A relação entre animais de estimação e fogos de artifício sempre foi complicada e uma questão difícil de ser resolvida.

Medindo entre 150 e 175 decibéis, fogos de artifício são mais barulhentos que aeronaves levantando decolando (140 decibéis).

Para quem não sabe, os decibéis medem o volume do som (altura), enquanto hertz mede a frequência do som.

Os ouvidos humanos podem ser prejudicados por meros 85 decibéis, sendo que só podemos ouvir cerca de 20.000 hertz, enquanto os cachorros podem ouvir entre 45.000 e 65.000 hertz.

Então, imagine o prejuízo físico e emocional que pode ocorrer no cachorro quando exposto ao barulho de fogos de artifício.

Sem mencionar que quando assustados, eles costumam fugir. Resultando na perda do cachorro no meio da noite, com a possibilidade até de nunca poder recuperá-lo de volta.

É comum o cachorro cavar debaixo de cercas, roer portão, quebrar porta e janelas por conta de fogos de artifícios contínuos.

Isso resulta em mais cachorros soltos pelas ruas, possivelmente mais suscetíveis aos perigos da rua, como serem atropelados, levados por estranhos, ou até indo parar em abrigos, no melhor dos cenários.

Tudo isso dificulta a recuperação e identificação do animal para recuperá-lo. Então, o que fazer para evitar que isso aconteça?

Continue lendo abaixo!

Animais de estimação e fogos de artifício: um perigo iminente!

Animais de estimação e fogos de artifício não combinam.

Estatísticas mostram que pelo menos 40% dos cachorros possuem fobias por barulhos, que podem incluir medo de trovões e tempestades, sopradores de folhas, britadeiras e outras ferramentas elétricas, aspirador de pó e até secadores de cabelos.

No entanto, estes tipos de barulhos, dependendo do estilo de vida e de onde moram, podem ser relativamente comuns e constantes, enquanto que os fogos de artifícios são assustadoramente esporádicos; portanto, inesperados.

Por isso, muitos animais de estimação associam os barulhos altos a perigo iminente. Pelo ponto de vista evolutivo, eles são condicionados a evitar ameaças quando notadas.

Sendo assim, não é nenhuma surpresa o fato de que os fogos de artifícios sejam perturbadores para muitos animais.

Outros animais também sofrem

Fobia de fogos de artifício não é só para os cachorros. Gatos e muitos outros animais domésticos e selvagens também possuem audição sensível naturalmente, a fim de que consigam caçar suas presas e se defender de predadores e outros perigos.

Portanto, muito provável que os gatos sofram da mesma fobia de fogos de artifícios como os cachorros.

Mas como eles costumam ser mais independentes em casa, fugindo e se escondendo de situações estressantes, os donos podem não perceber essa fobia em particular.

Animais menores como os coelhos e porquinhos da Índia são espécies consideradas presas, por isso são facilmente estressadas.

Infelizmente, os coelhos podem até morrer por medo extremo, especialmente se possuem doenças adjacentes. Eles podem também se machucar ao tentar fugir.

Não há muita informação sobre como os répteis e pássaros respondem aos fogos de artifício, mas eles possuem reações de estresse. Portanto, tomar precauções é a melhor opção no caso de qualquer animal.

O mesmo acontece com animais maiores

As vacas são animais sociais, portanto barulhos altos podem assustar um rebanho inteiro, enquanto cavalos também são considerados presas, que podem facilmente se assustar com os fogos de artifício.

Prepare o seu animal para o evento antes de escurecer

Em relação aos animais de estimação e fogos de artifício, o ideal é gastar a energia deles para que fiquem calmos de noite e durmam tranquilos.

O segredo para ajudar o seu animal de estimação a sobreviver ao ataque assustador é estar preparado.

Identificação: coleiras e microchips

O animal deve estar com uma coleira bem presa ao pescoço com a sua devida placa de identificação.

No caso dos animais com microchip, as informações de contato gravadas na clínica veterinária que implantou o chip devem estar atualizadas.

Dessa forma, se o animal escapar no meio da noite, ele terá mais chances de ser encontrado e identificado e você avisado mais rapidamente por quem o encontrou.

Exercite o animal durante o dia

Acredite, um cachorro cansado é um animal mais calmo. Assim como um gato feliz é um bichano relaxado.

Tente encaixar um tempo extra para gastar a energia do seu cachorro ou gato, brincando com eles, levando para passear, praticando alguma atividade, antes de escurecer.

Estas atividades vão ajudar a gastar energia e limitar a ansiedade mais tarde quando for a hora deles dormirem.

Traga todos os animais para dentro

Não deixe o animal do lado de fora da casa para sofrer sozinho. Tente colocar a cama dele, cercado ou casinha em um local abrigado e mais silencioso possível.

Mantenha as janelas e cortinas fechadas para abafar o som e observe o que funciona melhor para ele: diminuir a luz do ambiente, cobrir o seu local de dormir com um cobertor, deixar brinquedos por perto.

Os gatos gostam de ficar em locais mais altos para se sentir seguros. Tente criar uma espécie de nicho ou caverna acima do chão, ou local alto, para que ele se sinta mais confortável.

Distraia o seu animal

Forneça muitos brinquedos diferentes e alguns petiscos para roer de longa duração. Os brinquedos comedouros podem ser boas opções de distração para horas estressantes como essas.

A atenção do cachorro deve ser redirecionada para algo mais agradável, a fim de que ele não foque no barulho.

Use ferramentas calmantes

Muitos animais de estimação se adaptam bem às camisetas “trovão” ou cobertores que se ajustam ao corpo do animal como se fossem um casulo calmante e “fofinho”.

Os cachorros e gatos costumam adorar sentir o cheiro de feromônios específicos para cada espécie. Gatos podem usar coleiras com cheiros que imitam o feromônio produzido pela mãe para acalmar seus filhotes.

Já os cachorros respondem ao cheiro das cadelas lactantes, chamado de “feromônio apaziguador de cães”.

Utilize algum som calmo

Abafar o som que vem de fora é o primeiro passo, fechando as janelas, varandas e cortinas. Depois, colocar uma música ambiente ou até mesmo deixar a TV ligada, um ventilador, pode dissipar o barulho que vem de fora.

Esses sons familiares podem deixar o animal mais calmo e distraí-lo, a fim de tirar o foco do barulho dos fogos quando eles começarem.

Você também deve se manter calmo

Se você é dessas que também não curte o barulho dos fogos de artifício ou a ideia de que o seu animal possa vir a ficar estressado, tente se manter calmo e tranquilo para não passar a sensação de nervoso para o seu animal.

Os animais podem pegar sensações no ar e procurar pela nossa reação a essas situações estranhas, para saber como devem se comportar.

Se você reagir de forma nervosa aos fogos, eles também se comportarão da mesma forma.

Use medicação como última opção

Não há nada de errado em procurar o veterinário para que ele prescreva alguma medicação calmante par ao seu animal.
No entanto, a maioria dos veterinários recomendam que tutores não façam essa escolha logo de cara, sem antes tentar modificar o comportamento do animal com as dicas acima.

Mas se você já tentou de tudo e nada adiantou ou surtiu resultado, e o seu animal continua em pânico, é hora de procurar o seu veterinário.

Mantenha os animais longe dos fogos de artifício

Se o animal não se incomodar com o barulho e você planeja soltar seus próprios fogos de artifício, mantenha o animal dentro de casa, em local seguro.

Alguns cachorros podem querer “perseguir” o objeto iluminado e correm o risco de se queimar ou ficar cegos e surdos no contato com eles.

Além disso, muitos fogos contém substâncias tóxicas que se forem ingeridas podem prejudicar a saúde do animal. Portanto, fogos de artifício devem ser armazenados em locais fora do alcance do animal.

Quando cessar a queima de fogos

Os perigos para os animais de estimação vão além da queima e explosão dos fogos. Em geral, fogos são incorporados a celebrações festivas, como Ano Novo, festas Juninas, campeonatos esportivos, etc.

Normalmente, essas celebrações são comemoradas com pequenas festas onde há comida em abundância, bebidas, fumaça, resto de pólvora, papel, copos plásticos e outras substâncias que podem ser tóxicas, largadas para o fácil acesso do animal.

Portanto, antes de permitir o acesso do animal a essa áreas externas sem a sua supervisão, faça uma limpeza e tire do seu alcance qualquer objeto ou substância que possa ser ingerido e colocar a vida dele em risco.

Dependendo dos químicos que os fogos de artifícios contém e o cachorro ingerir, isso pode causar sérios problemas gastrointestinais, apresentando sintomas de envenenamento como vômito, diarréia sanguinolenta, dores abdominais e obstruções por corpos estranhos.

Na pior das hipóteses, as substâncias podem causar falência do fígado, dificuldade de respiração e ataques de epilepsia.

Se você desconfiar que ele possa ter ingerido alguma substância tóxica, ligue para o seu veterinário imediatamente.

Por Equipe Editorial

O Vidanimal.com.br acredita que compartilhar um bom conteúdo é a melhor maneira de fazer com que a informação chegue ao seu destino ou público alvo. Educar e conscientizar as pessoas é a nossa missão. Procuramos criar parcerias com profissionais empenhados em fazer parte dessa missão. Contamos com uma equipe de colaboradores que amam aquilo que fazem e se dedicam todos os dias para levar até você um conteúdo informativo de qualidade.

Deixe uma resposta