Gatinhos são mesmo muito fofos, principalmente os filhotes. Mas os felinos são criaturas muito temperamentais, que sem os limites e treinamento adequado podem te transformar facilmente em seus servo. Por isso, se você já se perguntou se o adestramento de gatos é possível, saiba que SIM, é perfeitamente possível adestrar o seu gato de estimação.

Embora não seja algo tão comum adestrar os felinos, é super importante para o bom desenvolvimento deles. Isso porque alguns comandos básicos de ordem, relativamente simples, podem melhorar bastante a relação tutor-animal e o convívio de vocês, por conta do controle que você vai conseguir exercer no animal.

Impor os seus limites para que ele tenha uma vida mais disciplinada e seja menos bagunceiro ou desobediente não vai fazer mal algum, principalmente se se ele for do tipo territorialista que toma conta da casa, sobe em cima dos móveis, arranha os estofados.

Mas o adestramento de gatos deve começar cedo, pois ainda filhotes eles são mais curiosos e estão mais propensos a absorver coisas novas, visto que ainda não desenvolveram totalmente seus hábitos e instintos.

Para isso, o carinho e a paciência aliados às técnicas de adestramento serão as suas melhores estratégias. Quer descobrir como aderir ao adestramento de gatos? Então confira abaixo técnicas e dicas de como controlar o comportamento do seu bichano para mantê-lo na linha.

De quebra ele ainda vai poder aprender alguns truques e divertir todo mundo em casa! Acompanhe!

Sim, o adestramento de gatos é possível!

O adestramento de gatos é possível com muito carinho e paciência.

Por mais que o adestramento e aprendizado de truques sejam sempre mais associados aos cães, o adestramento de gatos também é possível. Logicamente, o desafio é bem maior em relação aos felinos se comparado aos cachorros.

Porém, os gatos também são capazes de obedecer a comandos simples, aprender truques e de interagir com os tutores. Como treinar cachorros, tudo é uma questão de adaptação e consistência, mesmo para os mais obedientes ou preguiçosos, que passam longas horas do dia dormindo no sofá.

No entanto, a nossa contribuição para o aprendizado de um filhote de gato é limitada; por isso, o objetivo deve ser sempre claro e o animal recompensado pelo bom comportamento no momento certo.

Dessa forma, o adestramento de gatos deve contar com sessões razoavelmente curtas, com intervalos frequentes, e o gato deve ficar livre de distrações. Além disso, a recompensa dada ao animal tem que ser altamente estimada por ele, e o comportamento exigido não pode ter sido associado a algo negativo no passado.

Agora o mais importante é se manter calmo, ter muita paciência, ser consistente e confiar na inteligência do seu bichano!

Como os gatos costumam aprender

Antes de iniciar o adestramento de gatos, o filhote precisa aprender com a mãe.

Ao contrário dos cães que podem ser adestrados em qualquer idade, inclusive quando mais velhos, os gatos são mais complicados e costumam apresentar resultados positivos nessa etapa quando ainda filhotes.

Por isso, o adestramento de gatos pode até parecer uma tarefa impossível, mas acaba sendo muito agradável para ambos, tutor e animal.

Na verdade, para obter sucesso o treino deve ser iniciado desde o nascimento até os 6 meses, de preferência antes que ele complete dois anos de idade. Isso porque o papel dominante da mãe e a interação do filhote com os irmãos é fundamental para o seu desenvolvimento.

Ao nascer, o filhote começa a imitar as ações da mãe e a lutar pelo seu espaço entre seus irmãos. Em seguida, ele aprende por si só através da experimentação. Por isso que a sua contribuição na educação do seu filhote é limitada.

No entanto, é sua responsabilidades completar a sua educação através da socialização no contexto de seu novo ambiente. Assim, durante o processo de adestramento de gatos o tutor acaba se aproximando mais do animal, em um aprendizado duplo.

Isto é, você passa a entender melhor o comportamento e personalidade do seu gato, e ele aprende o que você gosta e permite, assim como quando tirar proveito de suas atitudes, como quando ganha alguma recompensa pelo seu bom comportamento.

Mas, lembre-se! Os gatos são animais independentes e só aceitam ser adestrados se entenderem que o comportamento exigido pode lhes trazer algum benefício, seja apenas um carinho ou petiscos.

O seu papel no aprendizado do seu gato

Já que você não pode fazer o papel de mãe no nascimento, de alguma forma assumirá esse papel depois que o filhote vier para você. Portanto, você também terá um papel importante na criação desse animal.

Em relação ao seu adestramento, especialistas recomendam esperar até que o filhote complete pelo menos dois meses de idade antes de separá-lo da mãe e dos irmãos.

Isso porque, como já dissemos acima, as mães aos parir seus filhotes desempenham um papel importante na educação deles. É ela quem vai ensiná-los seus hábitos sociais e de higiene através de brincadeiras, amamentação, mantendo-os sob controle, confortando-os e protegendo-os.

Mas como após esse período o seu gatinho vai viver com você, ele também será influenciado pelo ambiente no qual for introduzido. Portanto, o seu papel é introduzir as novas regras daqui pra frente, garantindo que ele tenha limites e contato saudável com várias pessoas e animais desde cedo, a fim de se tornar um gato mais equilibrado e amistoso.

Técnicas de adestramento de gatos

Uma das técnicas mais eficientes de adestramento de gatos é a recompensa com petiscos.

Embora o filhote de gato tenha começado a imitar a mãe logo no início do seu nascimento, ele também vai começar a experimentar por conta própria e precisa aprender as consequências de suas ações.

Essencialmente, se ele tiver consequências positivas, é bem provável que repita essas ações. E é aí que você deve entrar, ensinando limites e regras através de brincadeiras, sempre com muita paciência e recompensas (afagos e petiscos).

O gato necessita ser recompensado para poder compreender o que lhe é exigido, a fim de passar a obedecer a regras simples. Ele também não vai aprender rapidamente, portanto, a repetição de comandos de ordem devem ser constantes até que se tornem comuns na rotina de vocês.

Isso não significa que esses comandos deve ser repetitivos, mas ensinados um de cada vez, até que todas sejam entendidas e aperfeiçoadas. A constância significa consistência e não repetição.

Além dos elogios cotidianos, os petiscos podem ser dados a cada comando executado da forma exigida, como um complemento da etapa realizada. Outras duas técnicas de adestramento de gatos é restringir o espaço do animal e aumentá-lo.

Quando você restringe o espaço do animal é possível usar o comando “venha” toda vez que for soltá-lo, assim o comando será associado a algo prazeroso para o bichano. Veja com mais detalhes todas as técnicas abaixo:

Recompensas para convencer o bichano

O gato é perfeitamente capaz de responder a todos os seus comandos, desde que algumas condições sejam respeitadas, como ele ganhar as devidas recompensas, sejam elogios ou petiscos.

Assim como os cães, os gatos também gostam de ser recompensados cada vez que fizerem aquilo que o dono pede. Para isso, comece com comandos simples, como “venha”, “senta” e/ou “dá a patinha”, entregando o petisco logo depois.

Isso vai convencê-lo de que essa é uma troca vantajosa para ele, e vai passar a obedecer até que se a ação se torne rotineira. Um bom momento para começar o adestramento de gatos é cerca de duas horas antes das refeições, assim você garante a atenção dele por conta da recompensa.

Passe a elogiá-lo e recompensá-lo com petiscos sempre que ele fizer a coisa certa ou obedecer você. Outra dica é garantir a sua atenção, sem distrações e evitar repetições desnecessárias enquanto ele estiver distraído.

Além disso, quanto mais rápido ele for recompensado, mais associado o comando ficará com o que ele acabou de realizar, tornando o aprendizado muito mais rápido. Com isso, você consegue adestrar o seu gato para vir até você quando chamado, sentar, entrar na caixa de transporte, dar a pata, e até mesmo a miar, além de comportamentos básicos para não subir em mesas ou roubar comida dos pratos.

Consistência com pausas frequentes

Você precisa lembrar que gatos não são como cachorros, e assim, não deve exigir muito do bichano. Os gatos são curiosos e estão sempre prestando atenção ao seu redor, mas apenas por 5 minutos.

Portanto não adianta ficar repetindo os comandos por longas horas seguidas. O adestramento de gatos deve ser consistente e não repetitivo, ou seja, os comandos devem ser repetidos todos os dias, apenas por poucos minutos.

Você pode repetir várias vezes o mesmo comando, na mesma hora e pelo mesmo motivo ou comportamento, como chamá-lo pelo nome no horário das refeições. Quando ele atender, sempre recompense-o com um elogio ou com a comida, e em seguida diga o nome dele.

Dessa forma, ele vai associar à hora de comer quando você chamar, vai saber que vai receber algo positivo em troca do atendimento.

Controle e aumento do espaço do animal

Limitar o espaço do animal é uma boa estratégia de adestramento de gatos. Funciona da seguinte forma: você restringe a área livre em que ele se movimenta pela casa, colocando alguns obstáculos em volta do local onde se encontra. Depois, chame-o pelo nome e o comando “venha”.

À medida que ele obedece, você vai liberando espaço para que ele possa associar o comando a mais liberdade, isto é, a uma recompensa positiva. Já ao contrário, se você repreendê-lo, ele vai entender que não deve voltar ao ambiente. Excelente tática para que ele não suba onde não deve.

Evitar a punição repetitiva

Uma das estratégias muito importantes no adestramento de gatos para obter sucesso é evitar punir e repreender o animal o tempo todo, assim como falar ríspido. A ideia do treino é motivá-lo e fazer com que as associações sejam prazerosas.

As punições constantes vai fazer com que ele sinta repulsa dos comandos e ainda se torne agressivo, o que dificulta o seu aprendizado e o deixa mais resistente aos seus pedidos.

É bom lembrar também que não adianta querer treiná-lo quando ele estiver distraído, além de não te dar atenção, provavelmente vai ficar irritado de ser tirado desse ambiente.

Até porque, diferente dos cães, os gatos não possuem o instinto de agradar o dono e dificilmente serão obedientes por vontade própria.

Comandos básicos de adestramento de gatos

Há vários comandos que o adestramento de gatos pode ennsinar.

O adestramento de gatos não é apenas um capricho para ensiná-lo alguns truques e se exibir para outras pessoas. Toda a interação que o adestramento e as brincadeiras proporcionam trazem inúmeros benefícios para o animal e seu convívio com ele na família.

Assim como o adestramento de cães, adestrar o gato vai fortalecer o vínculo entre o animal e o seu tutor, através de uma comunicação mais íntima entre ambos e um entendimento maior de como o animal reage ao ambiente em que vive.

Além de auxiliar na relação com o bichano, o adestramento vai ajudar a impor limites, e principalmente corrigir comportamentos inadequados, como agressividade, territorialismo excessivo, timidez, desobediência, etc.

Mesmo os truques mais simples podem ajudar a adestrar um gato arredio, tornando a convivência mais tranquila e divertida para todos na casa.

Veja como estabelecer comandos básicos para o animal e evitar certos comportamentos inadequados impondo seus limites ou redirecionando a outras atividades:

Comando para vir: “Chame pelo nome”

Se você costuma chamar o seu gato pelo nome, e ao invés dele vir até você, ele te encara e segue em outra direção, saiba que esse é um comportamento felino normal. No entanto, os gatos podem aprender a responder pequenas “pistas” auditivas para entender que você precisa que eles façam algo por você.

Treine o seu gatinho a conhecer o seu nome. Ele deve saber que quando você disser o nome dele, é por ele que você está chamando. Digamos que o seu gato, Fifi, acabou de chegar na sua casa.

Reserve um saquinho de petiscos e chame pelo nome dele repetitivamente. Cada vez que ele olhar na sua direção ou mover a cabeça em resposta ao seu nome, dê-lhe um petisco.

Uma outra forma dele aprender o seu nome é usando a hora da refeição. Coloque comida pra ele no comedouro para gatos e faça um barulho bem audível para que ele escute. Se ele vier até você e se dirigir para comer, dê um petisco antes dele chegar ao comedouro.

Talvez o seu gato não coma a comida no prato por conta do petisco, ou ele não queira comer. Então, escolha o melhor dos alimentos para garantir que ele coma tudo. Assim, ele vai associar que quando é chamado vai conseguir alguma vantagem em troca por aparecer.

Elogiar o animal, e em seguida dizer o seu nome, é uma das principais etapas do processo de adestramento de gatos. Dessa forma, ele vai associar sempre associar o seu nome a algo positivo.

Comando para Sentar: “Senta”

O adestramento de gatos pode ensiná-los a sentar.

Esse é um dos truques de adestramento de gatos mais fáceis. Para fazer com que ele sente quando mandado, pegue um petisco e atraia a sua atenção para ele. Abaixe o petisco na altura dos olhos do animal até que ele se sente.

Em seguida, diga “senta!” e dê o petisco ao bichano se ele se sentar. Faça imediatamente um carinho nele e elogie o seu comportamento. Repita apenas 1 ou 2 vezes no dia, mas faça o mesmo todos os dias. Após algumas repetições, o gato deverá sentar sem ganhar os petiscos, mas de vez em quando recompense-o para reforçar.

Comando para dar a patinha: “Dá a pata!”

Você já viu algum gato esticar a pata de forma rígida e cumprimentar o seu tutor? Geralmente eles ficam dando patadas na gente para pedir carinho ou comida. Mas se você quiser que ele aprenda a dar a patinha como um truque, você terá que treiná-lo para isso.

Pegue um petisco que ele goste e segure-o um pouco acima da cabeça do bichano. Espere até que o gato fique interessado no petisco e levante a pata para tentar pegá-lo. Em seguida, estenda a mão e encoste-a na pata dele, dizendo “Dá a pata!”.

Se ele esticar novamente a pata, dê o petisco à ele e elogie-o fazendo um carinho. Repita mais algumas vezes para reforçar, seguindo por alguns dias seguidos até que comece a dar a patinha sem os agrados.

Comando para pegar um brinquedo: “Pega!”

O adestramento de gatos pode ensiná-lo a ir buscar um brinquedo.

Esse é um truque muito divertido, que é mais uma brincadeira do que um comando. Após o treinamento, o seu gato passar a gostar de buscar o brinquedo para passar um tempo brincando com você.

Primeiro, atraia a atenção do seu gato para seu brinquedo favorito e, em seguida, jogue-o mais para longe, mas não muito, dizendo: “Pega!”. Espere ele buscar o brinquedo e quando ele estiver com o objeto na boca, atraia-o novamente para você chamando-o pelo nome e com um petisco na mão.

Se ele vier até você, elogie o comportamento dele e entregue o petisco. repita novamente a ação mais uma 3 vezes apenas, e continue fazendo isso por alguns dias seguidos, até ele começar a trazer o brinquedo sem precisar chamá-lo.

Comando para deitar: “Deita!”

O adestramento de gatos pode ensiná-lo a deitar para ganhar carinho.

Esse é um comando de adestramento para gatos que já obedecem ao comando para sentar. É um comando bacana para acalmar o animal e enchê-lo de carinhos. Para atraí-lo, pegue o seu petisco favorito e faça-o se sentar.

Em seguida, atraia a atenção dele para o petisco e vá abaixando ele sem dá-lo ao gato. Espere até que ele se deite no chão e fale: “Deita!”. Depois, dê o petisco ao gato, fazendo um elogio e dê outro petisco para ele. Após algumas repetições, o seu gato estará deitando sem a necessidade dos petiscos, só para ganhar os cafunés depois.

Como fazer usar a caixa de areia

Normalmente, espera-se que com cerca de cinco ou seis semanas de idade, o filhote já aprenda a usar a sua caixa de areia de forma adequada, gastando tempo suficiente para encobrir seus excrementos.

Se ele não estiver fazendo isso, é bom voc6e começar a treiná-lo. Geralmente isso não costuma ser difícil, já que os gatos são bem inteligentes neste campo de higiene pessoal, diferente dos caninos.

Para ensiná-lo, coloque-o na caixa de areia com frequência, especialmente após as refeições. Se precisar, pegue em suas patas e ajude-o a cavar um buraco para que ele adquira o hábito de cobrir os excrementos. Não será preciso repetir isso mais que uma ou duas vezes, pois esse é um comportamento bastante instintivo para eles.

Como evitar arranhar os móveis

Para evitar que ele saia arranhando os móveis, invista nos arranhadores para gatos.

Imagine chegar em casa e encontrar os seus móveis todos arranhados, cheios de marcas e rasgos no estofado. Os gatos gostam de arranhar por inúmeros motivos, e é instintivo.

Primeiro, arranhar pode ajudar o animal a se exercitar, alongar a musculatura e os tendões. Além disso, o “arranhar” também é uma forma de marcar o território. Eles possuem glândulas nas patas que liberam odores distintos cada vez que arranham.

Se você não quiser que os seus móveis sejam todos destruídos por esse comportamento, o único jeito é direcionar essa necessidade dele de arranhar para um local mais apropriado, como um arranhador para gatos.

Se fosse possível, ele estaria arranhando árvores e arbustos na natureza, mesmo assim, isso pode não garantir que ele esqueça do sofá e poltronas. Existem muitos brinquedos interessantes que você possa tentar introduzir, mas ele terá que aprovar.

Um outra dica é dá-lo caixas de papelão ou restos de tecido para ele rasgar e arranhar. Voc6e pode também construir postes para ele arranhar ou encapar caixas com diferentes texturas, como carpetes, cordas, lixas.

Como parar com as mordidas e arranhões

O adestramento de gatos ocnsite em corrigir comportamentos inadequados como as mordidas.

Não é nada raro um gato morder. Mas ele deve entender desde cedo que esse comportamento não é permitido, antes que suas garras e dentes estejam completamente desenvolvidos.

Quando o filhote é novo e ainda está na companhia de seus irmãos, ele brincam, se mordem e se arranham, mas eles recebem de volta o mesmo comportamento e isso os ajudam a entender sobre sua força e o quanto podem agressivos ao usar seus dentes e garras sem causar dor.

Mas com os humanos é diferente, pois não temos como impor esses limites na mesma “moeda” de troca. Portanto, mesmo sabendo que é você quem manda, ele vai mordê-lo, sem razão aparente. Afinal, eles podem morder por diversas razões, não só querendo agredir.

Pode ser difícil fazê-lo parar de morder por completo, mas você pode adestrá-lo para diminuir a frequência desse comportamento.

Uma forma é enganando ele com petiscos se ele começar a se preparar para morder. Você pode dizer palavras de comando como “Pare” ou “Não”, dando o petisco assim que ele relaxar e parar de tentar te morder. Depois elogie-o e faça um carinho.

Além dos petiscos, você pode investir em brinquedos para distraí-lo, Muitas raças de gatos são predadores naturais, e faz sentido querer enfiar os dentes em diferentes objetos. Ofereça brinquedos para gatos de morder ou pequenos “ratinhos”que simulem presas para ele sair à caça e relaxar os instintos.

Mas, e se o meu gato não aprender nada?

Todas essas dicas podem ajudar a aliviar o estresse e os comportamentos agressivos do seu gato, assim como impor limites e melhorar a convivência entre vocês dentro de casa.

Independente das técnicas de adestramento de gatos, lembre-se sempre que as recompensas são sempre melhores técnicas que os castigos para reforçar o bom comportamento dos gatos.

Não deixe de fazer elogios, dar petiscos ou brinquedos se o seu gato tiver um bom comportamento em resposta aos seus comandos, e tente sempre ser paciente se ele não responder ao treinamento tão rapidamente.

Mas se mesmo depois de todas essas dicas, ele não não aprender nenhum comando ou truque, não se preocupe. Não há nada de errado com ele, eles apenas são criaturas de personalidade forte, e nem sempre se adaptam ao adestramento.

Na verdade, os bichanos só fazem o que querem e que têm vontade, e o seu gatinho pode ser desses que não gostam de ser adestrado.

Lembre-se, você tem controle limitado em relação ao treinamento do seu gatinho. No entanto, se você se esforçar para entender a linguagem corporal dele, assim como os seus sons e expressões faciais, vai pelo menos saber o que ele quer e conseguir garantir o bem-estar dele, mesmo que ele não responda aos seus comandos.

Por Equipe Editorial

O Vidanimal.com.br acredita que compartilhar um bom conteúdo é a melhor maneira de fazer com que a informação chegue ao seu destino ou público alvo. Educar e conscientizar as pessoas é a nossa missão. Procuramos criar parcerias com profissionais empenhados em fazer parte dessa missão. Contamos com uma equipe de colaboradores que amam aquilo que fazem e se dedicam todos os dias para levar até você um conteúdo informativo de qualidade.

Deixe uma resposta