Menu fechado

Animais Carnívoros: Saiba tudo sobre eles e suas peculiaridades

animais carnívoros

Prepare-se: você vai entrar num clima de profundo terror. É como animais carnívoros vivem: num mundo de terror. Você já se surpreendeu muito com as curiosidades que nosso site publica em cada artigo sobre o universo dos animais.

Já viu de tudo por aqui: víboras, fofuras, companheirismo, insociabilidade etc. Tudo é realmente muito interessante. Já viu aqui até mesmo temas que aparentemente sejam asqueroso, como animais carnívoros.

Sim, até mesmo carnivorismo é surpreendente na natureza. Afinal, a regra “somente os mais fortes sobrevivem” não se aplica apenas ao mundo humano do sucesso corporativo ou de celebridade, mas especialmente ao mundo animal. Aliás, segundo a lógica da Teoria da Evolução das Espécies de Darwin, essa regra está no ser humano ainda em função das necessidades dos ancestrais.

Mas, claro, isso é outra história. O fato é que o mundo animal apresenta animais carnívoros em quase todas as espécies. E não apenas carnívoros no sentido direto do termo, mas também canibais. A gente também fala um pouco desse tipo de alimentação mais abaixo.

Contudo, é preciso convencionar a que este artigo se refere quando menciona “carne”. Trata-se da parte do corpo animal vertebrado, ou seja, animais que contenham sangue.

Diferença entre animais canibais e animais carnívoros

Animais carnívoros não são a mesma coisa que canibais.
Animais carnívoros não são a mesma coisa que canibais.

Muita gente confunde os dois termos. Ambos tratam em uma espécie de fenômeno natural – natural pelo menos no reino irracional. Entretanto, há diferenças técnicas, semânticas e etimológicas.

Um animal canibal pode não ser carnívoro e um animal carnívoro pode não ser canibal. Porém, a diferença é que o animal carnívoro ingere carne propriamente dita. Já o animal canibal ingere elementos da própria espécie, tenha carne ou não. Há insetos canibais, por exemplo, que comem os próprios semelhantes.

Portanto, a diferença básica é essa: o canibal come também o semelhante da espécie; o carnívoro come “carne”, mas não da própria espécie necessariamente. Neste caso, pode ser da mesma espécie, mas a vítima precisa necessariamente ter carne em sua estrutura corporal.

Então, o que é um animal carnívoro?

Animais carnívoros se alimentam de carne, como os tigres.
Animais carnívoros se alimentam de carne, como os tigres.

O carnivorismo é tão normal entre os animais que até há uma ordem taxonômica específica para classificar elementos com tal característica. (Taxonomia é a área da Biologia que identifica, registra e nomeia todos os seres vivos conhecidos.) É a ordem Carnívora.

A questão é um tanto complexa para quem não está acostumado com raciocínio científico – Biologia, no caso. Entretanto, este artigo pretende ser o mais fiel possível ao conceito de transmissão de informação – o que, aliás, acontece com todos os artigos de nosso site. Então, vamos lá!

A Zoologia entende que um animal carnívoro é aquele que se alimenta principalmente de carne. Ou seja: a base de seu processo alimentar é a carne. A dificuldade de assimilar a ideia está no fato de nem todos os animais considerados carnívoros se alimentarem exclusivamente de carne. Há alguns que são onívoros, ou seja, têm dieta bastante variada que inclui também vegetais.

Características dos animais carnívoros

Os animais carnívoros possuem grandes presas e caninos mais evidentes.
Os animais carnívoros possuem grandes presas e caninos mais evidentes.

Você vai notar neste artigo que as espécies de animais carnívoros têm muitas formas, tamanhos, peso e comportamentos estratégicos. Por outro lado, é possível dizer que há muitas semelhanças que os agrupam.

O cérebro da maioria dos animais carnívoros é proporcionalmente grande e, nele, a inteligência é intensa. Animais carnívoros de sangue quente gastam muita energia e, por isso, precisam comer mais. Desta maneira, passam mais tempo na caça que animais carnívoros de sangue frio, já que estes consomem menos calorias.

Por terem sistema digestivo mais simples, animais carnívoros têm apenas um estômago, ao contrário da maioria dos herbívoros (consumidores de vegetais), que chegam a ter até 4 câmaras estomacais.

O ser humano é carnívoro?

Animais carnívoros incluem o ser humano e felinos como a onça pintada.
Animais carnívoros incluem o ser humano e felinos como a onça pintada.

A base do esquema alimentar humano é a fonte de proteína animal. Ainda. Há fortes movimentos sociais que tentam excluir a carne animal da alimentação humana. São os chamados vegetarianos, ou seja, humanos (ou animais em geral) que se alimentam exclusivamente de plantas. É também o caso, por exemplo, da espécie bovina.

Há dois braços daqueles movimentos vegetarianos que vão além do conceito de vegetarismo em si. Os volactovegetarianos não ingerem carne, mas podem comer ovos e leite. Já os não ingerem nem mesmo qualquer produto que contenha subproduto animal na constituição. Assim, recusam ovos, leite e até mesmo gelatinas, que contêm cascos, colágeno e tecidos de ligação dos ossos de vacas ou porcos.

Animais carnívoros: tipos, exemplos e particularidades

Animais carnívoros também podem se alimentar de outros alimentos além de carne.
Animais carnívoros também podem se alimentar de outros alimentos além de carne.

A zoologia classifica animais carnívoros em três tipos básicos. A classificação é feita de acordo com o percentual de carne de que os animais precisam para manter sua estrutura. Ou seja, seu organismo tem problemas quando eles não ingerem o percentual que os classifica. Veja.

Animais carnívoros hipocarnívoros

É o tipo de animais carnívoros que precisam de carne na alimentação, mas em quantidade mínima, menos de 30%. A maioria dos onívoros – ou seja, animais que comem de tudo um pouco – é de animais hipocarnívoros.

Animais carnívoros mesocarnívoros

Como o próprio nome classificatório prediz, é meio carnívoro e meio vegetariano. Entretanto, sua dieta precisa necessariamente de pelo menos 50% de carne. O restante consiste em frutas, insetos, legumes etc. Raposas, guaxinins e outros vertebrados de médio e pequeno porte são mesocarnívoros.

Animais carnívoros hipercarnívoros

A base alimentar é a carne, isto é, mais de 70% da proteína consumida precisa ter origem na carne. Caso contrário, a saúde do animal fica comprometida. Isso ocorre porque o sistema digestivo é incapaz de digerir bem as fibras vegetais.

Bons exemplos de hipercarnívoros são leões, tigres, tubarões, cobras, lagartos etc. Sem a quantidade adequada de carne, não sobrevivem por muito tempo ou sobrevivem com muitos problemas.

Veja agora exemplos de animais carnívoros.

Urso polar ou Urso Kodiak – os maiores em terra

Não se pode ter certeza sobre qual dos dois é o maior porque ambas as subespécies apresentam tamanhos semelhantes. Ambas atingem por volta de 3m de altura e mais da metade disso de envergadura (de ombro a ombro).

Há indivíduos com mais de uma tonelada de peso. Entretanto, a média da espécie do urso polar fica entre 700 a 800kg de peso e 2,5m de altura.

Elefante-marinho – um dos maiores na água

Dentre mamíferos, répteis e outras espécies, é segundo maior animal carnívoro em águas, perdendo apenas para a baleia.

O que é interessante no elefante-marinho é que apresenta do dimorfismo sexual mais expressivo, pois o macho pode ter até 6 vezes o peso da fêmea (Dimorfismo sexual é o nome dado à diferença entre macho e fêmea). Ela chega a até 800kg e ele, a quase 4 toneladas; ela tem menos de 3m e ele, quase 6m.

Esse animal carnívoro consegue permanecer sob a água por mais de 20 minutos atrás de comida, que são basicamente lulas, peixes e grandes vertebrados marinhos. Ainda, descem a quase 1km de profundidade. E, ainda mais, fazem isso várias vezes ao dia.

Menção honrosa: Crocodilo de água salgada

Essa espécie de crocodilo se dá muito bem na água, mas é considerado terrestre porque é réptil e não anfíbio. Além disso, seu nome limita muito suas características, pois pode viver em qualquer tipo de água, não apenas a salgada.

Portanto, tem lugar nesta lista. A questão da menção honrosa é somente porque é muito grande, mas não é iminentemente animal carnívoro da terra.

Habita mais o norte da Austrália e sudoeste asiático de maneira geral. Chega a 500kg de peso e mais de 5m do focinho à ponta da cauda. Entretanto, machos ocasionalmente chegam a mais de 6m de comprimento.

A menção também se deve a seu instinto puramente predador. Muitos biólogos o consideram o pior dos predadores ao lado do tubarão, pois, segundo averiguações, ambos atacam praticamente sem motivo. Ou seja, mesmo com a fome saciada e sem riscos no ambiente, agride qualquer ser que se aproxime.

Além de tudo, é espreitador sagaz. É capaz de permanecer imóvel por horas até que a presa se descuide e, assim, dar o bote. Suas vítimas são macacos, búfalos, javalis, hienas e, pasme você!, tubarões. Se ele estiver em água salgada e um tubarão se descuidar, este torna-se prato degustado com prazer.

Doninha-do-Reino-Unido – o menor dos animais carnívoros do mundo

Essa coisinha fofa é comilona que só ela! É também conhecida como Mustela nivalis. Não é o putorius furo, o furão, do programa dominical, mas poderia, pois passa o dia procurando furos e tocas de presas.

Não pesa mais do 25gr (isso é 0,0025% do peso do maior animal carnívoro mencionado acima) e passa apenas um pouco mais de 25cm de comprimento. Entretanto, é capaz de abater vertebrados até 3 ou 4 vezes maiores que ele.

Assim, a coisinha fofa come um terço do próprio peso em carne. Para conseguir isso, usa uma arma instintiva fatal: mordida na jugular das presas.

Tiranossauro Rex – o terrível do passado

Parece não haver indícios de animal mais terrível que tenha passado pelo Planeta. E isso, ao longo dos milhares e milhares de anos de nossa história.

Era animal carnívoro bípede, mas corria como se tivesse cem patas. E, quando o termo animal carnívoro está relacionado a ele, é melhor grafar a palavra em maiúsculas. E todas as letras.

O rapazinho era incontrolável. Atacava qualquer coisa que respirasse ao seu redor. Ele não sabia, claro, que vegetais respiram. Se soubesse, era bem capaz de atacar também.

Deixou de existir há 67 milhões de anos; sua região era o que hoje é conhecida como América do Norte. Passava facilmente de 12m de comprimento e pesava umas 6 toneladas.

Sua mordida era mortal, equivalente a algumas toneladas de peso. Também, com dentes de 30cm, ser mortal era fácil.

Interessante: Mas parece o T. Rex teve um rival. Recentemente, escavações encontraram fósseis do que os cientistas paleontólogos chamaram de Espinossauro. A descoberta é importante porque, até ela, imaginava-se que os dinossauros viveram apenas em terra. Esse, teve a estrutura adaptada à vida marinha.

Até onde os pesquisadores puderam descobrir, diz-se que seu instinto predador era uma mistura do T. Rex, do crocodilo e ainda das baleias assassinas. Certamente, mesmo para os maiores dinossauros, foi difícil encarar o “moleque”.

Urubu-de-cabeça-vermelha – o animal carnívoro dos céus

O nome científico é Cathartes aura, mas pode chamar de carniceiro aéreo. Faz parte do grupo dos abutres, habitando todo o continente americano. Com asas abertas, abrange quase 2m.

Imagine qualquer substância em decomposição. A gente não sabe o que você imaginou, mas esse urubu come. Carniças, ossos, larvas, vegetais… o que ele vir pela frente, ataca.

Se as espécies de urubus pudessem apelidar indivíduos, apelidariam o urubu-de-cabeça-vermelha de apressadinho. Onde houver carniça, ele chega primeira. Não é comum que outros urubus identifiquem local de comida pela presença dele.

Esse animal carnívoro adquire o hábito de comer carne estragada desde filhote. Os progenitores regurgitam comida na boca dos filhotes para alimentá-los até que consigam encontrar alimento por si sós.

O Brasil tem seu representante de animal carnívoro aéreo. É o carcará. Também conhecido como caracará ou carrunho, tem nome científico como Caracara plancus. É da família dos falcões, mas é facilmente identificado por conta de algo parecido com bonézinho preto.

Sua gana por carne é grande, apesar de já ser acostumado com a presença humana. Além de vísceras de peixes às margens dos rios, também procura por caramujos, filhotes de aves, sapos, cobra, lagartos e outros vertebrados até maiores, como garças.

Coruja Bufo Real – o animal carnívoro da noite

É bem possível que você não saiba disso – e nosso site existe para isso mesmo -, mas corujas são consideradas aves de rapina. E carnívoras. Dentre as espécies, a Bufo Real é tido como a mais predadora, mais terrível, mais ameaçadora.

Pode ter quase 1m de comprimento – incluindo a cauda – e mais de 2m de envergadura, ou seja, de uma ponta da asa à outra. É predadora de topo, ou seja, ataca outros animais para se alimentar, mas nenhum outro animal se alimenta exclusivamente dela.

Há registro de Bufo Real com 20 anos de longevidade. Portanto, ratos, gaivotas, patos e até mesmo seus próprios semelhantes têm duas décadas para se preocupar. Vive em determinadas regiões da África, outras da Ásia e ainda na Europa.

Animais carnívoros e a Filosofia

Animais carnívoros são importantes na cadeia alimentar.
Animais carnívoros são importantes na cadeia alimentar.

Você, ou alguém próximo a você, pode estar se perguntando “por que, cargas d’água, a natureza mantém animais carnívoros?”; sendo religioso, a pergunta é mais teosófica: “O que Deus pretendeu ao criar animais carnívoros?”

A base do questionamento é o fator ferocidade, violência que baseia o carnivorismo. Afinal, todos os animais carnívoros atacam, matam e destroem outras vidas. Bem, a natureza tem uma explicação. Ou Deus.

Animais carnívoros têm participação essencial na cadeia alimentar. Sua atuação funciona como controlador de população de animais que se alimentam, por exemplo, de vegetais consumíveis por seres humanos.

Além disso, ingerem outros carnívoros que, em grande quantidade, podem representar problemas para a civilização. É por isso que determinada quantidade de animais carnívoros é usada ocasionalmente para combater excesso populacional de outros vertebrados.

A lógica da natureza é, por exemplo, a seguinte:

  • Alces comem vegetais importantes para seres humanos, como plantas lenhosas, que são essenciais para a construção civil
  • Lobos e coiotes comem alces
  • Plantas importantes sobrevivem porque lobos e coiotes se alimentam de alces

Desta maneira, se a população de lobos e coiotes diminuir numa região em que haja alces, haveria alces em abundância; havendo, o consumo de árvores lenhosas aumentaria e aumentaria também a disputa por alimento por parte desses animais.

Nesse caso, seria preciso que o homem capturasse a maior quantidade de lobos e coiotes possível e levasse para a área com desnível populacional.

Aliás, foi exatamente isso que aconteceu em 1995 no Parque Nacional de Yellowstone, nos estados de Wyoming, Montana e Idaho – EUA. Certamente a existência de animais carnívoros é importante em muitas regiões do Planeta.

Bônus: animais canibais

Há também animais carnívoros canibais.
Há também animais carnívoros canibais.

A gente mencionou acima canibalismo. Veja agora alguns animais com esse processo alimentar.

Louva-a-deus

Quase não é possível se falar em canibalismo no reino animal e não se falar nesse insetozinho interessante – aliás, há um artigo específico sobre ele neste site; procure.

É um caso clássico. Porém, sua ação canibal não está associado à alimentação, mas a comportamento reprodutivo. A fêmea come o macho logo após ser fecundada a fim de assimilar os nutrientes existentes no organismo do parceiro. Assim, a gestação se desenvolve de forma adequada.

Leões

Você não sabia disso: Não é comum, mas alguns indivíduos dessa espécie comem filhotes de algum líder de outros bandos quando há disputa por território. Dessa maneira, ele se certifica de que a liderança permaneça com seus próprios descendentes e não seja obtida por descendentes de seus rivais.

Tubarão-mangona

O canibalismo dessa espécie acontece mesmo antes do nascimento. Os embriões mais desenvolvidos e fortes acabam comendo os mais fracos para ter mais chances de sobreviver.

Aranha viúva-negra

Isso você achava que era verdade: a esmagadora maioria das pessoas achava que a fêmea desse tipo de aranha mata e se alimenta do macho logo depois da cópula. Aliás, foi o que deu nome a ela. Porém, o que acontece é que, em boa parte das vezes, o macho perde o aparelho reprodutor por causa de acidentes.

Assim, a hemolinfa, que é uma substância com as funções do sangue e que está concentrada na região do sistema reprodutor, é eliminada do corpo do inseto. Por isso, o macho acaba morrendo. Estando morto, só então a fêmea aproveita e se alimenta do organismo disponível.

Então, é isso

Como você viu, animais carnívoros acabam sendo instrumento da natureza para manutenção das espécies. De maneira indireta, eles são estratégias usada pela lógica da cadeia alimentar para que algumas outras espécies de seres vivos sobrevivam.

Se você tiver mais dúvidas, deixe na área de comentários abaix

Pergunte ou Responda

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

>