No artigo que já escrevemos aqui no portal sobre animais carnívoros, alertamos vocês leitores sobre um mundo de terrível violência. Neste, sobre animais herbívoros, o alerta deveria ser o contrário: você vai entrar num mundo de tranquilidade e paz.

Será mesmo? A natureza, mais em especial o universo dos animais, é plena de momentos surpreendentes. E você já viu muitos desses momentos aqui. As tais tranquilidade e paz que, em teoria, deveriam fazer parte do dia a dia dos animais herbívoras são uns desses momentos. Apenas ocasionais.

Uma das grandes curiosidades no quesito alimentação de humanos é sobre se somos animais herbívoros ou carnívoros. A Biologia detém forte briga com a Filosofia a respeito desse fator.

A primeira, apoiada pela fisiologia, diz que o organismo humano necessita de proteína animal para se manter. A segunda, apoiada pela Ética, alega que o humano já evoluiu o suficiente para dispensar a carnificina da matança de animais.

Afinal, o homem é um dos animais herbívoros ou carnívoros?

Animais herbívoros se alimentam de plantas, frutas, sementes e outros vegetais.

Animais herbívoros se alimentam de plantas, frutas, sementes e outros vegetais.

Bem, parece que a definição é individual, pessoal, pois envolve questões éticas e até mesmo religiosas. Entretanto, é possível se basear em dados científicos para definir o tipo de alimentação humana. Por outro lado, é possível também se basear em experiências pessoais, pois milhares de humanos vegetarianos.

A ciência prefere apostar no meio termo. O homem é animal onívoro, ou seja, seu organismo pode se beneficiar tanto de outros animais quanto de vegetais. Até poucas décadas atrás, a fisiologia garantia que a proteína animal era essencial para manutenção da saúde humana.

Entretanto, estudos posteriores indicaram que a coisa não é bem assim. Como base, diz-se que o formato dos membros e dentes humanos são mais adequados à alimentação herbívora e frugívora. Além disso, outras pesquisas indicam que o percentual de incidência de câncer e infarto é maior nos consumidores de carne. Especialmente consumidores de carne vermelha.

Contudo, regiões da França e Itália contradizem esse estudo. Houve aumento considerável de consumo de carne e manteiga nessas regiões sem prejuízo alarmante para casos de doenças.

Bem, mas nosso tema é animais herbívoros. Então, vamos voltar a ele.

O que são animais herbívoros

O principal alimento dos animais herbívoros deve ser de origem animal.

O principal alimento dos animais herbívoros deve ser de origem animal.

Certamente, você sabe o que são animais herbívoros – pelo menos no sentido popular do termo. Vamos ver agora algumas particularidades sobre animais que vivem sob esse tipo de dieta.

Eles comem principalmente alimentos de origem vegetal, ou seja, matéria que iminentemente passou pelo processo da fotossíntese. Entretanto, nem todos tidos como animais herbívoros são exclusivamente vegetarianos. Sua dieta pode ser composta mais de vegetais e de carne. Porém, para esses animais, a maior quantidade de alimentos consumida é de vegetal. Daí serem considerados herbívoros.

Dentre eles, há os chamados “animais herbívoros frugívoros”, que se alimentam muito mais de frutos que de folhas. Há também os “animais herbívoros folígeros, que comem mais folhas que frutos. Há mais informações sobre isso logo abaixo.

Assim, animais herbívoros podem ocasionalmente ingerir carne. Entretanto, a chance de isso representar algum conflito orgânico ou ambiental é grande. Ele pode comer carne por falta de opções, por descontrole fisiológico, por estresse físico ou mental.

Além de tudo, a composição alimentar obedece a certas características da região em que vive. Ao longo do tempo e das gerações, o organismo animal pode ir se adaptando à oferta de alimento do ambiente. Raízes, frutos, folhas, caule e até madeira são algumas das ofertas.

Aliás, a compleição física de alguns animais herbívoros é motivo para críticas de vegetarianos contra humanos carnívoros. Dizem eles que enormes e saudáveis animais como elefantes e bois são totalmente vegetarianos. A gente comenta mais sobre isso no capítulo Relação Tamanho – Herbivoria – Carnivoria.

Fisiologia e comportamento de animais herbívoros

A fisiologia dos animais herbívoros é diferente para acomodar a sua forma de nutrição.

A fisiologia dos animais herbívoros é diferente para acomodar a sua forma de nutrição.

Boa parte da estrutura física dos animais herbívoros se desenvolveu ao longo do tempo para consumo de fibras vegetais. Veja.

Animais herbívoros poligástricos

A natureza não deu dentes pontiagudos para os herbívoros, mas deu muitos estômagos. Esse tipo de animal é chamado poligástrico, pois dispõe de sistema digestivo pluralizado e complexo.

Em verdade, trata-se de várias câmaras gástricas dentro de apenas um estômago, o que não contradiz o nome. Algumas espécies têm até 4 dessas câmaras. Em um ou dois desses compartimentos, há concentração enorme de colônias de bactérias cuja função é fermentar e decompor a celulose dos vegetais em substâncias energéticas.

Há comunicação entre os compartimentos estomacais por meio de válvulas que permitem passagem do alimento de um para outro. Via de regra, animais com múltiplos estômagos são ruminantes, isto é, o alimento volta para a boca para continuidade no processo digestivo. O caso dos coelhos é interessantíssimo e você lê mais sobre ele abaixo.

Animais herbívoros monogástricos

São animais herbívoros cujos estômagos não dispõem de câmaras, ou seja, trata-se de apenas um compartimento. Eles não regurgitam. Isso significa que a fermentação ocorre ali mesmo ou no intestino, de maneira que não precisam levar o alimento de volta à boca para misturar com saliva.

Interessante: a gente comentou sobre o processo digestivo dos coelhos, que são animais herbívoros, em artigo específico a esses animais. E é bastante interessante – ou melhor, asqueroso na opinião de alguns. Trata-se do cecotrofia. O vegetal é mastigado, levado para o estômago e, lá, é fermentado.

Depois, segue para o ceco, órgão localizado no fim do intestino. Ali, bactérias começam a agir. O processo de fermentação faz que a matéria se enriqueça de proteínas e outros energéticos naturais em função de quebra de elementos químicos. Assim, transformam a matéria em substratos ricos em proteína. Posteriormente, o material é expelido pelo ânus.

E aí é que está o caráter de asqueroso na opinião de alguns: os coelhos comem esse material. Em princípio, o animalzinho está aparentemente comendo suas próprias fezes. Em verdade, não são fezes propriamente ditas, mas matéria orgânica cheia de substâncias importantes para manutenção de sua existência.

Dentes

O formato dos dentes dos animais herbívoros se dá melhor para mastigar vegetais que propriamente para dilacerá-los. Não são pontiagudos como os dos animais carnívoros; são planos nas extremidades. Assim, trituram e preparam o alimento já na mastigação antes de ser levado ao estômago.

Animais herbívoros não dispõem de dentes incisivos na grande maioria das espécies, que são apropriados para penetrar nos alimentos. Em vez disso, todos os dentes são rentes entre si.

Sem garras

Animais herbívoros não possuem garras – pelo menos não garras para defesa. Alguns têm garras para apoio nos movimentos

Saliva e Urina

São bastante alcalinas. A saliva possui concentração razoável de ptialina, que é enzima essencial na fermentação dos alimentos

Processo digestivo

As extremidades dos dentes (achatadas) esmagam as plantas. Esse processo é chamado digestão mecânica, em que o alimento passa pela fase da trituração, ainda sem fermentação e com pouca saliva.

Uma vez chegando ao estômago, diversos tipos de micro-organismos começam a atuar a fim de decompor as substâncias. Com isso, a celulose é extraída e convertida em energia, normalmente à base de glicose. Esse processo é chamado “digestão orgânica”.

O material é, então, devolvido à boca para mastigação. Um pouco mais de saliva é injetada na matéria.

Sem caça

Uma das vantagens dos animais herbívoros é que não precisam caçar seus alimentos. Ou seja, a ação de alimentar-se não vai acompanhada de estresse, de contenda, de violência. Apesar de que há plantas com algum nível de autoproteção, como substâncias tóxicas e espinhos. Mas, claro, os animais já assimilaram as lições para não consumir tais vegetais.

Isso não significa que a vida dos animais herbívoros seja uma mar de paz e calmaria. Eles não caçam, mas são caçados. A estrutura muscular dos animais herbívoros é muito mais atraente para animais carnívoros, pois a deglutição da matéria é muito mais fácil.

É por isso que a esmagadora maioria dos carnívoros prefere se alimentar de carne de animais herbívoros.

Animais herbívoros quanto ao comportamento alimentar

Animais herbívoros são classificados quanto ao comportamento alimentar.

Animais herbívoros são classificados quanto ao comportamento alimentar.

Animais herbívoros são também classificados segundo os tipos de vegetal que ingerem.

Animais herbívoros frugívoros

A maioria dos vegetais que consomem é de frutas. Podem eventualmente comer raízes e folhas, mas a base é a fruta. Sanhaço, tucano, morcego, anta, gambá, araçari, etc. têm esse tipo de dieta.

Animais herbívoros folívoros

Esses comem apenas folhas. Coelho, bicho preguiça, jacu-cigano, coala, iguana etc. são exemplos.

Animais herbívoros xilóvoros (ou xilófagos)

São aqueles que preferem muito mais madeira em si, ou seja, o interior dos troncos das árvores. Estranho? Cupins, por exemplo.

Animais herbívoros granívoros

A dieta alimentar é baseada em sementes e grãos, como galinha, arara, papagaio etc.

Animais herbívoros polinívoros

Vivem à base de pólen flores. Aranha, marsupiais, morcegos etc.

Animais herbívoros nectarívoros

Usam o néctar das plantas como alimento. abelhas, borboletas, morceguinho-do-cerrado.

Alguns animais herbívoros

O elefante é um dos animais herbívoros entre muitos outros.

O elefante é um dos animais herbívoros entre muitos outros.

Há muito mais seres herbívoros no Planeta que carnívoros. E têm desde tamanhos mínimos (poucos centímetros) aos representantes dos maiores animais do mundo.

Cavalo – o herbívoro elegante

É o mamífero ungulado mais conhecido e admirado do mundo (“ungulado” significa que dispõem de cascos nas patas em vez de dedos). Há mais de 4 mil anos, é apreciado por seu porte e seu trote, ambos de elegância incrível.

Além disso, sua força é extraordinária. É essa a razão de ter sido um dos primeiros animais a serem domesticados para uso laboral.

Há tamanhos variados, mas todos são animais herbívoros. Alimentam-se principalmente de feno e grama. Se domesticados, ingerem aveia, cevada, farelos em geral.

Castor – o herbívoro construtor

Ele é conhecido por construir e manter represas. É o segundo maior roedor do mundo, estando atrás da capivara brasileira. E, quando se diz que é roedor, quer-se dizer que é roedor mesmo, no real sentido da palavra. Seus dentes passam o dia inteiro no trabalho de mastigar e quebrar gravetos. É com eles que constrói suas tocas, verdadeiras obras da engenharia natural.

Consome grande variedade de vegetais, incluindo cereja, bétulas, salgueiros.

Capivara – o herbívoro brasileiro

Capivara é o maior roedor do mundo. É bastante sociável, vivendo em pequenos bandos. Come desde plantas aquáticas a gramas de diversos tipos.

Rinoceronte – o herbívoro feroz

Na lista dos maiores mamíferos, o rinoceronte está em segundo lugar – o primeiro é do elefante. E ambos são animais herbívoros. A região da boca desse animal é aquadradada, o que o torna excelente consumidor de vegetais – arbustos e até troncos de árvores.

Elefante – o herbívoro colossal

Esse colono de carne, músculos, peso e tamanho é vegetariano. É o único sobrevivente da ordem Proboscidea, ou seja, de animais que apresentam trombas.

Há apenas 03 espécies classificadas pela zoologia:

  • Africanos da Floresta
  • Africanos
  • Asiáticos

Sua alimentação se dá com arbustos, frutas, cascas de árvores, grama etc.

Peixe-boi – o herbívoro das águas

É mamífero, como as baleias, mas é vegetariano. E é enorme também. Vive mais em águas rasas. Seu prato preferido são plantas cujos caules e folhas flutuem com o movimento da água.

Coelho – o pequeno herbívoro “asqueroso”

Ele pertence à família Leporidae e vive praticamente em todos os lugares. Ingere especialmente ervas daninhas. A particularidade desse animal é a cecotrofia ou coprofagia, de que a gente já comentou acima.

Aves

A alimentação da maioria das aves é baseada em herbivoria. Cacatuas, araras, periquitos, gansos etc.

Insetos

Igualmente, a grande maioria dos insetos tem a vegetação como base alimentar. Exemplo: borboletas, cigarrinhas, traças, formigas, lesmas etc.

Répteis

Dentre os répteis, as iguanas verdes e as tartaruga são exemplos de animais herbívoros.

Relação Tamanho X Herbivoria X Carnovoria

Grandes mamíferos podem ser herbívoros.

Grandes mamíferos podem ser herbívoros.

É curioso o fato de que grandes mamíferos sejam animais herbívoros. Aliás, isso é base para argumentos de humanos vegetarianos a favor de suas opções alimentares. Entretanto, há uma questão lógica de que a natureza lança mão na relação entre o tamanho dos herbívoros e o fator alimentar.

De certa maneira, a lógica seria que, tendo alimentação menos substanciosa e com processo digestivo mais complicado, a estrutura física dos animais herbívoros fosse menor que a dos animais carnívoros. Porém, o que se dá é o contrário. Os carnívoros – como leões, tigres, antas etc. – são menores que herbívoros – como bois, girafas, rinocerontes.

A seleção natural de que Charles Darwin tanto falou proveu a seguinte lógica:

  • Herbívoros dispõem de alimentos menos energéticos e mais difíceis de serem
  • Sendo mais difícil, precisam passar muito mais tempo comendo
  • Portanto, são mais sujeitos a ataques de predadores carnívoros (por isso a maioria dos herbívoros tem olhos na laterais da face)
  • O tempo que passam digerindo acumulam energia
  • A estrutura física adquire tamanho para justamente criar certo nível de proteção contra predadores

Por outro lado, animais carnívoros não precisam de corpo grande, pois isso atrapalharia no ato da caça.

Como a gente disse várias vezes em vários artigos, a natureza é surpreendente!

Bônus: Todos os tipos de vegetarianos

Já que a gente está falando de herbivoria, conheça aqui todas as classificações de indivíduos que têm base alimentar vegetariana. Podem ser aplicadas tanto a bicho quanto a humanos.

  • Veganos: são vegetarianos não apenas nas questões alimentares, mas comportamentais também. Nem mesmo roupas e calçados de origem animal são adquiridos.
  • Ovolactovegetarianos: não consomem carne, mas podem consumir derivados, como queijo, leite, ovos.
  • Semivegetarianos: dispensam carne vermelha, mas podem consumir carnes brancas.
  • Lactovegetarianos: podem consumir leite e derivados, mas jamais, em hipótese alguma, comem ovo. Isso se dá mais por questões religiosas, pois consideram que o ovo é a base da vida. E carne vermelha ou branca também é dispensada.
  • Crudivorismo: são adeptos da ingestão de alimentos crus, excluindo até mesmo grãos (que precisam ser cozidos).
  • Macrobióticos: dieta japonesa, que pode ser vegan, ovolactovegetariana ou incluir peixe.
  • Frugivorismo: é considerado o cúmulo do veganismo, tendo características mais esotéricas que propriamente prática. Rejeitam até mesmo alimento em que os vegetais tenham sofrido alguma espécie de violência, como cortes e trituração. Ou seja: comem somente o que o vegetal (árvore, no caso) permite que seja comido, como folhas e frutos.

Portanto, eis tudo

A vida de animais herbívoros é plena de saúde, não obstante a complexidade de sua estrutura alimentar. Se você tiver mais alguma dúvida ou informação a respeito desse tipo de animal, escreva pra gente. Deixe na área de comentários abaixo.