Cuidar de um animal de estimação dá trabalho. Os animais são como os seres humanos – merecem toda uma dedicação, cuidados, proteção, carinho e atenção. Não é uma tarefa fácil, principalmente para quem nunca teve um animal de estimação. Uma vez que se decide trazer o animal para dentro de casa, é para sempre.

dono-primeira-viagem2

Filhotes de Daschund recém-nascidos brincando juntos (Crédito/Copyright: “Samoilova Helen/Shutterstock”)

Os cães costumam viver por bastante tempo, portanto o dono deve considerar várias questões antes de se comprometer com o animal. E tomada a decisão deve estar atento a tudo que ocorre com o animal para que ele tenha uma vida segura e feliz.

É muito comum “donos de primeira viagem” ter muitas dúvidas quando adquirem o primeiro cachorro, seja ele comprado ou adotado. Por esta razão listamos alguns tópicos e dicas muito úteis para facilitar ainda mais esta tarefa.

Planeje a sua chegada

dono-primeira-viagem-planejar-chegada

filhotes no colo do dono chegando em casa pela primeira vez (Crédito/Copyright: “Anna Hoychuk/Shutterstock”)

Reúna a família para montar uma espécie de planejamento, escolher comandos e discutir uma divisão de tarefas. O cão precisa de um líder para não desenvolver maus comportamentos. Por esta razão é muito importante todos estarem conscientes sobre o que esperar do cão e de cada um que irá conviver com ele. É preciso entender suas necessidades e e estabelecer os limites desde cedo, assim como a disponibilidade de cada um. Quando há conscenso entre todos na família a tarefa de cuidar do seu cãozinho não fica pesada demais para ninguém.

Comprar ou adotar

dono-primeira-viagem-adotar

Cachorro esperando para ser adotado no canil (Crédito/Copyright: “Randy Rimland/Shutterstock”)

Pronto, está decidido! Você vai ter um cãozinho. Comprar ou adotar? A primeira coisa é pesquisar bastante sobre a raça e avaliar bem se o cão escolhido é capaz de se adequar ao seu estilo de vida, e ou, se por exemplo, é capaz de conviver bem com crianças, caso você tenha em casa.

O mais importante é avaliar se todos da casa estão de acordo, se há espaço adequado para a raça escolhida e se a família está preparada para cuidar deste animal por longos anos. Além de existirem muitos animaizinhos disponíveis para compra, é também possível encontrar filhotes e cães adultos para adoção. Você pode adquirir o seu cãozinho em petshops, junto a criadores ou em feiras de doação.

O importante é pesquisar muito os locais e observar se o animal apresenta uma bosa condições de saúde, se possui vacinas e vermifugação em dia, se o local para a aquisição é idôneo. Vale a pena considerar a opção da adoção. Em muitos abrigos e ONGs, tem milhares de cães abandonados, sejam vira-latas ou cães de raça, precisando de um lar.

Prepare a casa para recebê-lo

dono-primeira-viagem-preparar-casa

Filhote de Golden Retriever dentro de um cesto de roupa sujas (Crédito/Copyright: “Philip Steury Photography/Shutterstock”)

Como quando se arruma a casa para receber o bebê recém-nascido, é muito importante deixar a casa pronta para receber o filhote. O espaço deve ser adequado e seguro para que ele se sinta tranquilo e que não possa se ferir. É bom tirar objetos de seu alcance como vasos de plantas do chão, peças valiosas do mobiliário, tapetes, enfeites em estantes baixas com objetos à vista, sapateiras abertas. Tudo que for proibido ou não possa ser danificado deve ser retirado ou isolado, para que não ocorram acidentes. É bom também no início limitar a sua área e definir logo de cara onde é ou não permitido ficar.

A escolha do nome

dono-primeira-viagem-nome

Filhote de Golden Retriever já de coleira com identificação (Crédito/Copyright: “Martin Gardeazabal/Shutterstock”)

A escolha do nome é muito importante, e ao escolher o seu nome, evite confusões escolhendo nomes que se pareçam com comandos importantes como “não”, “sim”, “senta”, “fora”, “fique”, etc. Não escolha mais de um nome ou outros apelidos, por mais tentador que seja e tente não trocar. Prefira nomes curtos e fáceis de pronunciar – ele deve entender que aquele é o nome dele e não um comando. É importante também criar uma boa identificação para seu cão. Existem as plaquinhas para pendurar na coleira que podem constar o nome e telefone para contato. O microchip também é uma ótima forma de identificação permanente. Em ambos sempre mantenha o registro atualizado quando você se mudar de casa ou de trabalho, ou trocar o número de telefone.

Itens necessários

dono-primeira-viagem-itens-necessarios

Filhote de Labrador e seus brinquedos (Crédito/Copyright: “NotarYES/Shutterstock”)

Os cães necessitam de alguns itens básicos, mas indispensáveis para os seus cuidados. São eles: vasilha para água e ração (de preferência a mesma fornecida no canil/abrigo ou a indicada pelo médico veterinário); guia e coleira com a dentificação do cão (nome do animal, nome do dono e telefone para contato); produtos para a sua higiene pessoal como escova e pente para os pêlos, shampoo e condicionador, escova de dentes e pasta; além de brinquedos e snacks para distração e também uma caixa de primeiros socorros. O peróxido de hidrogênio é um item muito útil para manter em seu armário de remédios. Além de anti-séptico, ele pode ser usado para induzir o vômito, caso seu cão tenha ingerido substâncias tóxicas.

Cuidados com a alimentação

dono-primeira-viagem-alimentacao2

Jack Russel Terrier se alimentando com o seu pratinho(Crédito/Copyright: “Gladskikh Tatiana/Shutterstock”)

As rações caninas são a forma mais comum para uma alimentação balanceada. Basicamente a variação de qualidade e marcas tem relação com o teor de proteína e tipo da matéria prima. A faixa etária deve ser respeitada e a dieta deve ser apropriada para a idade.

Filhotes possuem necessidades de energia e vitaminas mais elevadas durante o seu crescimento, por isso precisam de proteínas e calorias extras encontradas em fórmulas de crescimento – opte sempre pela ração específica para filhotes. Cães mais velhos precisam de menos, a fim de manter a aparência jovem. Existem diversos tipos e marcas no mercado, e a melhor opção deverá ser indicada pelo veterinário, na primeira consulta ao animal.

Embora a maioria das pessoas pense que cães são altamente carnívoros, na realidade eles são onívoros – comem plantas e tecido animal, portanto podem se desenvolver com uma dieta vegetariana bem balanceada.

dono-primeira-viagem-alimentacao

Dono dando comida na boca de seu filhote Lulu da Pomerânia (Crédito/Copyright: “ijasper/Shutterstock”)

A quantidade ideal de ração a ser oferecida ao filhote varia de acordo com a raça e o peso do animal. Se no começo o filhote rejeitar a ração, insista e evite misturar outro tipo de alimento, como carne e arroz, que não fazem bem ao filhote e dificultam ainda mais a sua adaptação à ração. À partir de 1 ano de idade, o cão pode passar a comer a ração para adultos, que também deve ser administrada de acordo com o peso e a raça do animal.

Seguindo uma base recomendada por veterinários, os filhotes devem se alimentar de 3 a 4 vezes por dia diminuindo à medida em que vão crescendo. Cães adultos, por exemplo, devem comer apenas duas vezes por dia, evitando alimentá-los uma única vez por dia para impedir que ele coma grandes quantidades de uma só vez, principalmente as raças de porte grande. O excesso de alimentação em cães acima de 1 ano costuma gerar obesidade e acarretar uma série de problemas à saúde do animal.

Por mais tentador que seja, nunca dê chocolate ou outros alimentos que não sejam próprios para cães. Muitos destes alimentos são tóxicos para cães, especialmente o chocolate que mesmo pequenas quantidades podem ser tóxicas, causando aceleração cardíaca, colapso e, em alguns casos, morte.

dono-primeira-viagem-alimentacao

Mulher alimentando seu Golden retriever adulto (Crédito/Copyright: “Dmytro Zinkevych/Shutterstock”)

Mudanças súbitas na dieta podem também causar problemas digestivos. Descubra o que o abrigo/canil estava oferecendo a ele e apresente novos alimentos gradualmente ao longo de vários dias. Se for mudar a ração, fique 1 semana dando 1/3 da ração nova com 2/3 da ração antiga.

Na semana seguinte, dê 1/2 de cada. E na terceira semana dê 1/3 da antiga com 2/3 da nova. Observe suas fezes e se notar que continuam firmes e saudáveis, na quarta semana retire a ração antiga e fique somente com a nova.

Banhos e outros cuidados

dono-primeira-viagem-banhos

Terrier tomando banho de banheira (Crédito/Copyright: “Susan Schmitz/Shutterstock”)

Recomendam-se os banhos para acima de 45 dias de idade, e deve ser com água morna, sempre protegendo os ouvidos com algodão, para evitar a entrada de água. Pode usar sabão de coco ou shampoo neutro, de preferência próprio para cães. Pode-se usar, ainda, shampoos anti-pulgas e específicos para cada tipo de pelagem. Cães de pelagem longa podem usar um condicionador específico para ajudar a desembaraçar, assim como devem receber a primeira tosa higiênica aos 3 ou 4 meses, e, após isso, tosas periódicas a cada 2 meses. Além disso, é importante escovar seus pêlos diariamente para que eles não embaracem, para retirar pêlos soltos e evitar outros problemas de pele.

Saúde

dono-primeira-viagem-saude

Shar pei filhote em sua primeira consulta ao veterinário (Crédito/Copyright: “Ermolaev Alexander/Shutterstock”)

Ao comprar oua dotar um cãzinho, deve-se agendar uma primeira visita ao veterinário. Não se esqueça de levar todo o histórico médico com você assim como todos os documentos que adquiriu ao comprar/adotar o seu cão e uma amostra de fezes recentes. O veterinário vai lhe mostrar todas as vacinas necessárias para seu cão. Vacinação é fundamental! A prevenção de doenças é a garantia para assegurar a saúde do seu animal de estimação.

Não “pule” etapas ou atrase o dia de vacinar para não correr o risco de aparecimento de doenças das quais algumas são até fatais. Castrar a fêmea é uma opção, pois não apenas evita gravidez indesejada, gravidez psicológica como também a protege de tumores mamários e infecções urinárias. A castração do macho protege de câncer testicular e problemas na próstata. Esses procedimentos podem ser feitos com segurança em animais jovens, de seis meses de idade.

Domesticação e treinamento

dono-primeira-viagem-treinamento

Border Collie sendo treinado a buscar e devolver bola (Crédito/Copyright: “Anaite/Shutterstock”)

A domesticação é conseguida empregando uma regrinha básica conhecida por três Cs:

  • consistência nos horários de alimentação e passeios;
  • confinamento, às vezes, em área isolada para conseguir controle da bexiga e intestino;
  • cuidados com higiene, com um neutralizador de odores quando acidentes acontecem.
dono-primeira-viagem-treinamento2

Filhote sendo treinado a fazer suas necessidades em local apropriado (Crédito/Copyright: “Gladskikh Tatiana/Shutterstock”)

A maioria das ações que os donos definem como mau comportamento são, na verdade, comportamentos normais feitos na hora errada e no lugar errado. Procure entender sobre a psicologia canina, se informe e tenha paciência.

Muitos donos optam por inscrever seus filhotes entre 11-19 semanas de idade, em programas de treinamento – nesta idade já são perfeitamente capazes de absorver tudo o que você puder ensinar e ainda darão um salto em socialização e comportamento apropriados.

Estímulos e exercícios

dono-primeira-viagem-exercicios

Husky Siberiano fazendo atividades físicas na piscina (Crédito/Copyright: “Wasitt Hemwarapornchai/Shutterstock”)

Os filhotes podem ser bastante ativos, mas os cães adolescentes testam limites e parecem possuir energia ilimitada. Exercícios aeróbicos, brincadeiras com desafios mentais e um manejamento cuidadoso ajudam a atravessar esse estágio difícil do desenvolvimento.

Cada raça precisa de estímulos e quantidades de exercícios diferentes, mas todas elas precisam se exercitar par asuprir o mínimo de seus instintos caninos e evitar o desenvolvimento de maus comportamentos além de doenças relacionadas ao sedentarismo.

dono-primeira-viagem-estimulos

Filhotes de Leão da Rodésia sendo estimulados com brinquedos (Crédito/Copyright: “nancy dressel/Shutterstock”)

Para afastar o tédio, todo cão precisa de muitos brinquedos para mascar, puxar, agitar e matar, jogar, levar, esconder, enterrar e até para dormir com ele para não sair por aí fazendo o que ser na telha. Alterne os brinquedos para mantê-lo interessado. Não deixe tudo disponível. Tente manter sempre a mente do seu cão afiada e seu corpo tonificado envolvendo-o em esportes caninos, como agilidade, corrida, pastoreio ou desafios aquáticos.

Campos e parques para cães são os melhores lugares para testar uma variedade dessas atividades. Tome cuidado especial com cães braquicefálicos (raças de focinho achatado como Pug, Buldogues, etc.), que não toleram uma grande quantidade de exercícios e possuem dificuldade de respiração.

Roupinhas e outros mimos

dono-primeira-viagem-roupinha

filhote de Labrador retriever com bandana amarrada no pescoço (Crédito/Copyright: “Helen Sushitskaya/Shutterstock”)

Se você gosta de vestir seu cachorro (e se ele também gosta) certifique-se de que as roupas não atrapalhem sua visão ou movimento. Os cães de pelagem curta dependendo de onde vivem podem sentri frio ou calor demais em certas estações, por isso em caso de climas de temperauras extremas as vezes a roupa é necessária. Dê alguns dias para que ele possa se acostumar com as roupas antes de sair mostrando para amigos e parentes.

Os sapatinho para andar na rua e evitar a sujeira funcionam, mas o cão necessita gastar suas unhas naturalmente se as mesmas não forem cortadas. Tingir os pêlos, tosas malucas, pendurar coisas em seu pescoço que possam machucá-los, tudo isso deve ser feito de maneira responsável, respeitando a saúde e o bem-estar do seu cãozinho, mas que a aparência. Seja razoável com os acessórios, eles podem ficar muito engraçadinhos mas não são bonecos. Eles também sentem calor, frio, desenvolvem alergias e sentem desconforto. Procure não se exceder neste caso.