Cachorros são os melhores amigos do homem não há sombra de dúvida. Você pode até gostar de gatos ou pássaros, mas os cachorros estarão sempre em primeiro lugar em nossos corações. Pode apostar! Como um dos animais mais domesticados do planeta, podemos afirmar que sabemos tudo o que há para saber sobre estes animais. No entanto, isso não é exatamente uma verdade. Há milhares de fatos fascinantes, hilários e no mínimo curiosos sobre os cachorros que a maioria das pessoas não possuem a menor ideia. Mesmo que você tenha convivido com cachorros a sua vida inteira, temos certeza de que você ficará surpreso sobre alguns fatos que irá ler abaixo.

11 fatos curiosos e hilários sobre cachorros que você nunca imaginou!

1. Cachorros são tão inteligentes quanto crianças de 2 anos de idade

Bebê brincando com Boxer adulto no meio das cobertas. (Crédito/Copyright: “Por Africa Studio/Shutterstock”)


Se você já teve o leve pressentimento de que o seu cachorro é mais esperto do que parece, você provavelmente estava certo. Nós costumamos achar que os animais de estimação são criaturas de mentes limitadas mesmo que eles demonstrem sinais bem claros de inteligência. Mas estamos errados. Estudos mostram que cachorros em média podem ser capazes de aprender até 250 palavras diferentes assim como uma quantidade similar de gestos, o que possibilita completamente a comunicação entre nós e eles e o treinamento dele. Cientistas também descobriram que podem ensinar os cachorros a contar até 5 enquanto também ensinam a desempenhar algumas funções matemáticas. Cachorros são criaturas maravilhosas, lindas e inteligentes. De fato, se os cachorros fossem mais inteligentes nós é que deveríamos temer que eles descobrissem que nós humanos não somos tudo aquilo que parecemos ser! Por isso, se você se queixa de estar sempre cansado no final do dia, lembre do trabalho que dá para o seu cachorro ser capaz de se comunicar com você.

2. Cachorros não são daltônicos!

(Crédito/Copyright: “/Shutterstock”)
Não se sabe ao certo como esse mito originalmente começou a ser passado adiante, mas já está na hora de acabar. Os cachorros não são daltônicos como muita gente pensa, na verdade eles podem enxergar uma variedade de cores diferentes. Cientistas descobriram que o espectro primário de cores para os cachorros consiste em amarelo, violeta, azul, preto, branco e cinza. Por isso, se você quiser que o seu cachorro tenha um lar bem colorido, então não se esqueça de utilizar essas cores. Da próxima vez que estiver pensando em fazer mudanças pela casa, pense em maneiras de incorporar mais cores ao redor da casa. O seu cachorro pode não dizer nada, mas ele com certeza irá adorar. (Ficou curioso sobre o assunto, então leia também O que os cachorros enxergam quando assistem TV)

3. Cachorros possuem o sentido de olfato muito mais elevado que humanos

Beagle adulto farejando o ar a procura de um cheiro específico. (Crédito/Copyright: “Por Adya/Shutterstock”)


Embora você ache que tem um olfato excelente para detectar cheiros variados, isso não é nada comparado ao olfato do seu cachorro. O nariz humano tem cerca de 5 milhões de receptores de odor dentro dele. Esse número pode parecer impressionante o suficiente, mas não chega nem perto da capacidade olfativa de um cachorro. O Beagle, por exemplo, possui 225 milhões de receptores de odor dentro do seu nariz e isso não é nem um dos mais fortes narizes do mundo canino. Pode ser até cansativo imaginar ser capaz de sentir tantos cheiros. Para simplificar ainda mais, o cachorro pode sentir 100.000 vezes mais que uma pessoa. Cães de caça ou farejadores costumam ter o faro bastante apurado e necessitam dele na maior parte do tempo como instinto.

4. O nariz do cachorro é tão único como a digital humana

Filhote com seu focinho bastante peculiar e único. (Crédito/Copyright: “Por Kevin Ouellette/Shutterstock”)


Embora a maior parte dos narizes dos cachorros parecem ser iguais, na verdade eles são bem diferentes. E não se engane pensando em termos de generalidades, como tamanho e cor. Os narizes dos cães são tão únicos que são comparados às digitais humanas. Os desenhos, as rugas e os vincos fazem com que cada nariz seja verdadeiramente individual. Este mesmo nariz é também o aparelho sensorial mais forte do corpo inteiro do cachorro, por isso os cachorros dependem do faro para quase tudo. O nariz de um cachorro é tão único que você precisa ter consciência dele assim como mantê-lo na mesma sintonia com a saúde do cachorro. Você pode observar muitos sintomas de doenças só monitorando o focinho do cachorro.

5. Cachorros sonham como nós!

Buldogue inglês fazendo aquilo que mais gosta de fazer: dormir profundamente e sonhar de língua de fora. (Crédito/Copyright: “Por Lindsay Helms/Shutterstock”)


Se você já teve um cachorro, com certeza você já o observou gemendo, se contorcendo ou até latindo enquanto dorme. Muita gente assume que os cachorros sonham sobre coisas que eles gostam, e sonham, mas a verdade é estes cachorros sonham da mesma forma que os humanos. A revista americana “Psychology Today” focou neste tipo de pesquisa, e acredita que os cachorros passam a noite sonhando sobre as atividades que normalmente fazem parte da sua rotina: brincar de trazer objetos, caminhadas, perseguir outros animais ou correr atrás da bola, etc. A razão perfeita para garantir que você mantenha o seu cachorro mentalmente ativo durante o dia com brincadeiras e treinamento para dar à eles algo com que sonhar de noite.

6. Placas de identificação militar foram inspiradas em plaquinhas de identificação de filhotes de cachorros

Boston Terrier adulto usando coleira com placa de identificação. (Crédito/Copyright: “Por Anna Hoychuk/Shutterstock”)


Os militares parecem que sempre usaram placas de identificação para os soldados e outras hierarquias e estas placas tinham o título de Placas de Cães por alguma razão misteriosa, certo? De fato, as placas para o exército foram inspiradas nas placas de registro e identificação de cachorros. As primeiras placas de animais de estimação foram usadas em 1850 graças à lei que exigia o registro e licenciamento desses animais. A feito foi colocada em vigor para que as pessoas pudessem rastrear os cachorros que costumavam atacar seus animais em suas propriedades. Em 1860 o mesmo sistema passou a ser usado pelos militares para que soldados pudessem ser identificados pelas suas famílias caso algo desse errado e eles fossem mortos em ação.

7. Você não deve tosar os pêlos do Husky!

Dupla de Huskies Siberianos na neve. (Crédito/Copyright: “Por KateChris/Shutterstock”)


O Husky é um dos cachorros mais lindos e exuberantes que existe na família inteira de animais, e mesmo assim são muito mal interpretados. Há uma variedade de tipos diferentes de Huskies por aí e todos eles são famosos por sua pelagem longa e grossa e seus lindos olhos azuis. Muita gente que vive em locais onde o clima é quente e decide comprar o Husky pensa que precisa tosar o seu pêlos para que ele fique mais confortável no calor, um grande erro. O Husky possui uma pelagem especial capaz de regular a sua temperatura corporal, tanto quente como fria, e tosando essa pelagem ele fica incapaz de se manter frio. Deixe os seus pêlos em paz e deixe que o seu Husky regule a sua própria temperatura do corpo!

8. Tempestades são dolorosas para os cachorros.


Se você tem um cachorro que sempre surta durante as tempestades com raios e trovões, então você terá que ter mais compaixão e ser mais compreensivo para entender que isso lhe causa dor. Os cachorros tem tão boa audição que quando as tempestades começam com trovões, o som pode causar uma certa dor nos ouvidos dele. Não assuma que ele simplesmente tem medo de trovão, ele pode muito bem estar com dor, ou pior ainda, pode estar sofrendo de ansiedade por causa do barulho. Se você puder abafe o som do trovão de alguma forma, o seu cachorro irá apreciar muito.

9. Você sabe porque os cães andam em círculo antes de se deitarem?

Cachorro circulando a cama antes de deitar.(Crédito/Copyright: “Por Babab/Shutterstock”)


Se você já observou o seu cachorro indo dormir, então você provavelmente já viu ele andar ao redor da cama, almofada ou local onde dorme, em círculos várias vezes antes de se deitar realmente. Loucura? Não exatamente. Há uma explicação científica para este comportamento. A razão pela qual os cachorros fazem isso é estar simulando um antigo comportamento canino selvagem: abaixar a grama alta para deitar de forma mais confortável, além de ser uma técnica antiga para espantar possíveis insetos e outros animais pequenos que possam estar ali escondido na grama – um forma de se sentir confortável e seguro, de acordo com cientistas.

10. A maior parte dos cachorros não gosta de abraços

Garoto abraçando filhote de pastor Alemão.
(Crédito/Copyright: “Por Stone36/Shutterstock”)


Para os humanos o abraço é um ato de afeto e amor. Nós adoramos segurar nossos animais de estimação e mostrar todo o nosso carinho por eles. No entanto, para os cachorros, um abraço pode ser visto como sinal de domínio e pode fazer com eles se sintam desconfortáveis. Isso não significa que todos os cachorros odeiam ser abraçados, mas alguns com certeza não gostam.

11. Cachorros de serviço sabem quando estão trabalhando ou de folga

Filhote de Labrador filhote de folga nos braços de seu dono. (Crédito/Copyright: “Por Anna Hoychuk/Shutterstock”)


Cachorros de serviços, como cães de terapia, guia ou policiais, fazem um dos melhores trabalhos e são bem treinados o suficiente para saber quando deve aliviar. Quando o cachorro sabe que tem um trabalho a fazer ele vai estar sempre no “modo alerta”. Quando ele não está a serviço, ele ficará relaxado instantaneamente e pode começar até a brincar ao notar que está de folga. (Curioso sobr eo assunto? Leia mais em 9 mais famosas raças de cães de terapia)

Por Dani Jardim

Dani Jardim é redatora freelancer, contribui com contéudo digital para vários sites diferentes. Amante dos animais, divide o seu tempo escrevendo sobre todos eles neste portal, e nas horas vagas, se divertindo com seus cachorros, o Pug, Bóris e o Buldogue francês, Vasco. Dani também faz parte da nossa equipe editorial como gerente e editora de conteúdo.

Deixe uma resposta