, amável, assertivo e muito levado. Possui duas variações, padrão e miniatura, sendo a última mais agressiva com outros cães e animais menores. Costuma se dar bem com todo tipo de gente, inclusive é uma das melhores raças para crianças e pode ser um excelente animal de estimação para qualquer tamanho de lar. Possui necessidades físicas moderadas, mas precisa se exercitar tanto fisicamente como mentalmente diariamente para não descontar toda a energia acumulada pela casa.

O Bull terrier é uma raça criativa que costuma pensar de forma independente e ser teimosa. Ele precisa de alguém que seja capaz de reforçar as regras da casa constantemente, senão ele tentará fazer as suas próprias.

Por esta razão, não é uma raça adequada a pessoas tímidas e inexperientes com cachorros. Para obter sucesso ao treiná-lo é necessário muita paciência, liderança e consistência. Os Bull Terriers costumam ser amigos de todos, mas devido à sua função original de cão de briga, seus instintos agressivos costumam pesar. É melhor iniciar o treinamento cedo e logo estabelecer quem manda. Para que se comportem bem com crianças e outros animais eles devem ser socializados desde cedo. Entre os principais problemas de saúde causados pela sua seleção artificial está a surdez e alergias possivelmente causadas por certos alimentos, mordidas de insetos ou pólen.

No geral, é de manutençãoo fácil, pois solta pouca quantidade de pelos e precisa apenas de algumas escovações na semana. Por ser muito afetuoso e leal à sua família, ele adora estar na companhia de pessoas o tempo inteiro e não fica contente se deixado sozinho por longos períodos de tempo, podendo ficar destrutivos se entediados.

Se você estiver pronto a encarar o desafio de criar um Bull Terrier, você terá uma companhia leal e afetuosa, sempre pronta a entretê-lo e se atirar a uma nova aventura – a vida com o Bull Terrier nunca será um tédio.

Origem da raça Bull Terrier

cachorro-bullterrier-origem
Bull Terrier filhote roendo a casca da árvore no parque. (Créditos/Copyright: “dezi/Shutterstock”)

No início de 1800, os cruzamentos entre Buldogues e Terriers eram muito populares para que se chegassem a raças fortes, com o domínio de luta e grande resistência à dor. Era uma época em que os combates entre Buldogues e touros, chamados de “Bull-baiting” eram formas de entretenimento muito comuns na Inglaterra e entre os Europeus, por esta razão os organizadores estavam sempre testando cruzamentos que pudessem criar o melhor cão de luta.

“Bull-baiting”, que na tradução livre pode ser entendida como “isca de boi” é um termo usado para descrever a ação de amarrar um animal (geralmente urso ou touro) a um mastro para servir de isca, para depois ser atacado por este tipo de cão.

Bull Terrier de rinha

Depois que as lutas com touros foram proibidas, amantes do “esporte” decidiram continuar com as lutas clandestinas apenas entre os cães, mas para tanto precisavam criar um cão maior que pudesse atacar de maneira ainda mais ágil. Foram feitos cruzamentos entre Buldogues com o Antigo Terrier Inglês, adicionando depois o Pointer Espanhol; para assim criar a raça Bull Terrier, um cão tenaz, forte e bastante ágil que acabou dominando os ringues e alcançando uam enorme popularidade entre a classe trabalhadora.

Bull Terrier para exibição

Enquanto o interesse por exibições de cães ia crescendo na Inglaterra, estes cães foram perdendo a popularidade devido a associação deles com as classes mais baixas da sociedade. Com a abolição das lutas de cães, no entanto, alguns patronos de Bull Terriers passaram a se interessar pela essa nova proposta de competição com seus cães, e começaram a criar estes cães para exibição com mais interesse na aparência que na força.

Em 1860 a variação de pêlos brancos, apelidada de “Cavalier Branco” foi desenvolvida pelo criador inglês James Hinks cruzando o Terrier Branco Inglês e o Dálmata e logo se tornou bastante popular entre os nobres ingleses. A nova variação toda branca imediatamente obteve sucesso nas competições e ganhou a atenção do público; tornando-se uma companhia elegante para jovens cavaleiros que desejavam um cão masculino de boa aparência ao seu lado. Estes cães logo se tornaram mais simplificados, e esta raça distinta evoluiu.

Os novo Bull Terriers ganharam a reputação de saberem se defender, mas sem provocar uma luta, por isso apelidados de “cavaleiros brancos”, ganhando assim enorme popularidade entre as classes mais abastadas.

Outras variedades de Bull Terrier

Em cerca de 1900, a variedade colorida dos Bull Terriers foi criada voltando a cruzá-la com Staffordshires malhados ou rajados. A variedade colorida não foi aceita de primeira, mas depois acabou ganhando o mesmo status como uma variedade separada pela AKC em 1936. A variedade branca ainda é a mais popular, mas ambas possuem grande popularidade em exibições e como animais de estimação.

O Bull Terrier Miniatura foi desenvolvido para ter as mesmas qualidades que o Bull Terrier Padrão mas com um tamanho mais maleável. O Bull Terrier Padrão foi reconhecido pela AKC em 1885 e a Miniatura em 1991. Embora a AKC entenda que as duas variações são duas raças separadas, as exigências são as mesmas com exceção do tamanho. A maior parte dos outros clubes de raça vêm as duas como variações diferentes de uma mesma raça sem colocar um rótulo de variedade. Por exemplo, a FCI (Federação Cynológica Internacional) possui as duas raças listadas como Bull Terrier, separando ambas por Padrão e Miniatura. A UCK (Clube de Canil do Reino Unido) não coloca nenhuma restrição de peso e altura mas exige a proporção do cão.

O Bull Terrier foi reconhecido pela UKC em 1948. Desde que as “rinhas” de cães, como são popularmente chamadas, foram totalmente proibidas, os Bull Terriers têm sido usados para uma série de atividades como cães de guarda, caçadores de ratos, pastoreio e vigia.

Aparência do Bull Terrier

cachorro-bullterrier-aparencia
Bull Terrier preto deitado na grama do parque relaxando. (Créditos/Copyright: “Nikol Mansfeld/Shutterstock”)

O Bull Terrier é forte e musculoso, mais comprido que alto. A sua massa muscular combinada ao seu baixo centro de gravidade faz com que seja difícil para seus oponentes derrubá-lo. O formato distinto da sua cabeça não só exibe a sua expressão determinada e perspicaz, mas também a incrível força da sua mandíbula. De fato, a sua característica mais marcante é a sua cabeça longa, forte, de formato oval, reta no topo que desce até o focinho em um ângulo reto, sem parada. O nariz é preto, os olhos são pequenos, em forma de amêndoas, negros e juntos. As orelhas são pequenas, finas, juntas, triangulares e eretas.

Seu corpo é arredondado, com costas fortes e pequena. O pescoço é bastante musculoso com ombros robustos, e cauda para baixo, carregada horizontalmente, e o seu andar é suave e fácil. A sua pele é presa bem rente ao corpo, com pelos curtos, lisos e ásperos. Possui duas variações de cores: o Bull Terrier Branco e o Bull Terrier Colorido – sendo que o Branco pode ter manchas na cabeça, mas não no corpo; e o Colorido pode ser preto, malhado, preto com manchas, vermelho, castanho e tricolor com manchas brancas.

Ambiente Ideal para o Bull Terrier

cachorro-bullterrier-ambiente
Bull Terrier alegre brincando no jardim de sua casa. (Créditos/Copyright: “Georgiy Myakishev/Shutterstock”)

Bull Terriers podem viver perfeitamente em lares pequenos, casas ou apartamentos, se exercitados de maneira suficiente. São razoavelmente ativos dentro de casa e um pequeno jardim já seria o suficiente. Os Bull Terriers preferem os climas mais quentes, e não devem ficar do lado de fora da casa, à não ser que seja em climas temperados e que haja abrigo adequado. De preferência deve dividir a casa e ter acesso ao jardim durante o dia.

Temperamento & Personalidade do Bull Terrier

cachorro-bullterrier-temperamento
Bull Terrier adulto em seu jardim devidamente cercado.(Créditos/Copyright: “GoDog Photo/Shutterstock”)

O temperamento de qualquer cão é afetado por inúmeros fatores, incluindo hereditariedade, treinamento, e socialização. Os filhotes que possuem bons temperamentos costumam ser curiosos e brincalhões, costumam se aproximar das pessoas e gostam de ser carregados por elas. Como todo cão, o Bull Terrier precisa de socialização desde filhote — o exponha à diferentes pessoas, locais, sons, cenas e experiências. A socialização ajuda a garantir que o seu Bull Terrier cresça saudável tornando-se um cão bastante sociável.

Embora esta raça já tenha sido um gladiador feroz, o Bull Terrier é bem mais gentil agora. Corajoso, amável, desligado, ativo, brincalhão, destemido, extrovertido e pronto para tudo, o Bull Terrier é leal, educado, e obediente. Eles são capazes de ficar muito ligados aos seus donos, e podem se comportar de forma defensiva ao tentar proteger o seu dono em situações que julgar serem críticas, mas não foram feito para ser cães de guarda. Socialize-os com estranhos e nunca encoraje comportamentos agressivos e de guarda para não piorar o temperamento deles. Eles podem ser protetores do seu próprio espaço, brinquedos e comida. Com as pessoas por outro lado costumam ter uma disposição alegre.

O Bull Terrier exige uma liderança firme, consistente, além de muita afeição. Com o tipo certo de gente, a raça é uma alegria de se ter, mas não é recomendada para qualquer tipo de gente. O seu dono deve ser experiente e saber mostrar liderança logo cedo.

Bull Terriers podem se meter em brigas e confusões familiares. Eles precisam de treinamento firme, exercícios e estrutura para que não fiquem destrutivos. Socialize-o bem e permaneça como o líder 100% do tempo, ou eles podem até ficar agressivos, com pessoas e outros cães do mesmo sexo. Eles gostam de se engajar em muitas atividades e se adaptam bem em lares onde as pessoas são ativas e possam fornecer uma boa quantidade de companheirismo e supervisão. Costuma se dar bem tanto com adultos ou crianças, mas se não tiverem exercícios físicos e mentais suficientes, podem ser demais para crianças pequenas, até machucá-las se forem judiados.

Donos e crianças devem aprender a mostrar liderança. Donos submissos podem achá-los muito protetores, possessivos ou ciumentos. Esse comportamente deve ser corrigido desde cedo e de forma consistente, ou podem levar a problemas de comportamento mais sérios.

Bull Terriers não são confiáveis perto de outros animais de estimação pequenos como coelhos, hamsters porquinhos da Índia. Costumam também mastigar as coisas, latir e perseguir o próprio rabo, além de serem difíceis de serem treinados a fazer suas necessidades fora de casa ou em locais específicos. Devem ser mantidos dentro de casa, pois se ficarem por muito tempo sozinhos e não se exercitarem de forma suficientes, podem causar muitas surpresas desagradáveis.

O Bull Terrier perfeito não nasce perfeito, ele é produto da sua hereditariedade e criação. Seja lá o que você deseja dele, procure por um que tenha tido pais com boa personalidade e que tenham sido socializados desde filhotes. Qualquer cão pode desenvolver níveis desagradáveis de latidos, cavações e outros comportamentos inadequados se estiver entediado, destreinado ou não supervisionado.

Compre um filhote que tenha sido criado em casa e tenha certeza de que ele foi exposto a diferentes locais e sons, assim como pessoas antes de ir para outro lar. Continue socializando-o sempre levando a casa de amigos e vizinhos, assim como a passeios públicos. Antes de comprar um filhote, procure saber como escolher o filhote ideal e não deixe de conversar com o seu criador, descreva exatamente o que você procura em um cachorrinho, e peça ajuda para escolher um filhote. Os criadores costumam conviver com filhotes todos os dias e podem dar excelentes recomendações uma vez que saibam um pouco sobre o seu estilo de vida e personalidade.

Cuidados & Manutenção do Bull Terrier

cachorro-bullterrier-cuidados
Perfil de um Bull Terrier de pelagem preta no gramado. (Créditos/Copyright: “Capture Light/Shutterstock”)

Comece a acostumar o seu Bull Terrier à ser escovado e examinado desde filhote. Mecha em suas patas com frequência — os cães costumam ser sensíveis com relação às suas patas — e olhe dentro de sua boca e orelhas. Torne essa manutenção uma experiência positiva cheia de elogios e recompensas, e assim você irá construir a base para exames veterinários e idas ao petshop mais fáceis de se lidar.

Ao checá-lo, procure por machucados, arranhões, feridas ou sinais de infecção como vermelhidão, inchaço, ou inflamação na pele, nas orelhas, nariz, boca, olhos e patas. Este rápido exame pode levar a diagnósticos mais cedo e evitar maiores problemas de saúde. Escove os seus dentes 2 ou 3 vezes na semana para remover tártaro e bactéria que proliferam dentro da boca – diariamente é ainda melhor para prevenir gengivite e mau hálito e ainda evitar o caimento de dentes precoce.

Corte suas unhas uma ou duas vezes ao mês se não forem gastas naturalmente. E cheque suas orelhas uma vez por semana por sujeira, vermelhidão ou mal cheiro que possam indicar infecções. Limpe-as semanalmente usando loção de de PH equilibrado para evitar maiores problemas. Bull Terriers são fáceis de se cuidar; eles precisam apenas de algumas escovações por semana com uma luva de borracha ou escova adequada para manter os pelos sob controle. À não ser que rolem em algo fedido ou na lama, o Bull Terrier não precisa de banhos frequêntes e pode ser lavado com shampoo seco ou com uma toalha úmida.

Atividades & Exercícios do Bull Terrier

cachorro-bullterrier-atividade
Bull Terrier de pelagem escura andando de skate para manter a forma. (Créditos/Copyright: “otsphoto/Shutterstock”)

Bull Terriers ficam inquietos facilmente e precisam de muitos exercícios para que não se tornem hiperativos e destrutivos. Um cão ativo é um cão feliz. Embora sejam dominadores em relação a outros cães, eles não sabem que se comportam assim. Eles são muito ativos, verdadeiras bolas de fogo, por isso é importante que tenham oportunidades de ser exercitar para ficar saudável e em forma. Embora precisem de muito exercício, um jardim de tamanho médio é o suficiente para a sua energia infinita.

Os Bull Terriers amam longas caminhadas e corridas, preferencialmente sem coleira, duas vezes ao dia. Ou pelos menos, de meia-hora a uma hora de exercícios físicos e mentais diariamente. Eles gostam também de correr atrás de bolas, brincar com brinquedos interativos que estimulem a sua coragem e energia. São capazes de competir em agilidade e obediência.

O importante é dar os estímulos certos e mais adequados à raça do seu cachorro. Para entender melhor o que pode ou não pode ser feito em termos de exercícios e estímulos, é preciso saber como estimular a mente do seu cão, e ter sempre em mente quais são os cuidados básicos na hora de exercitar o seu cachorro. Existem diversos motivos para exercitar e estimular o seu cão, mas o mais importante deve ser a saúde física e mental dele, sem falar que um cachorro saudável pode viver por muito mais tempo.

Saúde do Bull Terrier

cachorro-bullterrier-saude
Bull Terrier de pelagem rajada no parque. (Créditos/Copyright: “dezi/Shutterstock”)

Na maioria das vezes, os Bull Terriers são todos saudáveis, mas como toda raça canina, alguns são mais suscetíveis à certas condições de saúde. Algumas doenças são mais comuns em algumas raças que em outras e nem todos os cachorros terão uma ou todas estas doenças, mas é importante saber sobre elas ao considerar esta raça.

O Bull terrier é uma raça sucetível a nefrite hereditária, uma forma de doença dos rins severa, muitas vezes ocorrida quando ainda jovens. É causada por rins pequenos e mal desenvolvidos ou uma disfunção dos filtros do rim, resultando em altos níveis de proteína na urina. Um outro problema bastante comum é a surdez, em uma ou ambas orelhas nos cães de pêlos brancos puros, e em alguns coloridos, em uma única orelha. Alguns problemas de coração causados por defeitos na estrutura e função do coração também podem ocorrer. Alguns casos são mais sérios que outros e geralmente indicados pela presença de um ruído no coração.

Problemas de pele também podem afetar os Bull Terriers, especialmente os brancos, que possuem a pele mais sensível suscetíveis a erupções cutâneas, feridas e irritações. A raça também precisa controlar a sua dieta, pois ganha peso facilmente e ainda pode desenvolver mais alergias por estar acima do peso. Recomenda-se a sua esterilização para prevenir o excesso de produção de testosterona.

Também podem ser alérgicos ao contato e inalantes causados pela reação a substâncias como detergentes ou outros químicos ou alergênicos como pólen, poeira e mofo. E são mais sensíveis a pulpas e outros parasitas. O Bull Terrier também pode apresentar um deslocamento das rótulas dos joelhos chamada de deslizamento patelar; uma deficiência de zinco que pode até causar morte; e luxação das lentes oculares causada pelo deterioramento dos ligamentos que as seguram no lugar. E algumas linhagens exibem alguns comportamentos obscessivos compulsivos como perseguir a própria cauda.

O tratamento é mais eficiente em fêmeas, mas é facilmente removido com exercícios contínuos eliminando o tédio. Bull Terriers podem viver aproximadamente de 10 a 12 anos, o que não quer dizer que ele não possa viver por mais tempo. Na verdade, qualquer cachorro pode estender a sua longevidade canina desde que se tomem os devidos cuidados com a sua saúde. Bull Terriers podem ter uma média de 5 filhotes por cria.

Treinamento do Bull Terrier

cachorro-bullterrier-treinamento
Bull Terrier com mancha escura nos olhos, característica da raça, pronto para a sua caminhada na coleira. (Créditos/Copyright: “LesPalenik/Shutterstock”)

O Bull Terrier deve ter aulas de obediência quando ainda filhotes. Eles são muito fortes quando crescidos e suscetíveis a comportamentos dominadores, o que torna mais difícil de treinar quando adultos. Treinadores e donos devem ser firmes, pacientes e compreensivos para evitar a agressividade, pois eles aprendem rápido e gostam de agradar, mas são teimosos e independentes. O treinamento deve ser consistente, e deve fornecer liderança sem usar força física ou palavras duras.

O Bull Terrier não é uma das raças mais fáceis de serem treinadas, e obterá mais sucesso se fizer uso de técnicas de esforços positivos enquanto permaneça consistente e firme. Ele aprenderá melhor através de sessões de treinamento divertidas que envolvam repetição e técnicas de esforço positivo, elogios e recompensas. Quando o treinamento é divertido, ou seja, mistura técnicas de adestramento com diversão, o resultado é sempre muito mais positivo. Algumas dicas de como se divertir exercitando o seu cachorro poderão ajudar você a treiná-lo brincando.

Os Bull Terriers também podem ser difíceis de serem treinados para fazer suas necessidades fora de casa ou local específico. O método de caixa é eficiente e evita que ele destrua seus pretences e faça mais bobagens. Bull Terriers são desconfiados de estranhos e podem ser agressivos com outros animas, especialmente cães do mesmo sexo e pessoas. Socialize-o o mais cedo possível e leve-o a locais públicos para ser exposto a diferentes situações, pessoas e animais. É importante conhecer o seu cão e entender quais são as atividades preferidas do cachorro.

1 review for Bull Terrier

  1. 5 out of 5

    :

    Adoro esta raça, sempre achei engraçada. Mas já vi que é um bom cachorro – forte, fiel e amistoso. Boa companhia! Excelente artigo.

Adicionar uma avaliação

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *