Ter um animal de estimação é, sem dúvida, um prazer para grande parte da população. A grande maioria das pessoas escolhe ter cães e gatos, todavia, devido ao custo, espaço e tempo necessário para a manutenção de um cachorro, muitos estão optando pela compra ou adoção de gatos.

Gatos, de fato, são animais muito independentes. Basta ter à disposição água fresca (de preferência corrente e sempre limpa), alimento de boa qualidade e uma caixa de areia onde poderão fazer suas necessidades.

No entanto, engana-se quem pensa que felinos não precisam de atenção e carinho! Gatos também gostam e precisam interagir com membros da família.

Adoção de gatos – aumento da população felina nas casas brasileiras

filhote para adoção de gatos

A adoção de gatos contribuiu para o aumento de felinos nas casas.

Uma das coisas que vem chamando a atenção nos últimos anos é o aumento expressivo do número de gatos como animais de estimação. A população de gatos cresce mais do que a canina e, em nações como Estados Unidos, França e Alemanha, já é maioria.

No Brasil, o número de felinos é de mais de 23,5 milhões. Nos últimos seis anos, segundo dados de 2017, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), esse número cresceu mais de 20%. Ou seja, nessa velocidade, a previsão é que os felinos assumam a dianteira do ranking daqui a dez anos.

Porque optar pela compra ou adoção de gatos

gatinho para adoção de gatos

A adoção de gatos pode ser assustadora para quem nunca teve um ou só teve cachorro.

A adoção de gatos pode assustar quem nunca teve um ou quem sempre teve um cachorro. No entanto, existem muitas peculiaridades encantadoras nesses animais.

Os gatos, de fato, são inteligentes, independentes, engraçados. Ao contrário do que pensam muitas pessoas, os gatos são muito carinhosos e precisam sim do afeto e da atenção do tutor.

É importante entender alguns hábitos peculiares desses animais antes de adotá-los.

  • Gatos possuem hábitos noturnos ficando, portanto, mais ativos à noite. É o momento em que eles preferem sair de casa para passear na rua, hábito que é desaconselhável já que o animal pode sofrer acidentes, pegar doenças ou desaparecer para sempre.
  • São mais seletivos em relação à alimentação e enjoam facilmente.
  • Gostam de água fresca e corrente.
  • Não precisam sair para passear para fazer suas necessidades. Basta ter uma bandeja com areia sanitária para cada gato e problema resolvido. No entanto, a bandeja deve ser mantida limpa. Gatos não gostam de sujeira.
  • São animais que prezam pela limpeza e organização dos próprios pelos. Passam horas lambendo e limpando seus fios. Não precisam de banhos constantes como cães.

Benefícios de ter um gato

mulher deitada brincando com gato

A adoção de gatos pode trazer muitos benefícios.

A compra ou adoção de gatos, assim como de outros animais de estimação, pode trazer inúmeros benefícios à saúde das pessoas. De fato, ter um animal de estimação reduz o sentimento de solidão, é uma fonte de amor constante, mantém a mente ocupada.

Estudos indicam que o relacionamento entre humano e animal tem como um dos principais efeitos o aumento da produção e liberação de serotonina e dopamina, chamados também “hormônios da felicidade”.

Além disso, um estudo da Universidade de Minnesota afirma que gatos podem ser benéficos para prevenir algumas doenças cardiovasculares. A pesquisa durou 20 anos e foi realizada com quase 4.500 pessoas.

Percebeu-se que, comparado a tutores de felinos, pessoas que não criavam gatos tinham risco 40% maior de morrer de ataque do coração e 30% maior de perder a vida por uma doença cardiovascular. Entretanto, esse resultado foi percebido apenas entre pessoas que tinham essa espécie, não incluindo, portanto, os donos de cães. Os cientistas acreditam que esse poder está no fato de os gatos ajudarem a reduzir a ansiedade de seus tutores.

Institutos de Adoção de Gatos

filhote em caixote de madeira para adoção de gatos

Há vários institutos de adoção de gatos disponíveis no Brasil.

Infelizmente o que não falta nesse mundo são animais abandonados. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que só no Brasil existam mais de 30 milhões de animais abandonados, entre 10 milhões de gatos e 20 milhões de cães.

Por sorte, no entanto, existem também muitas pessoas de bom coração que dedicam a vida a resgatar esses animais, oferecer os primeiros socorros e destiná-los a adoção. Existem pessoas que fazem isso quando podem e existem as organizações não governamentais.

Segue uma pequena lista de organizações nas quais é possível achar muitos animais disponíveis para adoção. Todavia, é importante mencionar que existem centenas de organizações independentes que não estão na internet.

Catland

Fundada em 2012, a Catland é uma ONG (Organização Não Governamental) que visa especificamente o resgate e adoção de gatos. Tem, portanto, como objetivo sensibilizar a sociedade sobre a guarda animal responsável, colaborar com o controle populacional dos gatos de rua e encontrar lares responsáveis para o maior número possível deles.

Atualmente, a ONG, que já viabilizou diretamente a adoção de quase 6.000 gatinhos.

Adote um Gatinho

O Adote um Gatinho surgiu em janeiro de 2003, sem querer, quando as fundadoras Susan Yamamoto e Juliana Bussab se voluntariaram para ajudar alguns gatos de um parque em São Paulo, e se conheceram. Elas perceberam que tinham algo que as unia: a vontade sem fim de ajudar os animais abandonados.

Em 2006 um grupo de pessoas que acompanhava o trabalho das duas se ofereceu para unir forças e trabalhar como voluntários. No ano seguinte, o “grupo Adote um Gatinho” se oficializou como a “ONG Adote um Gatinho”.

Hoje, a AUG é considerada a maior ONG de resgate e doação de gatos do Brasil.

Instituto Luísa Mell

Talvez um dos mais conhecidos devido à frequente aparição da ativista na tv. O Instituto Luísa Mell foi fundado em fevereiro de 2015, e atua principalmente no resgate de animais feridos ou em situação de risco, recuperação e adoção.

Eles mantem um abrigo com cerca de 300 animais, entre cães e gatos, todos resgatados das ruas, onde eles são protegidos, alimentados e aguardam pela chance de serem adotados.

Adote um Focinho

A Associação “Casa da Passagem São Lázaro” não tem fins lucrativos e foi constituída oficialmente em maio/2006, em São Paulo, por um grupo de pessoas inconformadas com o descaso e abandono ao qual estes animais estão sujeitos. Tomaram para si a responsabilidade sobre a vida e guarda destes animais até que sejam adotados.

Atualmente, a organização mentem um sítio com uma população aproximada de 150 animais, entre adultos e filhotes.

Site Amigo Não Se Compra

Além dos sites mencionados acima, existe o ‘Amigo não se Compra‘. Trata-se de um site em que ONGs e Protetores de todo o Brasil podem divulgar cães e gatos para adoção. O projeto existia informalmente desde 2012, mas em 2017 foi oficialmente registrado como uma Associação!

Adoção de gatos pretos

adoção de gatos pretos

A adoção de gatos pretos tem suas pecualiaridades e restrições.

A adoção de gatos pretos é um tema que, por incrível que pareça, causa bastante polemica. Isso porque existe um preconceito em relação ao animal pois muitos acreditam que ele dê azar.

A crendice tem origem na Idade Média e causa prejuízos aos felinos até hoje. Uma pesquisa da ONG britânica, Cats Protection, indicou que os pretinhos demoram 13% a mais de tempo para serem adotados em relação aos gatos de outras colorações.

No Brasil, a situação não é diferente. Na Catland, ONG de resgate e adoção responsável de gatos, 60% dos animais que estão à espera de um lar têm o pelo na cor escura.

Se não fosse suficientemente horrível tudo isso, as ONGs ainda tem que se preocupar a quem doar os gatinhos. Isso porque em datas como sextas-feiras 13 e Halloween (31 de outubro), os gatos pretos correm muito perigo pois, além de serem vítimas de preconceito, eles são alvos de superstições e rituais macabros nos quais acabam assassinados.

Considerações finais – compra ou adoção de gatos

Quem opta por adotar ou comprar um gato, deve assumir a responsabilidade de cuidar do animal providenciando alimentação de qualidade, higiene, entretenimento, amor e cuidados veterinários sempre que necessário.

Outro fator importante que muitas vezes é esquecido, ou até mesmo subestimado pelos tutores de gatos, é providenciar o devido confinamento. Ou seja, recomenda-se que os tutores de gatos utilizem telas na residência, providenciem um gatil, mas não permitam que seus gatos passeiem livremente na rua. Isso é recomendado porque na rua há grande chance de brigas, acidentes, contaminações que podem causar a morte de seu felino.

Além disso, recomenda-se algum método de identificação animal (como plaquinhas de identificação) para evitar a perda acidental do animal.

Por Dra. Valentina Vecchi (CRMV/SP:21838)

Valentina Vecchi (CRMV/SP: 21838), Médica Veterinária de São Paulo especializada em Acupuntura Veterinária, apaixonada pelos seus pacientes atuais e potenciais. Além de escrever para o Vidanimal, atualmente divide seu tempo atendendo seus pacientes e escrevendo para seus blogs 4Patas Acunputura Veterinária e blog4patas.com.br além de escrever artigos sobre pets para a revista digital “Senhora Atual“.

Deixe uma resposta