Border Terrier

cao-border-terrier
(Créditos/Copyright: "Por Eric Isselee/Shutterstock")
Border Terrier

Origem: fronteira entre Escócia e Inglaterra
Data de origem: século XVIII
Grupo de Raças: FCI Grupo 03 – Cães Terriers / AKC Terrier / UKC Terrier.
Função original: cão trabalhador, cão esportista
Função atual: cão de companhia
Outros nomes ou apelidos: Coquetdale Terrier
Tamanho: porte pequeno
Altura: Machos de 33 cm a 41 cm / Fêmeas de 28 cm a 36 cm
Peso: Machos de 6,0 kg a 7,0 kg / Fêmeas de 5,0 kg a 6,0 kg
Cores: castanho avermelhado, grisalho c/ castanho, cinza (azul) e bege ou palha
Pêlos: curta, rente à pele, emaranhado duro (conhecido por arame)
Manutenção: fácil, escovações semanais, banhos ocasionais.
Expectativa de vida: cerca de 15 anos ou mais.
Filhotes: cerca de 2 a 8 filhotes de Border Terrier por cria, padrão de 4 a 5.
Reconhecimento (Canil): ACA / ACR / AKC / ANKC / APRI / BTCA / CET / CKC / CKC / DRA / FCI / KCGB / NAPR / NKC / NZKC / UKC.

Categoria

Introdução à raça Border Terrier

border-terrier-intro
Border Terrier atento ao dono com seu olhar penetrante. (Créditos/Copyright: “Por Roger Hall/Shutterstock”)

O Border Terrier é uma raça pequena de pêlos duros e descabelados, uma das poucas raças do grupo Terrier que foi criada para viver em bando. É uma das raças mais dóceis e amáveis do grupo e certamente compartilha da mesma ancestralidade que o Dandie Dinmont Terrier e o Bedlington Terrier. Originou-se em Cheviot Hills, na Grã-Bretanha, próximo a fronteira entre Escócia e Inglaterra, e foi criado para ajudar no trabalho nas fazendas.

O Border Terrier é inquisitivo, ativo e obediente. É alerta e possui um forte instinto para caçar caçar e cavar, tem uma natureza independente, uma boa personalidade, e altos níveis de energia, vitalidade e resistência como quase todo cão do tipo terrier. É inteligente, leal, destemido e determinado.

Talvez, depois desta descrição você desista e prefira procurar por outra raça — e, sinceramente, talvez seja melhor que você faça isso mesmo. É preciso alertar que o Border Terrier não é mesmo para qualquer pessoa, e antes de levar um para casa, você deve estar completamente certo da sua escolha.

Embora o Border terrier não tenha uma aparência tão atraente como alguns de seus outros parentes, ele ainda é um puro terrier, capaz de viver a vida com muito gosto, seja com a família ou cavando buracos sem parar por aí. É de fato no mínimo curioso que ele não seja tão popular, já que é uma das raças puras mais saudáveis entre todos os cães, é menos inclinado a caçar que a maioria dos terriers e ainda é bem flexível quanto a atividades físicas, apesar de necessárias para gastar toda a sua energia.

Criado para ajudar com o trabalho nas fazendas caçando roedores, e posteriormente usado na caça de raposas, o Border Terrier, é um caçador nato. Costumava obrigar as raposas a sair de seus esconderijos para que hounds pudessem sair em sua perseguição. Por esta razão, o Border Terrier precisava ter um poderoso instinto para caçar e cavar buracos, assim como uma enorme energia para acompanhar os caçadores montados em seus cavalos.

Para algumas pessoas isso pode ser um problema, mas para outras, Border Terriers são cachorros maravilhosos que brincam bastante e amam ainda mais. Eles são ideais para famílias ativas que possam oferecer à ele muitas atividades físicas e que saibam evitar suas escapadas criativas, pois são verdadeiros artistas e muito habilidosos na arte de escapar.

Border Terriers necessitam de um jardim devidamente cercado para mantê-los seguros. Se deixados sozinhos e não forem supervisionados, eles facilmente irão cavar sua rota de fuga, literalmente. Eles costumam escapar através de buracos na cerca, portões abertos ou de qualquer outra forma que acharem — tudo devido a sua natureza curiosa e ávida para explorar ou perseguir alguma presa em potencial. Tanto é verdade que o Border Terrier está mais sujeito a morrer atropelado por aí do que de velhice ou alguma doença. Portanto, esteja preparado para protegê-lo dele mesmo.

É importante também evitar o tédio. Um Border Terrier entediado — como aquele que fica longos períodos de tempo sozinhos — se torna barulhento e destrutivo. Ele não é do tipo que fica bem se for deixado sozinho no quintal por longos períodos de tempo. Você poderá encontrar uma fila de vizinhos aborrecidos te esperando no portão por causa dos latidos constantes e buracos de todos os tamanhos espalhados pelo jardim.

Para manter o seu Border Terrier e seus vizinhos felizes e o seu jardim sem buracos, reserve à ele pelo menos 30 min por dia de exercícios vigorosos. Além de mantê-lo entretido, isso irá também mantê-lo em forma — pois a raça é também propensa à obesidade.

Com as suas necessidades de companhia e exercícios físicos supridas, o seu border Terrier será um cão feliz que se dará bem com qualquer pessoa, seja criança ou adulto de qualquer idade, até estranhos. Normalmente eles se dão bem com outros cachorros e até gatos, mas não gostam de roedores. Ele também irá latir para barulhos, são excelentes cães de vigia, mas não espere que ele seja um cão de guarda feroz se intrusos invadirem a sua casa, ele não tem esse tipo de ferocidade e nem tamanho para isso.

Border Terriers são capazes de fazer você rir e chorar e rir um pouco mais. São travessos e brincalhões, mas são obedientes. Eles costumam encarar o treinamento com espírito independente, mas gostam de agradar. Se ele for elogiado por fazer algo bem, ele rapidamente irá aprender qualquer coisa que lhe for ensinado. Hoje, Border Terriers são um tanto raros, mesmo assim são excelentes escolhas tanto como cão de companhia ou exterminadores de pestes em fazendas, desde que seja respeitada a sua natureza.

Origem da raça Border Terrier

border-terrier-origem
Border Terrier descansando sobre o gramado do jardim. (Créditos/Copyright: “Por l i g h t p o e t/Shutterstock”)

Talvez o Border Terrier seja a raça mais antiga dos Terriers da Grã-Bretanha. Originário de Cheviot Hills, fronteira entre a Escócia e a Inglaterra, o Border Terrier foi criado para perseguir e espantar raposas que na época eram consideradas um aborrecimento para os fazendeiros, além de caçar outras pragas, como ratos.

Origem caçadora

O Border Terrier é o menor dos terriers de patas longas, e foi desenvolvido para ter um corpo flexível, longo e estreito, pequeno o suficiente para para adentrar os esconderijos das raposas buraco adentro e enxotá-las de lá para que os cachorros dos caçadores pudessem ir atrás delas. Além disso, eles tinham que ser rápidos o suficiente para acompanhar na corrida os cavalos dos caçadores. Eles ainda tinham energia de sobra, uma pelagem à prova d’água e uma pele grossa e solta que não era facilmente furada pelos dentes das raposas. A raça é muito rápida e ágil, e embora pequenos, o Border Terrier possui mesmo um vigor incrível e uma atitude corajosa.

A primeira evidência destes cães datam do século XVIII — uma pintura de 1754 por Arthur Wentworth retrata dois Border Terriers. Seus ancestrais são desconhecidos, embora muitos afirmem que eles estão provavelmente relacionados ao Dandie Dinmont e oa Bedlington Terrier.

Border Terriers foram antes conhecidos como Coquetdale Terrier (entre outros nomes), sendo o nome Border Terrier adotado em 1870, em sua primeira exposição. Enquanto era premiado em seu país de origem por sua natureza destemida e implacável, não era tão popular em outros países. Ele até poderia ser visto em exposições agriculturais em Northumberland no final do século XIX, mas em geral era pouco conhecido até o início do século XX.

Border Terrier de um século pra cá

Em 1920, o Border Terrier foi reconhecido pelo Kennel Club da Inglaterra, e um clube de raça foi formado. A raça foi reconhecida pela AKC em 1930. Menos atraente que muitos outros terriers, o Border continuou a ser mais apreciado pelos patronos da caça do que em exposições. Ultimamente, a raça tem experienciado um aumento de popularidade e rapidamente tem se tornado mais popular como animal de estimação e exposição. A verdade é que na maior parte da sua existência, o Border Terrier tem sido um tanto desconhecido, e seus apreciadores até preferem que ele permaneça assim se for para protegê-lo de rompantes exagerados de popularidade que muitas vezes leva a reproduções irresponsáveis. Alguns dos talentos do Border Terrier incluem: caça, farejamento, vigilância, competições caninas de agility e obediência e desempenhar truques.

Aparência do Border Terrier

border-terrier-aparencia
Típico Border terrier adulto de orelhas em formato de “V” escuras, certa barbicha e olhar penetrante. (Créditos/Copyright: “Por rebeccaashworth/Shutterstock”)

Border Terriers são terriers de pequeno porte, levemente mais altos que longos com uma aparência vívida e uma pelagem distinta. Ele é conhecido pela sua “cabeça de lontra” e sua expressão alerta que combina com o seu comportamento curioso. O seu focinho é curto e normalmente escuro, com uma parada moderadamente ampla. Seus olhos de tamanho médio são castanhos escuros e o espaço entre eles é relativamente largo. O nariz é preto e suas orelhas são pequenas e escuras, que se dobram em forma de “V” dispostas na lateral da cabeça, descendo para frente, próximas as bochechas. Seus dentes se fecham em mordida de tesoura.

Os ombros e todo o seu corpo são estreitos. Suas patas longas dão a velocidade, agilidade e resistência necessária para acompanhar um cavalo a trotar em qualquer tipo de terreno, enquanto o seu corpo permite que ele se esprema através de espaços apertados para perseguir raposas dentro de suas tocas. As patas da frente são retas e não são pesadas. A sua cauda possui tamanho médio, mais grossa na base que afina na ponta, carregada em nível com as costas.

Border Terriers possuem uma pelagem dupla, resistente a temperaturas e à água, e de inúmeras cores, incluindo castanho avermelhado, azul e castanho, castanho, grisalho e castanho ou palha. Alguns possuem uma mancha branca no peito. A camada de baixo dos pêlos é curta, densa, macia e coberta por outra camada lisa de pêlos rijos, resistente à sujeira, bem rente à pele, sem cachos ou ondas. E sua pele é grossa e solta.

Ambiente Ideal para o Border Terrier

border-terrier-ambiente-ideal
Border Terrier em seu ambiente ideal, em total convívio com a sua família.(Créditos/Copyright: “Por rebeccaashworth/Shutterstock”)

O Border Terrier viverá bem um um apartamento somente se for suficientemente exercitado. Por terem sido criados para caçar, eles possuem uma alta energia e vigor, mas são moderadamente inativos dentro de casa. Um pequeno jardim também será suficiente. Pode ficar do lado de fora da casa em climas temperados, mas prefere dividir o seu tempo entre a casa e o jardim. Border Terriers são cães familiares e devem viver dentro de casa junto a seus donos, nunca amarrados sozinhos no jardim ou canil, embora curtam o acesso ao quintal quando assim desejarem. Apenas mantenha o jardim bem cercado e seguro com portões e muros altos — eles são verdadeiros artistas quando o assunto é escapar.

Temperamento & Personalidade do Border Terrier

border-terrier-temperamento
Border Terrier brincando em meio a árvores no parque. (Créditos/Copyright: “Por Adya/Shutterstock”)

O temperamento de qualquer cão é afetado por inúmeros fatores, incluindo hereditariedade, treinamento, e socialização. Os filhotes que possuem bons temperamentos costumam ser curiosos e brincalhões, costumam se aproximar das pessoas e gostam de ser carregados por elas. Como todo cão, o Border Terrier precisa de socialização desde filhote — o exponha à diferentes pessoas, locais, sons, cenas e experiências. A socialização ajuda a garantir que o seu Border Terrier cresça saudável tornando-se um cão bastante sociável.

O Border Terrier possui um temperamento peculiar pra combinar com a sua aparência também distinta. Considerando que eles são terriers, Borders possuem um temperamento muito bom — eles são afetuosos, amáveis, brincalhões, obedientes, ávidos para agradar, leais, obstinados e corajosos. Eles se desenvolvem bem melhor com a interação com os humanos e a atenção que obtém dessa relação. É importante para o Border Terrier conviver com a sua família tempo integral.

Eles só não são tão afetuosos com gatos ou outros animais pequenos. Quando a questão é animais pequenos, eles possuem o fogo dos terriers. Mesmo não sendo mantidos como cães de caça, eles são capazes de ser ferozes e impiedosos. Como a maioria dos terriers, eles não costumam hesitar em começar uma confusão com algum animal que não gostem.

Mesmo assim, eles são dos mais maleáveis em comparação a outros terriers, e ainda podem conviver bem com gatos e outros cachorros se forem socializados desde pequenos. Tudo vai depender do modo como forem introduzidos a este convívio. Só não recomenda-se deixá-los sozinhos sem supervisão, principalmente pequenos animais de estimação como coelhos, hamsters, etc. Um Border que rosna ou encara outros cães possui o temperamento errado — ele não deve agir assim de forma alguma. Até porque, ele foi criado para trabalhar em conjunto com outros cães de caça, por isso é importante que ele tenha atitudes amigáveis com outros cães. Embora, as vezes, teimosos, obstinados e ávidos por uma boa perseguição, Border Terriers são, em geral, cachorros calmos, amáveis e raramente agressivos. Borders podem se adaptar a ambientes e situações diferentes também, assim como lidam bem com mudanças temporárias.

O Border Terrier adora brincar e possui muita energia para isso. Combinação perfeita para a companhia de crianças, eles vão brincar sem hora pra terminar. O amor deles pelas pessoas e o bom temperamento faz com que sejam ótimos cães de terapia, especialmente para crianças e idosos, sendo ocasionalmente usados como ajudantes de cegos ou surdos.

Eles são altamente inteligentes e facilmente treináveis, apesar da teimosia e independência típica de terriers, e aprendem rapidamente truques e os sinais que você dá quando é hora de sair para passear, quando é hora de comer e o que você gosta ou não gosta que eles façam. Eles se saem bem com atividades associadas a tarefas e possuem habilidades surpreendentes para pular alto e correr com velocidade por causa das suas patas longas.

Desde cedo eles devem ser treinados a obedecer comandos, pois Borders são conhecidos por serem territoriais e irão proteger seus lares. Eles possuem um bom faro e podem sentir quando o perigo está próximo. São desconfiados de estranhos, podem estranhar, mas não chegam a ser agressivos. Eles levam o treinamento à sério, pois estão sempre querendo agradar, mas eles precisa de um líder consistente. Você deve ser sempre o seu líder firme e confiante para evitar a Síndrome do Cão Pequeno, sem falar na ansiedade de separação.

Problemas podem surgir quando a pessoa não consegue distinguir um comportamento natural canino confundindo com emoções humanas, acabando com um cão que pensa que é o dono da casa. Mesmo sendo uma raça de porte pequeno, a pessoa PRECISA entender e seguir à risca o conceito de como manter um cachorro na linha em casa.

O Border Terrier não se comporta bem se for deixado sozinho por longos períodos de tempo e se torna destrutivo, costuma cavar e latir de forma excessiva se estiver entediado ou deprimido. Por esta razão, um lar onde todos possuem carreiras profissionais e fiquem fora o tempo integral não é a situação ideal para eles. A raça também não é recomendada para pessoas novatas, apáticas ou sedentárias. Além disso, eles são verdadeiros artistas do escapismo!

Qualquer cachorro, não importa o quanto for bonzinho, pode desenvolver níveis de comportamento inadequados, como latir em excesso, cavar, roubar comida e outros comportamentos indesejáveis se estiver entediado, destreinado ou não for supervisionado.

Socialize-o bem e desde cedo. Filhotes devem ser acostumados a barulhos desde cedo para evitar a timidez excessiva. Border Terriers filhotes e adolescentes são muito ativos, mas a medida que vão ficando mais velhos vão acalmando.

O Border Terrier perfeito não nasce perfeito, ele é produto da sua hereditariedade e criação. Seja lá o que você deseja dele, procure por um que tenha tido pais com boa personalidade e que tenham sido socializados desde filhotes. Qualquer cão pode desenvolver níveis desagradáveis de latidos, cavações e outros comportamentos inadequados se estiver entediado, destreinado ou não supervisionado. Compre um filhote que tenha sido criado em casa e tenha certeza de que ele foi exposto a diferentes locais e sons, assim como pessoas antes de ir para outro lar. Continue socializando-o sempre levando a casa de amigos e vizinhos, assim como a passeios públicos. Antes de comprar um filhote, procure saber como escolher o filhote ideal e não deixe de conversar com o seu criador, descreva exatamente o que você procura em um cãozinho, e peça ajuda para escolher um filhote. Os criadores costumam conviver com filhotes todos os dias e podem dar excelentes recomendações uma vez que saibam um pouco sobre o seus estilo de vida e personalidade.

Cuidados e Manutenção do Border Terrier

border-terrier-cuidados
Border Terrier em meio a flores no jardim exibindo toda a sua beleza natural terrier. (Créditos/Copyright: “Por Tatiana Gass/Shutterstock”)

Comece a acostumar o seu Border Terrier à ser escovado e examinado desde filhote. Mecha em suas patas com frequência — os cães costumam ser sensíveis com relação às suas patas — e olhe dentro de sua boca e orelhas. Torne essa manutenção uma experiência positiva cheia de elogios e recompensas, e assim você irá construir a base para exames veterinários e idas ao petshop mais fáceis de se lidar. Uma introdução cedo mostra para o independente Border Terrier que manutenção é um hábito normal da sua vida, e o ensina a aceitar com paciência todo o processo.

Ao checá-lo, procure por machucados, arranhões, feridas ou sinais de infecção como vermelhidão, inchaço, ou inflamação na pele, nas orelhas, nariz, boca, olhos e patas. Este rápido exame pode levar a diagnósticos mais cedo e evitar maiores problemas de saúde.

Escove os seus dentes 2 ou 3 vezes na semana para remover tártaro e bactéria que proliferam dentro da boca – diariamente é ainda melhor para prevenir gengivite e mau hálito e ainda evitar o caimento de dentes precoce. Corte suas unhas uma ou duas vezes ao mês se não forem gastas naturalmente. E cheque suas orelhas uma vez por semana por sujeira, vermelhidão ou mau cheiro que possam indicar infecções. Limpe-as semanalmente usando loção de de PH equilibrado para evitar maiores problemas.

O Border Terrier possui uma pelagem dupla composta de uma camada interna curta e densa e outra externa descabelada. Mesmo para exposições, o Border precisa apenas de pouca manutenção na cabeça, pescoço e patas. Escovações semanais e tosas periódicas (a cada 5 a 6 meses) irá manter o Border Terrier com uma excelente aparência. O seu kit de manutenção deve incluir um pente, uma escova de cerdas naturais, e uma faca de decapagem para retirar os pêlos mortos (à não ser que você opte por um profissional, duas vezes ao ano). Decapar involve tirar os pêlos mortos com a mão ao invés de cortar com tesoura, ou remover com uma ferramenta como a faca de decapagem. É o tipo de coisa que pode ser feita em 30 minutos enquanto vocês dois assistem a um programa de televisão. Fazendo isso você vai evitar que os pêlos se espalhem pela casa.

Para uma manutenção ainda mais fácil, você pode tosar os pêlos, mas a textura e a cor ficarão mais suaves e mais claras, e a pelagem não será mais tão resistente as condições do tempo. E se você não ligar para a aparência desalinhada, você pode deixar os pêlos naturais, sem cortar ou tosar, mas ele cairá mais. Border Terriers também não precisam tomar muitos banhos — apenas se ficarem muito sujos e for realmente necessário. A sua pelagem naturalmente repele a sujeira e, as escovações semanais serão o suficiente para manter a pelagem limpa. E quando for dar banhos, use um shampoo específico para o seu tipo de pêlos para ajudar a manter a textura.

Saúde do Border Terrier

border-terrier-saude
Border Terrier filhote (Créditos/Copyright: “Por MARKABOND/Shutterstock”)

Na maioria das vezes, os Border Terriers são todos saudáveis, mas como toda raça canina, alguns são mais suscetíveis à certas condições de saúde. Algumas doenças são mais comuns em algumas raças que em outras e nem todos eles terão uma ou todas estas doenças, mas é importante saber sobre elas ao considerar esta raça. Embora os problemas de saúde não aparecem até que o cachorro alcance a sua completa maturidade, e liberações médicas não são dadas até que eles completem 2 anos de idade, procure por criadores que não fazem reproduções antes dos 2 ou 3 anos de idade.

Borders Terriers possuem uma tolerância alta para dor e raramente apresentam sinais de doenças ou sofrimento. Contudo, é importante monitorar de perto a sua saúde. Border Terriers são suscetíveis a displasia de quadril, PRA, cataratas, convulsões, defeitos do coração, alergias, e possuem uma baixa tolerância a anestesia. Além disso, Border Terriers são mais suscetíveis a uma doença hereditária chamada Síndrome da Cãibra Epileptoide Canina, também conhecida por “Doença de Spike” — uma doença recentemente reconhecida e muitas vezes confundida com epilepsia, mas que é considerada ser uma doença metabólica, muscular e neurológica.

Lembre-se que depois de levar um filhote para casa, você tem a responsabilidade de protegê-lo de um dos problemas caninos mais comuns: a obesidade canina, inclusive uma das tendências da raça. Manter o seu Border Terrier em um peso adequado é uma das maneiras mais fáceis de manter a saúde do seu cachorro e a vida dele saudável para a vida inteira. Em geral, qualquer cachorro pode estender a sua longevidade canina desde que se tomem os devidos cuidados com a sua saúde. O Border Terrier costuma viver cerca de 15 anos ou mais e ter de 4 a 5 filhotes por cria.

Atividade & Exercícios do Border Terrier

border-terrier-atividades
Border Terrier empelna atividade, nadando atrás de uma bola. (Créditos/Copyright: “Por crazychris84/Shutterstock”)

O Border Terrier precisa de exercícios regulares diariamente e ainda adora ter uma tarefa para fazer. Eles gostam de pelo menos meia-hora de exercícios todos os dias, como uma caminhada no parque ou a redor do bairro, brincar sem coleira em áreas seguras e cercadas onde possam correr livre, um bom jogo de pegar e trazer, como frisbee. Ele ainda curte jogos que simulam caçadas, e que permitam exercitar a sua mente assim como o corpo enquanto saciam seu instinto natural. Sem exercícios suficientes, Border Terriers podem ganhar peso e ficar entediados. Tédio pode levar a comportamentos destrutivos e muitos latidos.

O importante é dar os estímulos certos e mais adequados à raça do seu cachorro. Para entender melhor o que pode ou não pode ser feito em termos de exercícios e estímulos, é preciso saber como estimular a mente do seu cão, e ter sempre em mente quais são os cuidados básicos na hora de exercitar o seu cachorro. Existem diversos motivos para exercitar e estimular o seu cão, mas o mais importante deve ser a saúde física e mental dele, sem falar que um cachorro saudável pode viver por muito mais tempo ao seu lado.

Treinamento do Border Terrier

border-terrier-treinamento
Border Terrier filhote, atento a farejar alguma coisa pelo jardim. (Créditos/Copyright: “Por nancy dresse/Shutterstock”)

Treinamento e socialização (o processo em que filhotes ou adultos aprendem como ser amistosos e se dar bem com outros cachorros e pessoas) são essenciais para o Border Terrier. Procure saber como adestrar o seu cão e comece a treinar o seu filhote no momento que trazê-lo para casa. Mesmo com 8 semanas de vida ele é capaz de absorver tudo o que você puder ensiná-lo. Não espere até que ele faça 6 meses de idade para começar o seu treinamento ou você terá que lidar com um cachorro muito mais teimoso e difícil de controlar.

Border Terriers podem dar um pouco de trabalho para ser treinados. Por um lado, eles são ávidos para agradar e muito inteligentes. Eles aprendem rapidamente as regras da casa e outras importantes etiquetas caninas como fazer suas necessidades em locais apropriados e determinados, caminhar com a guia, e saudar pessoas de forma educada, embora nunca desistam completamente do hábito de pular.

No que diz respeito a treinamentos mais avançados, os desafios são maiores. Border Terriers foram desenvolvidos para ser independentes porque durantes as caçadas a raposas eles tinham que trabalhar a uma certa distância de seus donos. Esta característica é ainda muito presente na raça, e embora escutem um comando, eles decidem por si mesmos se irão obedecer. Mesmo assim, prefira ir com calma; eles são sensíveis e não respondem bem a treinamentos mais duros, que irão destruir o espírito deles. Para treinar o seu Border Terrier, procure por um treinador que entenda a mentalidade terrier e usa técnicas de esforço positivo como elogios, brincadeiras e recompensas com comidas. O seu treinamento deve ser feito com muita motivação, respeito, paciência e consistência.

Quando o treinamento é divertido, ou seja, mistura técnicas de adestramento com diversão, o resultado é sempre muito mais positivo. Algumas dicas de como se divertir exercitando o seu cachorro poderão ajudar você a treiná-lo brincando. É importante conhecer o seu cão e entender quais são as atividades preferidas do cachorro.

Treinamento de coleira e guia é outra coisa muito importante. É incrível como o Border Terrier pode de repente sair correndo na caçada de alguma presa ou possível aventura. E este instinto não desaparece com a idade; costuma ficar ainda mais forte.

Ao treiná-lo, seu dono deve sempre manter o cachorro ao seu lado ou atrás quando caminhando com ele. O objetivo do treinamento desta raça é obter sucesso no status de líder do bando. É natural para um cachorro haver uma ordem no seu bando. Quando seres humanos vivem junto a cachorros, nós nos tornamos o seu bando. O bando inteiro deve cooperar sob um único líder; os limites são claramente definidos e as regras são colocadas.

Ensinar o seu cachorro a deitar, sentar e ficar no lugar é vital para o treinamento de um filhote. O treinamento da caixa é algo também fortemente recomendado para o Border Terrier. Não só ajuda no treinamento dentro de casa, mas também serve como um espaço para se acalmar e relaxar, além de evitar que ele saia mastigando tudo por ai enquanto você estiver fora. A caixa é apenas uma ferramenta, não uma jaula, por isso não mantenha-o preso ali por longos períodos. O melhor lugar para o seu Border Terrier é sempre com você.

O dono e todos as outras pessoas de seu convívio DEVEM estar em uma ordem acima do cachorro. É a única maneira de se obter sucesso nesta relação com o seu cachorro. Quando treinado e socializado de maneira adequada, o BorderTerrier é capaz de ser um excelente cachorro e companheiro da família.

O Border Terrier apresenta talento em áreas como tracking, agility, obediência competitiva, e caça.

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Border Terrier”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *