Buldogue Inglês

O tenebroso abatedor de touros arrebatador de corações
(Créditos/Copyright: "Eric Isselee/Shutterstock")
Buldogue Inglês
5.00 out of 5 based on 2 customer ratings
(2 avaliações de clientes)

Origem: Inglaterra
Data de origem: 1500
Grupo de Raças: FCI Grupo 2 – Cães de tipo Pinscher e Schnauzer, Molossóides, Cães de Montanha e Boieiros Suíços / Mastiff / AKC Não-esportistas.
Função original: cão de combate (esporte) usado para combater touros e outros animais.
Função atual: cão de companhia
Outros nomes ou apelidos: Buldogue inglês, Buldogue britânico, Antigo Buldogue inglês.
Tamanho: porte médio
Altura: cerca de 31 cm a 40 cm (quanto mais baixo, mais valioso)
Peso: Machos de 24 kg a 25 kg / Fêmeas de 22 a 23 kg
Cores: combinações de branco, marrom, malhado, tigrado, com manchas.
Pelos: curtos, lisos
Manutenção: fácil a moderada
Expectativa de vida: cerca de 08 anos a 13 anos.
Filhotes: de 4 a 5 filhotes de Buldogue; cesárea.
Reconhecimento (Canil): CKC; FCI; AKC; UKC; KCGB; CKC; ANKC; NKC; NZKC; APRI; ACR; DRA; NAPR; ACA.

Introdução à raça Buldogue Inglês

cachorro-buldogue-intro
Filhotes de buldogue ingleses juntos no parque (Créditos/Copyright: “Grigorita Ko/Shutterstock”)

O Buldogue é uma raça de cachorros de porte médio oriunda da Inglaterra, popularmente chamada de Buldogue inglês ou Buldogue britânico. Outras raças de cachorros Buldogues incluem o Buldogue Americano, o Antigo Buldogue Inglês (hoje extinto) e o Buldogue Francês. O Buldogue descende de cães mastifes de luta levados às Ilhas Britânicas pelos antigos Romanos, para que fossem utilizados no combates a touros em um “esporte” muito popular na época conhecido por “Bull-baiting”.

Muito antes disso, os Buldogues também foram utilizados para direcionar rebanhos, mas hoje estes cachorros aparentemente ferozes apenas se assemelham aos seus ancestrais na aparência, pois toda a sua ferocidade desapareceu. Eles são excelentes cães de companhia, por serem surpreendentemente dóceis e muito fiéis, de temperamento amável e gentil, inteligentes, joviais, afetuosos, fortes, resolutos, corajosos e determinados.

Nenhuma outra raça de cachorro é mais admirada por todas essas suas qualidades, principalmente a lealdade e determinação. Eles possuem uma certa calma quando já maduros, e embora amigáveis e brincalhões, podem ser um tanto teimosos e protetores com relação a sua família. Os Buldogues adoram pessoas, gostam de agradar e procuram chamar atenção o tempo inteiro – não tem nada mais prazeroso para eles que ficar deitados tirando sonecas junto de seus donos. Dentro de casa, costumam ser inativos, preferindo dormir até a hora de comer novamente.

Eles amam crianças, mas não costumam passar horas correndo ou perseguindo bolas com elas no jardim. Costumam engajar em atividades caninas como estas por alguns momentos, mas logo se deitam em algum canto para descansar. Os Buldogues podem ser agradáveis com desconhecidos, e embora sejam um tanto agressivos com outros cães fora do seu convívio, eles se dão bem com outros animais de estimação. Buldogues não costumam latir muito, mas são excelentes vigias. Apesar de não latir, fazem vários outros tipos de barulhos – roncam, soltam gases, bufam.

Em geral são de fácil manutenção e não requer muitos cuidados. Não exigem muitos exercícios físicos e não são enjoados para comer. Possuem uma pelagem curta que não precisa de maiores cuidados, mas precisa de uma atenção especial com a sua pele, principalmente nas dobras. O Buldogue não tolera variações extremas de temperatura, por isso é importante que ele viva dentro de casa, em clima confortável, não só para evitar ataques cardíacos, mas também porque adora estar junto de sua família.

Infelizmente, por ser um cão braquicefálico, o seu tamanho e sua estrutura faz com que seja mais suscetível a problemas de saúde, especialmente respiratórios e de juntas. Eles ganham peso facilmente se não se exercitarem de forma suficiente e moderada, além de que o seu peso pode agravar seus problemas de saúde pré-existentes. Mesmo assim, o Buldogue está entre as raças mais populares e as raças mais caras do mundo.

Origem da raça Buldogue

cachorro-buldogue-perfil
Buldogue inglês adulto de pelagem tigrada (Créditos/Copyright: “WilleeCole Photography/Shutterstock”)

O Buldogue tem estado por aí, de uma forma ou de outra, por pelo menos uns 500 anos. A raça descende dos antigos Mastifes Asiáticos, porém o seu desenvolvimento se deu na ilha da Grã-Bretanha que hoje inclui a Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte. O Buldogue Inglês ou simplesmente “Buldogue” foi criado mesmo na Inglaterra em 1.500 especialmente para atuar em um esporte popular em que um ou mais cães eram usados para atacar touros acorrentados (ou ursos e outros animais ferozes e grandes).

O termo “Buldogue” é de origem medieval e refere-se à construção muscular forte da raça e ao poder e agressividade com os quais ele costumava atacar estes animais nas arenas durante o espetáculo de entretenimento da época.

Função original

Embora seja comum afirmar que os Buldogues foram originalmente criados para combater touros, na verdade, estes cachorros possuem uma história muito mais antiga, que data dos tempos antigos pré-Romanos nas Ilhas Britânicas. Em uma terra onde não haviam “cowboys” para laçar porcos e gado, o fazendeiro tinha que usar o “cão da família” para assegurar o animal para que ele pudesse controlá-lo com uma corda. Uma prática bastante antiga e largamente usada por fazendeiros e seus cães pastores de gado.

A prática do Bull-baiting

Muito tempo depois que a raça havia sido estabelecida, o “esporte” de combater touros chamado de Bull-baiting, tornou-se muito popular e a raça passou a ser cruzada mais largamente e usada para essa finalidade. Estes exemplares de cachorros foram desenvolvidos para uma capacidade de luta pura, e eram famosos por engatar em suas presas com uma mandíbula de ferro recusando-se a soltar — podendo segurar a presa por horas e até sufocar os oponentes dessa maneira.

“Bull-baiting”, que na tradução livre pode ser entendida como “isca de boi” é um termo usado para descrever a ação de amarrar um animal (geralmente urso ou touro) a um mastro para servir de isca, para depois ser atacado por este tipo de cão.

O antigo Buldogue usado para esta prática era muito mais alto e mais musculoso que os Buldogues modernos de hoje, e tinham um focinho mais longo e uma cauda reta que se assemelhava a uma bomba de combustível. Os Buldogues modernos são uma versão bastante modificada que seria incapaz hoje de exercer esta sua função anterior. Acreditava-se que a prática do “esporte” tinha uma razão; era tida como uma forma de amaciar a carne do boi.

Por muitos anos, acreditou-se que esta prática “afinava” o sangue do boi fazendo com que a sua carne ficasse mais macia depois de abatido.

A crença era tão forte que em muitas áreas da Inglaterra haviam leis que exigiam que os bois deveriam servir de isca antes de serem abatidos. Mais que isso, era um esporte popular em uma época em que não haviam outras formas de entretenimento de massa como esportes profissionais, programas de TV, filmes, etc. O touro ou boi bravo jogava o cão para o alto com seus chifres para o delírio de multidões de espectadores.

O cão, por outro lado, tentava agarrar-se ao animal, geralmente pelo focinho, e levá-lo ao chão com a força de sua mandíbula. Eles rastejavam para baixo do animal para que o mesmo não os conseguisse pegar e jogá-los para cima. Suas mandíbulas largas e poderosas eram impossíveis de se soltar uma vez que se agarravam no focinho do animal. O focinho curto e achatado do Buldogue permitia que ele respirasse enquanto segurava o nariz do touro.

Ele tinha que ser obstinado o bastante para aguentar o tempo que fosse, não importando o quanto o touro o chacoalhasse para soltar. Tanto é que a sua alta tolerância para dor foi desenvolvida para aprimorar a sua habilidade para o esporte.

Até as rugas na cabeça e na testa do Buldogue tinha um propósito: direcionar o sangue que saía do touro devido às mordidas do cachorro para longe dos seus olhos, afim de evitar que o sangue obstruísse a sua visão e o cão não pudesse enxergar.

O Buldogue moderno

Em 1835, após muitos anos de controvérsias, o polêmico esporte foi proibido na Inglaterra, até que se tornasse ilegal pela Lei da Crueldade com Animais — lei bem-estarista que “protege” os animais, enquanto propriedade humana, de maus tratos incluindo bois, touros, cães, ursos e ovelhas –, para que o esporte na Inglaterra, assim como as brigas de galo e rinhas de cachorros fossem proibidas de vez.

No Brasil, os maus-tratos de animais são crimes previstos no artigo 32 da Lei Federal nº 9.605, chamada de Lei de Crimes Ambientais, protegidos pela Declaração Universal dos Direitos dos Animais. Com isso, muitos pensaram que o Buldogue fosse desaparecer por não ter mais serventia. Naquela época, o Buldogue não era um animal afetuoso, pois as espécies mais agressivas e corajosas eram cruzadas por gerações para servirem ao combate. Eles viviam para combater animais, e era tudo o que sabiam fazer. Apesar disso, muita gente admirava o vigor, a força e persistência da raça. Foi então, que estes admiradores decidiram preservar a sua aparência, porém reproduzi-los com um temperamento mais doce e gentil ao invés de agressivo. E assim, o Buldogue foi reformulado.

Criadores dedicados e pacientes passaram a selecionar apenas os exemplares de cachorros com temperamentos dóceis para reprodução. Os cães agressivos e neuróticos não podiam ser reproduzidos. Focando a atenção no temperamento destes novos cães, estes criadores conseguiram transformar o Buldogue no cachorro gentil e afetuoso que temos hoje.

O Buldogue é o triunfo da habilidade humana em reabilitar uma raça inteiramente para transformá-la em uma companhia desejável através de práticas bem pensadas e dedicadas.

Com o tempo, o antigo Buldogue foi também cruzado com o Pug, e o resultado foi um cão mais baixo, mais largo e com um crânio braquicefálico. Embora hoje o Buldogue pareça forte, ele não pode mais desempenhar a mesma tarefa da qual foi criado, nem aturar os rigores de corridas, nem ser atirado para os ares, e tampouco consegue agarrar a presa com o seu focinho tão curto.

Os criadores passaram a mostrar os Buldogues em competições na Inglaterra em 1859. Em 1864, o primeiro clube de raça de Buldogues foi formado. Em 1875, outro clube foi formado e desenvolvido um padrão. Foi uma questão de tempo para que o Buldogue chegasse aos Estados Unidos e fosse reconhecido pela AKC em 1886, sendo o Clube Buldogue da América formado em 1890. Hoje eles são uma das raças preferidas das famílias em todo mundo e uma das raças mais populares e mais vendidas no Brasil.

Buldogues ficaram tão populares que foram associados a Marinha Americana durante a Primeira Guerra Mundial e tornaram-se seus mascotes oficiais.

Aparência do Buldogue

cachorro-buldogue-aparencia
Buldogue inglês filhote deitado na grama (Créditos/Copyright: “otsphoto/Shutterstock”)

O Buldogue é um cão de porte médio, baixo, de pernas curtas, porém musculoso, largo e pesado que denota um centro de gravidade baixo, uma habilidade vital para lutar com animais de grande porte. É uma raça de cão braquicefálica, cujas características são a sua cabeça massiva, cuja circunferência deve ser igual à sua altura deixando um amplo espaço para a sua mandíbula forte, focinho curto e achatado.

Sua mandíbula inferior proeminente permite uma mordida firme, feita para morder e não soltar, ao mesmo tempo que deixa espaço para a respiração pelo nariz. A sua cara é enrugada até a testa, com dobras grossas na pele. Possui dobras na face e uma parada larga e profunda; pele caindo debaixo do pescoço; bochechas que se estendem de lado a lado de seus olhos redondos e escuros; beiços caídos e dentes pontudos; orelhas pequenas e finas, dobradas como uma rosa; e nariz preto e largo com narinas grandes.

O corpo musculoso do Buldogue faz com que ele tenha uma marcha distinta — por causa das suas patas arcadas, uma em cada canto do corpo, ele move-se como se tivesse um gingado ou uma espécie de rebolado. Ele é uma das poucas raças de cachorro na qual a cauda é naturalmente curta, tanto reta como parafusada. Seus pelos são finos, rentes à pele, curtos, lisos, brilhantes e macios. O Buldogue pode ser castanho avermelhado, branco sólido, rajado, castanho sólido, castanho, malhado, ou ter outras combinações destas cores.

Ambiente Ideal para o Buldogue

cachorro-buldogue-ambiente-ideal
Buldogue inglês adulto deitado sobre o tapete (Créditos/Copyright: “Victoria Rak/Shutterstock”)

Esse companheiro brincalhão é capaz de amar todo mundo e se adaptar a todo tipo de lar por causa da sua boa natureza. Os Buldogues estão entre os melhores cães de companhia para apartamentos, pois podem viver tanto em casa como em ambientes menores, por serem praticamente inativos dentro de casa, e não precisarem necessariamente de um jardim. Mas devido a sua cara achatada e construção pesada, ele é altamente sensível a variações bruscas de temperatura, incluindo o calor, por isso deve viver dentro de casa para não superaquecer em dias muito quentes.

Temperamento & Personalidade do Buldogue

cachorro-buldogue-temperamento
Buldogues mãe e filho brincando na areia da praia juntos (Créditos/Copyright: “Tatiana Katsai/Shutterstock”)

O temperamento de qualquer cão é afetado por inúmeros fatores, incluindo hereditariedade, treinamento, e socialização. Os filhotes que possuem bons temperamentos costumam ser curiosos e brincalhões, costumam se aproximar das pessoas e gostam de ser carregados por elas. Como todo cachorro, o Buldogue inglês precisa de socialização desde filhote — o exponha à diferentes pessoas, locais, sons, cenas e experiências. A socialização ajuda a garantir que o seu Buldogue cresça saudável tornando-se um cachorro bastante sociável.

Embora a aparência do Buldogue seja intimidante, ele está entre o grupo de raças de cachorros mais gentis que existem. Mesmo assim, é importante entender que os temperamentos dos machos e fêmeas podem ser bem diferentes. É comum fêmeas mais plácidas e indiferentes, enquanto os machos são mais leais, brincalhões e mais sociáveis. Estas diferenças são mais aparentes com o passar do tempo, porém antes que se acalmem em idade avançada.

De acordo com a AKC, a personalidade do Buldogue, em geral, deve ser gentil, resoluta e corajosa, mas não feroz e agressiva. Seus criadores trabalharam duro para reduzir e até remover por completo toda a agressividade que antes existia nesses cachorros. A sua maioria hoje possui uma natureza amigável, paciente, comportada, adaptável e equilibrada. Buldogues são excelentes animais de estimação devido a sua tendência forte de formar laços estreitos com seus donos, especialmente com as crianças, por esta razão estão entre as melhores raças de cachorros para crianças.

O Buldogue é leal, extremamente afetuoso, dependente e profundamente devotado a sua família. Por isso, no geral, costumam se dar bem com crianças, outros cães e outros animais de estimação que forem criados juntos dele. Eles são capazes de ficar tão ligados ao lar e à família que podem nem querer sair para o quintal sem companhia. Eles são capazes de preferir dormir no colo ou aos pés do dono do que correr atrás de uma bola no jardim.

A sua reputação de corajoso, faz com que ele seja um cão de guarda com habilidades excelentes, mas que irá latir apenas quando for necessário. Geralmente, só a aparência do Buldogue é o suficiente para afastar e assustar invasores. Cabeça-dura e determinado, a raça pode ser muito persistente e ter uma natureza teimosa. Eles não desistem facilmente. Podem também demorar a aprender, mas uma vez que aprendem algo, são muito bons no que fazem, e não esquecem jamais. Alguns Buldogues também podem ser um tanto dominadores e precisam de um dono que saiba demonstrar liderança e entenda o comportamento alpha canino.

O Buldogue que entende o seu lugar no seu bando possui um comportamento bacana e é confiável ao redor de todos. Quando os Buldogues são jovens, eles são cheios de energia, mas eventualmente se acalmam com a idade. Eles roncam alto e babam bastante, além de fazerem bagunça para comer. Aqueles que apresentam comportamentos de guarda em excesso, como guardar mobília, comida, brinquedos, outros locais da casa, ou são agressivos, podem não estar tendo a liderança necessária por parte de seus donos. Este tipo de comportamento só acontece quando o dono deixa que ele mande em tudo, mas que pode ser corrigido quando o dono começar a apresentar uma liderança adequada.

Cachorros que sentem que precisam tomar a liderança no lar não são tão felizes como aqueles que seguem a liderança e os comandos de seus donos, pois é muito estressante para um cão ter que manter seus donos na linha.

O Buldogue perfeito não nasce perfeito, ele é produto da sua hereditariedade e criação. Seja lá o que for que você deseja dele, procure por um que tenha tido pais com boa personalidade e que tenham sido socializados desde filhotes. Qualquer cão pode desenvolver níveis desagradáveis de latidos, cavações e outros comportamentos inadequados se estiver entediado, destreinado ou não supervisionado. Compre um filhote que tenha sido criado em casa e tenha certeza de que ele foi exposto a diferentes locais e sons, assim como pessoas antes de ir para outro lar.

Continue socializando-o sempre levando a casa de amigos e vizinhos, assim como a passeios públicos. Antes de comprar um filhote, procure saber como escolher o filhote ideal e não deixe de conversar com o seu criador, descreva exatamente o que você procura em um cachorrinho, e peça ajuda para escolher um filhote. Os criadores costumam conviver com filhotes todos os dias e podem dar excelentes recomendações uma vez que saibam um pouco sobre o seu estilo de vida e personalidade.

Cuidados & Manutenção do Buldogue

cachorro-buldogue-manutencao
Buldogue inglês adulto limpando as orelhas (Créditos/Copyright: “WilleeCole Photography/Shutterstock”)

Comece a acostumar o seu Buldogue à ser escovado e examinado desde filhote. Mecha em suas patas com frequência — os cães costumam ser sensíveis com relação às suas patas — e olhe dentro de sua boca e orelhas. Torne essa manutenção uma experiência positiva cheia de elogios e recompensas, e assim você irá construir a base para exames veterinários e idas ao petshop mais fáceis de se lidar. Ao checá-lo, procure por machucados, arranhões, feridas ou sinais de infecção como vermelhidão, inchaço, ou inflamação na pele, nas orelhas, nariz, boca, olhos e patas. Este rápido exame pode levar a diagnósticos mais cedo e evitar maiores problemas de saúde.

Escove os seus dentes 2 ou 3 vezes na semana para remover tártaro e bactéria que proliferam dentro da boca – diariamente é ainda melhor para prevenir gengivite e mau hálito e ainda evitar o caimento de dentes precoce. Corte suas unhas uma ou duas vezes ao mês se não forem gastas naturalmente. E cheque suas orelhas uma vez por semana por sujeira, vermelhidão ou mal cheiro que possam indicar infecções. Limpe-as semanalmente usando loção de de PH equilibrado para evitar maiores problemas.

Escove os pelos do seu Buldogue uma ou três vezes por semana com uma escova firme. Limpe a sua cara com um pano úmido todos os dias, cuidando para limpar dentro das dobras. Seque bem dentro das dobras completamente depois de lavar. Alguns sugerem limpar suas dobras com lenços umedecidos de bebê que possuem lanolina e aloe vera. Se a pele do seu Buldogue estiver irritada dentro das rugas, peça para o seu veterinário prescrever uma pomada do tipo unguento. Depois de limpar as suas dobras, lave o seu nariz e aplique vaselina para mantê-lo macio e evitar que fique seco e escamado.

É muito importante que as passagens nasais e orelhas sejam mantidas limpas. Mantenha também os olhos sempre limpos, diariamente. É essencial limpar também a área do queixo e ao redor da boca/lábios depois de cada refeição. Todo esse trabalho evita irritações na pele e manchas, pois se algum local for deixado úmido, suas rugas ou dobras tornam-se um local perfeito para o crescimento de bactérias ou fungos.

Faça o mesmo debaixo da cauda e na área externa da vulva. Se você mantê-lo escovado e limpo, os banhos não precisarão ser frequentes. Banhos e shampoo seco devem ser usados apenas quando necessário. Quando ele estiver soltando pelos, use uma escova de borracha para remover os pelos soltos. Buldogues não costumam soltar tanto pelo, mas durante a primavera e o outono, a quantidade aumenta um pouco. Intensifique as escovações até que estes período termine.

Atividade & Exercícios do Buldogue

buldogue-atividades
Mãe e filhote Buldogue inglês juntos no jardim (Créditos/Copyright: “Tatiana Katsai/Shutterstock”)

Buldogues são inativos dentro de casa e não exigem uma enorme quantidade de exercícios (embora precisem caminhar todos os dias para evitar o ganho de peso). Você irá notar que alguns Buldogues até gostam de se exercitar por curtos períodos de tempo, mas outros preferem ficar deitados o dia inteiro. Mas, no geral eles são cães que preferem ficar dentro de casa num estilo de vida mais relaxado. Cerca de 15 minutos de brincadeiras, e já estão prontos para uma nova soneca.

Você até pode levar o seu Buldogue para caminhar 1km ou mais durante os dias mais amenos, mas ele será feliz do mesmo jeito com uma voltinha pelo quarteirão. Eles adaptam-se a qualquer nível de atividade da sua família, mas lembre-se sempre de não exercitá-lo em dias quentes. O importante é dar os estímulos certos e mais adequados à raça do seu cachorro.

Para entender melhor o que pode ou não pode ser feito em termos de exercícios e estímulos, é preciso saber como estimular a mente do seu cão, e ter sempre em mente quais são os cuidados básicos que devem ser tomados na hora de exercitar o seu cachorro. Existem diversos motivos para exercitar e estimular o seu cão, mas o mais importante deve ser a saúde física e mental dele, sem falar que um cachorro saudável pode viver por muito mais tempo.

Saúde do Buldogue

cachorro-buldogue-saude
Filhote de Buldogue inglês descansando debaixo de uma sombra de árvore no jardim (Créditos/Copyright: “otsphoto/Shutterstock”)

Na maioria das vezes, os Buldogues são todos saudáveis, mas como toda raça canina, alguns são mais suscetíveis à certas condições de saúde. Algumas doenças são mais comuns em algumas raças que em outras e nem todos os cachorros terão uma ou todas estas doenças, mas é importante saber sobre elas ao considerar esta raça.

Quando os Buldogues não são reproduzidos com foco na saúde, eles podem vir à ter inúmeros problemas. Para começar, o Buldogue pode sofrer de problemas nas juntas, quadril e joelhos devido a sua estrutura óssea e má formação. Podem ocorrer infecções de ouvido e de pele por fungos dentro de suas dobras, rugas e caudas enroladas, por isso precisam ser limpas e enxutas diariamente. Problemas nos olhos também podem ocorrer, como “olhos de cereja”, visão fraca, pálpebras invertidas, cataratas e olhos secos.

Outros problemas incluem alergias, vários tipos de pedras nos rins e câncer. Os Buldogues também possuem um alto risco de torção gástrica, uma torção de estômago que corta o suprimento de sangue que muitas vezes exige cirurgia. Os problemas genéticos não são os únicos problemas que afetam os Buldogues. Devido a sua cara achatada e construção pesada, eles também estão suscetíveis a problemas respiratórios; alguns também possuem traqueias estreitas.

São altamente suscetíveis a infartes e podem morrer em questão de poucas horas se deixados do lado de fora em dias muito quentes, locais quentes ou dentro de carros. A síndrome da passagem de ar braquicefálica é comum entre os Buldogues também – uma condição que dificulta a passagem de ar em cães de cara achatada, como o Buldogue, impedindo-o de respirar. Por causa disso, o Buldogue não consegue se resfriar facilmente e pode superaquecer mais rápido que outras raças durante os climas mais quentes ou exercícios.

Os filhotes do Buldogue são sempre nascidos por cesáreas devido aos seus ombros mais largos que seus quadris e suas cabeças grandes, por isso é tão difícil para as fêmeas darem cria sem ajuda. Eles também são famosos por problemas de flatulência, especialmente se a sua alimentação não for adequada. Os Buldogues costumam ter de 4 a 5 filhotes por cria, e possuem uma expectativa de vida de 8 a 13 anos, o que não quer dizer que ele não possa viver por mais tempo. Na verdade, qualquer cachorro pode estender a sua longevidade canina desde que se tomem os devidos cuidados com a sua saúde.

Treinamento do Buldogue

cachorro-buldogue-treinamento
Buldogue inglês adulto obedecendo a um comando básico do seu dono de dar a patinha (Créditos/Copyright: “ChickenStock Images/Shutterstock”)

Eles podem ser tranquilos, mas o Buldogue retém um pouco da natureza tenaz e teimosa dos seus ancestrais. É o tipo de raça de cachorro muitas vezes considerada difícil de ser treinada. O Buldogue pode não se destacar em obediência nos ringues de competições mais populares, mas quando aprende algo, ele é capaz de nunca mais esquecer.

Ele é curioso e aprende rapidamente tarefas simples, mesmo sendo teimoso e imprevisível em algumas ocasiões. Ele aprenderá melhor através de sessões de treinamento divertidas que envolvam repetição e técnicas de esforço positivo, elogios e recompensas. Quando o treinamento é divertido, ou seja, mistura técnicas de adestramento com diversão, o resultado é sempre muito mais positivo.

Algumas dicas de como se divertir exercitando o seu cachorro poderão ajudar você a treiná-lo brincando. Socialização e obediência são essenciais desde cedo. Além de ser muito importante ensiná-lo desde filhote quem é o líder. Consistência também é importante, mas o Buldogue é super sensível ao tom de voz da pessoa, por isso é importante tomar cuidado para não ser enérgico e agressivo com ele e colocar tudo a perder. Eles não respondem bem à métodos duros e severos.

O treinamento deve ser feito com firmeza, paciência, consistência, elogios e recompensas. É importante conhecer o seu cão e entender quais são as atividades preferidas do cachorro. Ensinar o seu filhote a sentar, deitar e ficar no lugar é vital para o seu treinamento. Há vários métodos também de treiná-lo a fazer suas necessidades em locais apropriados ou fora de casa. Considere o método da caixa se precisar adaptá-lo a um ambiente seguro e confinado por razões de segurança e conforto.

Adaptabilidade

Alta, Fácil

Adestramento

Moderado

Afetuosidade

Alta, Bastante

Ambiente ideal

Apartamento, Casa, Fazenda ou Campo

Amistoso c/ crianças

Muito

Amistoso c/ estranhos

Muito

Amistoso c/ idosos

Muito

Amistoso c/ outros animais

Muito

Amistoso c/ cães

Normal, Pouco

Expectativa de vida

Baixa

Função ou Tipo

Caça, Cães da montanha, Combate, Companhia, Fazendeiro, Guarda, Molossóide, Não-esportista, Pastor e Boieiro, Rinha, Toy ou Mini, Trabalhador

Manutenção

Fácil, Moderada

Necessidade de exercicios

Baixa, Pouca

Nível de energia

Alto, Moderado

Nível de inteligência

Alto, Moderado

Nível de Socialização

Alto

Pelagem

Curta, Lisa, Rente à pele

Porte

Médio

Propenção à latidos

Baixa, Pouca

Proteção e Guarda

Alta

Saúde

Fraca, Sensível

Territorialismo

Baixo, Moderado

Tolerância à brincadeiras

Pouco

Tolerância ao calor

Baixa, Pouca

Tolerância ao frio

Moderada

Troca de pêlos

Moderada

2 reviews for Buldogue Inglês

  1. 5 out of 5

    :

    Tivemos um macho desta raça e amamos! Teria outro, sem dúvida, se não fosse pelos problemas de saúde da raça que depois tomei conhecimento. ë mesma uma judiação o fato deles nõa poderem respirar direito. Tivemos uma fêmea também que teve muitas complicações ao engravidar. O machoa cabou morrendo da doença do carrapato, uma pena. Cachorro amigo, fiel, super ativo por incrívelq ue pareça, um touro. Amável e carinhoso. Incapaz de rosnar par ameus filhos, e olha que eles atazanavam ele. Uma fera com os lixeiros – tadinhos! Adorava uma briga também. Raça boa!

  2. 5 out of 5

    :

    Nosso Bulldog de seis meses de idade foi um presente. Embora ele tenha ficado conosco pouco tempo, parece que ele faz parte da nossa família para sempre. Ele era muito inteligente e sabia o nome de seis de seus brinquedos e não vai voltar com as mãos vazias se você disser a ele para obter um (por nome).
    Ele nos fez rir todos os dias. Ele é tantas coisas … tipo, brincalhão, muito, muito feliz. Sim, ele ronca e tem alguns cheiros interessantes que o acompanham às vezes. Pequeno preço a pagar por este pacote total de amor. Não poderíamos estar mais felizes.

Adicionar uma avaliação

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *